NewPOP: Mangás Renovados, Parados e Concluídos – Parte III

Acho que não é novidade dizer que a NewPOP anda bem devagar, mas não se preocupem, ela não faliu. A editora nos informou que embora não esteja havendo lançamentos, obras continuam sendo traduzidas, revisadas e editadas. Comentou também que durante o “sumiço” a editora estava “colocando a casa em ordem”, já que recentemente fez várias parcerias e adquiriu algumas franquias bem populares.

Tivemos a informação de que os volumes 2 de K-ON e 4 de Dororo (o último) já estão prontos e serão lançados agora em novembro. Acho que seria seguro dizer que a periodicidade das obras atualmente é semestral (ou quase isso). Alguns até preferem, já que alguns títulos da editora tem um valor maior (provavelmente devido ao tipo de acabamento).

Soubemos também que após o fim de Dororo, haverá novos lançamentos e novidades, mas não foi especificado quais. No mais o dono fez questão de ressaltar que a empresa não irá cancelar nada, pretende terminar tudo que começou.

Vale a pena lembrar que este ano a NewPOP lançou o primeiro yaoi (com cenas de sexo de verdade) do Brasil. Mas não se sabe se vendeu, se haverá mais e tal. Também acho interessante apontar que K-ON foi traduzido pela Karen Kazumi, que trabalha também para a Panini e JBC.

A editora atualmente tem alguns títulos ativos:

Dororo, um mangá de 4 volumes de Osamu Tezuka, o terceiro volume foi colocado a venda em setembro (apesar de muita gente não ter visto).

Hetalia, já tem 2 volumes lançados no Brasil. No Japão a história começou a ser serializada e possui 4 volumes até agora. A editora não informou quando sairá o próximo volume.

K-ON, obra em publicação com 4 volumes, teve o volume 1 lançado no meio do ano.

Além desses, 2 em hiato:

Doors of Chaos, paralisado no seu terceiro volume. O quarto ainda está em produção e promete ser o último. Mesmo assim não há ainda uma previsão de quando será isso.

Kanpai! (Kimi no Unaji ni Kanpai!), da mesma autora de Gravitation, teve seus dois volumes lançados no Brasil e será retomado no Japão neste fim de ano após um hiato de 10 anos. Resenha.

Mas o que mais surpreende é a lista de futuros lançamentos da editora:

– Drug-on, seinen por Misaki Saitoh, 5 volumes.
Figure Maker, shounen por Okada Matuoka, volume único.
Gate 7, do CLAMP, shounen ainda em publicação, possui 1 volume. (Não houve nenhuma divulgação oficial da NP, a informação veio direto do Japão.)
– Hansel & Gretel, mangá brasileiro eternamente “em breve”.
– Helena, do Studio Seasons, mangá brasileiro, baseado no livro de Machado de Assis.
Made in Heaven, josei por Ami Sakurai e Yukari Yashiki, 2 volumes.
Red Garden, um seinen de 4 volumes.
– Além de um manhwa que ainda não foi divulgado o nome.

Abaixo confira os completos:
1945 (shoujo), volume único.
1 Litro de Lágrimas (seinen), volume único. Resenha.
Alice no País das Maravilhas (seinen), volume único totalmente colorido.
Amar e Ser Amado (Aishi Aisare) (shoujo), volume único.
Ark Angels (manhwa), 3 volumes.
Blood Honey (yaoi/josei), volume único.
Os Caça Fantasmas (mangá americano), volume único.
CSI: Investigação Criminal – Estágio de Risco (mangá americano), volume único.
Dark Metrô (seinen), 3 volumes.
Domo (mangá americano), volume único.
El Alamein e Outras Batalhas (seinen), volume único. Resenha.
God Save the Queen (seinen), volume único.
Grimms Mangá (shoujo), 2 volumes.
Hollow Fields (mangá australiano), 3 volumes. Resenha.
Metrópolis (shounen), volume único.
Shinshoku Kiss (josei), 2 volumes. Resenha.
Speed Racer (shounen), 2 volumes.
Tarot Café (manhwa), 7 volumes.
Vampire Kisses – Laços de Sangue (mangá americano), 3 volumes.
Warcraft: Death Knight (mangá americano), volume único.
Zucker (mangá brasileiro), volume único.

Novels:
Gravitation Novel BLUE, volume único.
Gravitation Novel RED, volume único.
Tarot Café: A Caçada Selvagem, volume único.

Mirabolante

Colaboradora do JBox desde setembro de 2009. Adora xingar a JBC (é o que dizem), é má influência pro Dudu (vide resenhas da JBC) e está trancada dentro de um armário desde 2012 (vide caixinha do Cloud).

Junte-se ao lado dos comentadores

Caretinha: smilewinkwassattonguelaughingsadangrycrying

  • o que eu mais espero é Gate 7 *-* bem q essa editora poderia lançar uns yuris, tipo girls friends, sasameki koto, moonlight flowers, etc *-* *sonho* tongue

  • a NewPOP lanço trabalhos das autoras de Tactics e Matantei Loki, seria lgl se publicasem eles, mas com essa periodicidade fica complicado =_= sem falar q nem sempre encontro os titulos deles nas bancas

    e ainda to puto da vida q K-On! teve aquele erro terrivel de chamar a Mio de Guitarrista… soh vou continuar comprando pq bom… eh K-On! ‘-‘

  • Vou esganar vocês se o volume 3 de Hetalia não aparecer aqui.

  • Já que o site da newpop nunca atualiza, ficamos sabendo de novidades aqui pelo jbox.

  • deles eu tenho 1 litro de lágrimas e a qualidade na adaptação e do mangá em si é excelente :p

  • O que eu fiquei sabendo era que a editora simplesmente parou porque o dono ficou doente. Se for verdade mesmo, que raio de empresa é essa que para de funcionar por um motivo desses?

    Já estava pensando que ia guardar o K-ON de recordação, porque ia ser cancelado.

  • gosto muito da qualidade da new pop, pena que a distribuição deles ainda seja muito muito muito setorizada e é uma raridade encontrar algum titulo deles que não sejam nas capital paulista

  • Horokeu, você deveria ler os créditos da empresa de vez enquanto. A NP, assim como a antiga Savana, a Lumus, a Zarabatana e a HQM, não são grandes empresas com grande sede e vários trabalhadores. São pequenos negócios onde pouquíssimas pessoas trabalham e fazem a maior parte do trabalho. Imagine que a Panini é um extra, a JBC é um Pão-de-Açucar e a Np e cia são as vendinhas do tio João. Se o tio João fica de cama, a vendinha fecha. Você não tem como exigir que uma pequena empresa se comporte como uma empresa mundial, com sede em mais de um país como a JBC e a Panini.

    Agora quanto ao cencelamento, seu medo é infundável, a NP já é estável, tem comprado vários títulos, o que mostra que tem capital. O último lançamento da empresa foi em Set, o que não é tanto tempo assim e a empresa sempre teve uma longa periodicidade, mas sempre completou suas séries. Não existe nada que indique uma falência.

  • Aê bom saber que K-ON não paro laughing
    Pow mas vale a pena esperar por um bom trabalho como o da NP wink
    Mesmo que tenha ums errinhos sussa. tongue
    Como o da Pagina 18 do K-ON quando os personagens são realmente apresentados: “Esta è a Guitarrista Mio-Chan” sendo que a Mio Akiyama è Baixista hehe

  • Pafael:
    9 de novembro de 2011, 08:23

    a NewPOP lanço trabalhos das autoras de Tactics e Matantei Loki, seria lgl se publicasem eles, mas com essa periodicidade fica complicado =_= sem falar q nem sempre encontro os titulos deles nas bancas
    e ainda to puto da vida q K-On! teve aquele erro terrivel de chamar a Mio de Guitarrista… soh vou continuar comprando pq bom… eh K-On! ‘-’

    Uia agora que fui ver que o Pafael notou o mesmo erro que o meu…
    no comentario assima.

  • Não querendo defender ou julgar nada, mas acho engraçado que os erros da Panini e JBC são tratados como “besteirinhas” pelos fãs que ficam irritados quando falo algo. Mas quando a editora NP erra 1 palavra em um mangá inteiro, todo mundo mete pau como se fosse algo inaceitável e ilegível. Queria eu que a JBC erasse 1 palavra, em vez de fazer merda no mangá inteiro.

  • Lance os mangás e eu creio que não faliu, e aliás: “- K-ON, obra completa em 4 volumes, teve o volume 1 lançado no meio do ano.” K-ON! JÁ RETORNOU NO JP TEM SÉCULOS!!!!!! Logo sai o vol 5 e ainda insistem que acabou.

  • K-ON! JÁ RETORNOU NO JP TEM SÉCULOS!!!!!! Logo sai o vol 5 e ainda insistem que acabou.

    Da série, não confie nos releases das editoras, procure por si mesmo, Allena, principalmente as séries que você não dá a mínima… -.-‘

  • Nossa, essa editora não publica nenhum shonen não? E qual é o título desse yaoi citado no post? Obrigado.

  • Cara! Como asim já saiu Dororo 3? Estou sempre a espera dos títulos da NewPop pela sua qualidade gráfica acima da média, mas não adianta nada aguardar e a revista não ser distribuía onde você mora…

    O negócio é esperar os eventos de anime para adquirir os mangás da editora…

    ^^v

  • Legal o jeito com que eles lançam os mangás, eles lançam junto com o Japão para não atrasar a periodicidade

  • Se não me engano, Dororo é direcionado às livrarias, não bancas.

  • a editora devia investir em algo de apelo mais amplo

    se quer um público mais velho e seleto devia começar pelos “mangás shonen renegados dos anos 90” que nem a JBC e a panini parecem ter interesse

    como Hokuto no Ken, Shurato, Bucky, Fly….

    ia conseguir uma amplitude bem maior que com Hetalia ou Gate 7 que vendem para nichos BEEEM mais específicos

  • Por incrível que pareça, Clamp e Hetalia vendem muito bem, se não me engano clamp tinha tiragem de 25~30 mil. O que só perde para os Narutos da vida.

    Por outro lado, coisas antigas são de um nicho estremamente limitado que não parece vender tão bem no Brasil. Tirando DB.

  • A Newpop realmente tem vários problemas, mas não podemos compará-la com Jbc e Panini que já estão no mercado a muitos anos, toda empresa começa pequena e com poucos funcionários, por isso que às vezes alguns erros de edição passam despercebidos, até a jbc e a panini quando começaram a publicar seus mangás tinham erros (já leram a primeira fase de GMR? É uma coisa terrivel! E aquele mangá de Gundam Wing? Totalmente fail)

    Gostei da sua comparação Allena, mas acho que a panini que deveria ser o pão de açucar, já que os mangás dela são mais ‘bem feitos’, se bem que a mais cara é a jbc, assim como as coisas do pão de açucar

    E eu também acredito que Clamp venda bem, já que elas tem uma Fandom muito grande no mundo e no Brasil tbm. E não são só os fãs que compram seus mangás, muitas outras pessoas tbm compram quando se interessam por uma história específica.

  • Foi mais em tamanho que qualquer outra coisa, Pão-de-Açucar geralmente é menor que os extras que ocupam um terreno gigantesco e você se perde lá dentro.

    Antes que alguém reclame ou me acuse de algo, não digo que não é para melhorar, é sim, mas certas coisas como periodicidade e tal, é algo complicado para uma empresa de pequeno porte e isso nós temos que ter consciência. O que você comentou é bem verdade, perto dos primeiros mangás da JBC e da Panini, a NP começou muito bem. Quando fui ler Crying Freeman da Panini que não é nem tão velho assim fiquei horrorizada com a quantidade absurda de erros de português e a completa falta de habilidade de edição.

    Querendo ou não, edição, tradução e tal são coisas que melhoram com experiência, e pagar gente experiente é muito caro, fica difícil de se esperar que uma pequena empresa possa pagar algo nesse nível. E se o fizer, isso vai aumentar os custos do mangá, fatalmente.

    Se teve algum erro no seu mangá, envie para a editora, eu duvido que eles não leiam e corrijam. Se tem sugestões, reclamações, se não chega na sua cidade, envie um e-mail perguntando e comentando.

  • K-on acabou sim,ao menos a primeira fase(delas na escola).Atualmente o K-on é publicado em duas partes no japão alternadamente:uma mostrando Azusa e as amigas delas ainda na escola no clube de música,e outra mostrando as outras meninas na faculdade.
    A primeira fase de K-on tem 4 volumes e é o que a NP tá publicando,se vai publicar as outras fases,aí só com ela mesmo…

  • Mad.Allena:
    9 de novembro de 2011, 12:30

    Horokeu, você deveria ler os créditos da empresa de vez enquanto. A NP, assim como a antiga Savana, a Lumus, a Zarabatana e a HQM, não são grandes empresas com grande sede e vários trabalhadores. São pequenos negócios onde pouquíssimas pessoas trabalham e fazem a maior parte do trabalho. Imagine que a Panini é um extra, a JBC é um Pão-de-Açucar e a Np e cia são as vendinhas do tio João. Se o tio João fica de cama, a vendinha fecha. Você não tem como exigir que uma pequena empresa se comporte como uma empresa mundial, com sede em mais de um país como a JBC e a Panini.
    Agora quanto ao cencelamento, seu medo é infundável, a NP já é estável, tem comprado vários títulos, o que mostra que tem capital. O último lançamento da empresa foi em Set, o que não é tanto tempo assim e a empresa sempre teve uma longa periodicidade, mas sempre completou suas séries. Não existe nada que indique uma falência.

    Vou ter que discordar de você, pois mesmo no armarinho da esquina quando a dona fica doente, é o filho ou irmã dela que toma conta do negócio, outro exemplo é quando o dono do bar daqui da rua fica indisposto é a esposa dele, no caso, que cuida de tudo, para falar a verdade no bairro onde moro nenhum proprietário fecha o comércio por motivo de doença, eles fecham isso quando alguém da família morre, quando são vítimas de assalto no estabelecimento e logicamente nos feriados, pois fora isso tem sempre alguém para substituir o dono.
    Na boa não entra na minha cabeça que a NP não tinha ninguém capaz de assumir o lugar do dono nas responsabilidades. Desculpe-me, mas considero inadmissível que no mundo capitalista que vivemos uma empresa que não possua um único individuo que consiga tomar conta do negócio, independente do tamanho dela.

  • Vou ter que discordar de você, pois mesmo no armarinho da esquina quando a dona fica doente, é o filho ou irmã dela que toma conta do negócio, outro exemplo é quando o dono do bar daqui da rua fica indisposto é a esposa dele, no caso, que cuida de tudo, para falar a verdade no bairro onde moro nenhum proprietário fecha o comércio por motivo de doença, eles fecham isso quando alguém da família morre, quando são vítimas de assalto no estabelecimento e logicamente nos feriados, pois fora isso tem sempre alguém para substituir o dono.
    Na boa não entra na minha cabeça que a NP não tinha ninguém capaz de assumir o lugar do dono nas responsabilidades. Desculpe-me, mas considero inadmissível que no mundo capitalista que vivemos uma empresa que não possua um único individuo que consiga tomar conta do negócio, independente do tamanho dela.

    Uma vendinha é algo menos complicado que uma editora. Existe tradução, achar um tradutor, negociar preço com o tradutor, revisor o mesmo, editar o mesmo. Sair cobrando, negociar com gráfica, conferir bonecos, negociar com transportadoras, conferir finanças, pagar taxas, royalties.
    A coisa piora quando muito é feito em inglês e japonês. Não é algo que uma mãe ou irmão possam cuidar.

    É um trabalho complicado e que exige uma série de habilidades e experiências, fora que mexe com coisas muito delicadas. Não é algo que um parente posso tomar conta, nem algo que se possa confiar cegamente para outro.

    Imagine que o farmacéutico da esquina fica doente e põe o irmão dele para fazer os unguentos e misturas, qual a chance do cara fazer uma merda enorme? O melhor é que a empresa fique quieta do que causa merda.

    Por outro lado, existe o fato de que uma editora não está só ativa quando faz lançamentos, mas o fato de haver traduções, revisões, edições em andamento, compras de títulos e tudo mais mostra que a empresa não está parada. No máximo devagar, aos poucos. A maior parte do processo de produção de um mangá é invisível para os leitores e pode levar um bom tempo, dependendo do tipo ou forma que se trata o material. Se houve o lançamento de algo em set, te garanto que agosto a empresa estava ativa.

    Veja só, K-ON em Julho, Agosto não tem nada, Dororo3 em Setembro, Outubro não tem nada, Novembro previsto 2. Não houve parada alguma se você pensar que a editora leva cerca de 1 mês para completar a produção.

    O que houve foi muita gente desatualizada que achou que K-ON foi o último título lançado, logo estava “morta” a quase 5 meses. Muito site de baixíssima confiabilidade ficou fazendo escândalo em cima de boatos e tal, dizendo que a empresa faliu, quando nunca houve notícia de nada disso. Nem sei se o cara ficou mesmo doente. A empresa já teve paradas MUITO maiores que 1 mês no passado.

    Em todo caso, independente de ser aceitável ou não a parada, de ser possível ou não alguém tomar o lugar, como você argumentou, isso não parece ter nem ocorrido para poder ser discutido. Não houve nenhuma parada, não houve nenhum sumiço, apenas boatos. No máximo podemos criticar a divulgação da editora. E quanto aos “desatualizamentos” pela net, a editora sempre foi sazonal nesse sentido, épocas de grande comunicação, épocas de sumiço, não é de hoje isso. Mas se falta de comunicação ou atualização de site e tal fosse falência a Panini tinha falido faz anos.

  • Po, Allena, pega leve. Eu só reproduzi o que eu li. E a partir do momento que eles assumiram o compromisso de lançar algo mensalmente — ou com periodicidade parecida — nada mais justo do que se ESPERAR que eles o façam corretamente.
    Não entendi sua indicação pra me fazer “ler os créditos”… é óbvio que a empresa é pequena, mas não justifica a paralisação CASO seja realmente o que eu falei sobre o dono estar doente. Devem haver pessoas pra ficarem responsáveis pela “banquinha de frutas” caso o dono não possa levar os produtos pra feira. Senão, ora, como vou ter confiança em uma empresa dessas? Se os caras fossem tão fundo de quintal assim não conseguiriam licença pra publicar K-ON.

    Só espero que seus próximos comentários sejam no nível (ótimo) dos seus posts, e não deixe o lado fangirl atacar tanto.tongue

  • Horokeu, desculpa se pareci muito agressiva, ando bem estressada. Concordo com você que se a editora diz que será mensal, é legal esperar que ela cumpra. Mas até aí problema de periodicidade e checklist parece ser uma doença brasileira, né? LOL

    Eu indiquei que você desse uma lida para perceber que são poucos empregados tirando os contratados para trabalhos específicos. Compare aquela lista às da Panini e JBC , que são imensas. Minha experiêcia própria, meu tio tem uma loja de eletrônico, daqueles que montam home theater em casa, ele faz tudo, ele que corre atrás de material, ele que viaja e busca os melhores aparelhos, busca novidades, ele que vigia os empregados, que inspenciona tudo, a qualidade da empresa dele está toda sobre os ombros dele. Ele que lida com clientes, que resolve problemas, que compra os produtos, que recebe os cheques. A verdade é que no Brasil muitas pessoas não tem com quem contar e contar com alguém significa risco, acaba ficando tudo nas costas dessa pessoa e é isso que torna a empresa tão boa. O toque pessoal na empresa é o que movimenta tudo, é o interesse de uma pessoa que move tudo.

    No caso do meu tio, ele começou como um troço de meia tigela e hoje em dia ele faz trabalhos para o Silvio Santos e milionários retardados. O toque pessoal dele que faz toda a diferença, um trabalho desse você não pode se dar ao luxo de confiar em alguém. Não tô dizendo que é a mesma coisa, mas isso acontece e muito de algum modo nas pequenas empresas.

    Outro exemplo é a doceria onde comprava meus floresta-negras, o dia que a nona se aposentou o bolo já não era o mesmo, perdeu os cliente e fechou. As vezes substituição não é uma alternativa. =/

    Em todo caso, eu prefiro, EU, que demore e seja bem-feito, do que seja rápido e feito por um outro alguém que talvez não seja tão bom. Imagine que a Karen ficou doente por 3 meses, eu espero ela sarar… Deus me livre dar para outro. Saca? Eu espero o quanto eles quiserem, só não me lancem merda
    ! /olha a JBC

  • Uhahahhahahhahahahaha, Allena faz o que na NewPop?

    Concerteza trabalha lá. rsrs

    Allena, ninguém é insubstituivel, ainda mais com a net hoje em dia, o dono pode delegar alguém para as funções e atravéz da net (mesmo sem sair de casa), falar o que deseja. A net existe pra isso. ^^

    O povo exagera mesmo. Quem derá a JBC e Panini tivesse a qualidade gráfica e organização da NewPop, e lançar material com qualidade boa e espaçado. O povo reclama de bimestral e trimestral. Mais se sai-se trimestral todos os mangás, poderiamos ter 1 material com qualidade bem maior e bem adaptado (jbc, coff (acho que li em Kobato velhaco e tiraram o Dobato, pqp)).

    Ahh. Adoro a qualidade gráfica da NewPop e o espaçamento. Se a NewPop tive-se tudo trimestral e 2 mangás diferentes por mês nas bancas, já estaria maravilhoso. tongue

    1 litro de lágrimas fico impecávem a qualidade. laughinglaughing

  • tiago, ninguém é insubstituível, mas isso não quer dizer que seja substituível por uma só pessoa. Você vai pagar o extra em contratar mais gente? xDDD
    E se ele tiver em coma?!?! LOL

  • Mad.Allena:
    10 de novembro de 2011, 21:18

    tiago, ninguém é insubstituível, mas isso não quer dizer que seja substituível por uma só pessoa. Você vai pagar o extra em contratar mais gente? xDDD
    E se ele tiver em coma?!?! LOL

    Vira essa boca pra lá, estou aqui esperando Gate 7. rsrs

  • Um manhwa de nome não divulgado…. Hmm, seria legal se fosse The Breaker tongue

  • Mad.Allena:
    10 de novembro de 2011, 15:11

    Horokeu, desculpa se pareci muito agressiva, ando bem estressada. Concordo com você que se a editora diz que será mensal, é legal esperar que ela cumpra. Mas até aí problema de periodicidade e checklist parece ser uma doença brasileira, né? LOL
    Eu indiquei que você desse uma lida para perceber que são poucos empregados tirando os contratados para trabalhos específicos. Compare aquela lista às da Panini e JBC , que são imensas. Minha experiêcia própria, meu tio tem uma loja de eletrônico, daqueles que montam home theater em casa, ele faz tudo, ele que corre atrás de material, ele que viaja e busca os melhores aparelhos, busca novidades, ele que vigia os empregados, que inspenciona tudo, a qualidade da empresa dele está toda sobre os ombros dele. Ele que lida com clientes, que resolve problemas, que compra os produtos, que recebe os cheques. A verdade é que no Brasil muitas pessoas não tem com quem contar e contar com alguém significa risco, acaba ficando tudo nas costas dessa pessoa e é isso que torna a empresa tão boa. O toque pessoal na empresa é o que movimenta tudo, é o interesse de uma pessoa que move tudo.
    No caso do meu tio, ele começou como um troço de meia tigela e hoje em dia ele faz trabalhos para o Silvio Santos e milionários retardados. O toque pessoal dele que faz toda a diferença, um trabalho desse você não pode se dar ao luxo de confiar em alguém. Não tô dizendo que é a mesma coisa, mas isso acontece e muito de algum modo nas pequenas empresas.
    Outro exemplo é a doceria onde comprava meus floresta-negras, o dia que a nona se aposentou o bolo já não era o mesmo, perdeu os cliente e fechou. As vezes substituição não é uma alternativa. =/
    Em todo caso, eu prefiro, EU, que demore e seja bem-feito, do que seja rápido e feito por um outro alguém que talvez não seja tão bom. Imagine que a Karen ficou doente por 3 meses, eu espero ela sarar… Deus me livre dar para outro. Saca? Eu espero o quanto eles quiserem, só não me lancem merda
    ! /olha a JBC

    .Voltando de viagem…
    Quando o farmacêutico da esquina fica doente ou ele não se encontra presente por qualquer outro motivo, tem uma outra pessoa que fica no lugar dele, pelo menos é assim onde moro.
    Então se o seu tio ficar doente ou se acontecer coisa pior com ele (bate 3x na madeira!) a empresa dele fecha é isso mesmo que eu entendi? Na boa qualquer empresa minimamente qualificada precisa de mais uma pessoa com habilidade suficiente para assumir o comando de tudo. Todas as empresas que conheço sejam grandes, médias ou pequenas tem alguém ou um grupo com capacidade suficiente para assumir a liderança do negócio, a empresa não pode depender única e exclusivamente de uma pessoa.

    Concordo que a qualidade dos mangás da NP é muito boa, mas a minha bronca com essa editora é o fato de ser muito difícil de achar um título dela na banca, só encontro mangás da NP em eventos de anime (dos quais não sou um freqüentador assíduo), mesmo nas livrarias eu só vejo um ou outro título dela e aí quando a gente tentar algum contato com a editora não recebe resposta, o pessoal da NewPOP não solta nem uma nota de esclarecimento sobre o que está ocorrendo com ela. O marketing da Panini também possui inúmeros defeitos, mas pelo menos o mangá dela está todo mês na banca ao contrário da NP.
    Eu prefiro que algo seja bem-feito mas que não precise levar mil anos para ficar pronto. Usando o seu exemplo, se a Karen ficasse doente, eu iria avaliar o trabalho do seu substituto: se for bom continuo acompanhando, mas se for ruim vou atrás de uma outra tradução, só não vou ficar esperando de braços cruzados a recuperação da dita cuja.

  • Eduardo Shinonome (@eduardoketsura_) - 19 de novembro de 2011, 16:53 Citar

    Mad.Allena:
    9 de novembro de 2011, 15:04

    K-ON! JÁ RETORNOU NO JP TEM SÉCULOS!!!!!! Logo sai o vol 5 e ainda insistem que acabou.

    Da série, não confie nos releases das editoras, procure por si mesmo, Allena, principalmente as séries que você não dá a mínima… -.-’

    Eu sei, eu leio a nova fase de K-ON! via scans, so acho foda eles colocarem isso.