Mangás: Guia das Demais Editoras

Existe vida além da Panini e JBC?

Além das nossas conhecidas Panini (a imensa), JBC (a grande) e NewPOP (a… Média?), existem várias outras editoras que tentam aproveitar o mercado de quadrinhos orientais e adaptações. Embora infelizmente a maioria desande… Confira as notícias e obras dessas editoras à seguir:

Sobre a Conrad não se tem muita novidade. Seus vários órfãos continuam abandonados, um deles chegou a ser adotado pela JBC e alguns especulam que One Piece talvez seja também. Chegou-se a veicular uma lista de “cancelados”, que depois foi desmentida. Mas no final das contas era verdade que a Conrad perdeu os direito de Neon Genesis Evangelion.

A editora lançou alguns manhwas (quadrinhos coreanos) tendo completados quase todos. Restou apenas Dangu, de 9 volumes. Atualmente tal vem sendo lançado num ritmo aparentemente trimestral e está na 7ª edição. Nenhum outro quadrinho foi divulgado para substituir os concluídos, resta esperar o final de Dangu.

Foi dito também que em 2011 Nausicaä voltaria, mas mais nada desde então. Além de um quadrinho chamado “Pung – Guerreiro Supremo” que a partir de uma lista extra-oficial se supunha que viria a ser lançado pela Conrad.

Outras obras da Conrad: Adolf, Angry, Bambi, Banya, Battle Royale, Blade, Buda, Cavaleiros do Zodíaco – Episódio G, Cavaleiros do Zodíaco, Che, Chonchu, Cinderalla, COWA!, Dead Boy Detectives, Delivery Service Of Corpse, Dr. Slump, Dragon Ball, Dragon Ball Z, Ero-Guro, Fushigi Yūgi, Gen Pés Descalços, Gon, Gourmet, Gui, Kajika, Marusaku, Megaman NT Warrior, Melodia Infernal, Model, Monster, Na Prisão, Nausicaä, Nekomajin, Neon Genesis: Evangelion, Neon Genesis Evangelion: the Iron Maiden, One piece, Ooru, Osamu Tezuka: Uma Biografia Mangá, Panorama do Inferno, Paradise Kiss, Paraíso, Preto & Branco, Princess Ai, Ragnarök, Ring – O Chamado, Sanctuary, Sade, Sand Land, Slam Dunk, Speed Racer, Starcraft, Tempest, Uzumaki, Vagabond, O vampiro que ri, Warcraft – A Trilogia da Fonte do Sol, Warcraft – Lendas, Yuki e Zettai Kareshi.

Já a Savana após ter lançado o primeiro volume de 3 das 4 séries anunciadas desapareceu. O site saiu do ar, e-mails não são mais respondidos, comunidades abandonadas e aparentemente o espaço físico não existe mais. As séries lançadas foram Unordinary Life, Tokyo Box e Aflame Inferno. Jack Frost nunca chegou a aparecer. Como tal sumiu do mapa, não houve uma notícia oficial de encerramento.

Muitos meses atrás a editora HQM anunciou Who Fighter e O Coração das Trevas e Lullabies from Hell. A editora acabou lançando um deles, o Who fighter. Mas ainda não se tem notícia do segundo. Além destes a editora surpreendeu ao trazer dois “mangás” brasileiros, Vitral e O Príncipe do Best Seller. Ambos tiveram seu primeiro volume lançado em Julho, mas não se tem uma previsão da continuação.

Além dessas, a On line trouxe vários títulos da TokyoPop, a maioria nem lembra mangás, mas dá para chamar de mangá OEL. Até agora a editora bombardeou as bancas com volumes 1, mas não foi indicado uma periodicidade. Uma coisa que notei (baseado em apenas dois volumes comprados) é que a qualidade física da editora é horrível. A capa é tão mole que me lembra capinha de gibi da mônica, as páginas dão medo de folhear, juro que rasga se pegar com muita força. É o acabamento mais barato e pobre possível, pior que isso só em papel-manteiga… É o tipo de volume que quando você segura o livro este se deforma todinho, super-hiper mole, me deu aflição (é, todo mundo já entendeu, Allena…).

Além destes teve a divulgação de Disney Mangás (a Disney é super valorizada no Japão), foram eles W.I.T.C.H., Vidia e o Sumiço da Coroa e Princess Kilala. Embora tenha sido dito em alguns lugares que já foi lançado alguns deles, juro que não vi em lugar algum para comprar.

Há um tempo a Abril afirmou que entraria no mercado com a obra Kingdom Hearts, mas o lançamento não ocorreu por restrições da própria Square Enix, a produtora do jogo. Tal restrição envolvia o fato do game nunca ter sido lançado oficialmente no Brasil. Desde então a Abril não teve demonstrou nenhum interesse em explorar o mundo dos mangás.

Vale a pena recordar das editoras Lumus – que não trabalha mais com publicações, mas possui um título ainda não finalizado na Coreia, Priest, que surpreendentemente ainda continua paralisado e a Zarabatana Books – que parou de investir nesse tipo de obra e não tem nenhuma previsão de voltar (uma pena, o trabalho dela é muito bom). Mas os trabalhos de ambas ainda podem ser encontrados em lojas especializadas e sebos (caso tenham interesse).

Publicidade
close