De Olho no Japão: As Consequências do Tsunami

Como a catástrofe afetou os animes e mangás.

Não é novidade para ninguém os terremotos, tsunamis e problemas nucleares que o Japão sofreu e está sofrendo. É claro que uma situação dessa vai gerar consequências a curto, médio e longo prazo.

A curto prazo (em se tratando do assunto deste site: cultura pop) houve o atraso no lançamento de novos episódios de animes e volumes de mangás, além do cancelamento de eventos, exposições e shows. Isso não é nada mais do que o esperado, quem iria dar a mínima a isso no meio de um desastre?

Após alguns dias, outras consequências começam a aparecer: o cancelamento e a censura de certas obras.

O Japão e sua população são em sua maioria muito ligados a coisas espirituais e místicas, além de um forte moralismo. Lançar algo que lembre minimamente o desastre é inadmissível. O mesmo não é tão forte no ocidente, onde depois de algum tempo (às vezes imediatamente) vira seriado, filme e vira sátira até mesmo em animações como Os Simpsons, South Park etc.

Alguns casos: o filme de Pretty Cure foi “editado” e uma parte que mostrava uma tsunami foi rancado fora.  Outro exemplo foi o anime em reprise Tokyo Magnitude 8.0 que foi substituído por mostrar cenas de terremoto.

O mesmo ocorreu com games, o jogo Root Double foi adiado “devido às circunstâncias”, já que possui cenas de um desastre nuclear. O live-action Aftershock foi cancelado o lançamento e não se tem uma data ainda.

Animes como Gosick, DD Hokuto no Ken e o longa Gokaiger Goseiger Super Sentai 199 Hero Daikessen sofreram atrasos. O lançamento dos DVDs Baka to Test to Shoukanjuu: Matsuri, Freezing, Infinite Stratos, MM! e Queen’s Blade Utsukushiki Toushi-tachi também foram adiados.

Os mangás também não se salvaram: Tomonori Inoue provavelmente será obrigado a adiar sua nova criação “Coppelion”. Da mesma forma as revistas como a Weekly Shonen Magazine e as outras da Shueisha sofrerão atrasos durante algum tempo. O mesmo ocorrerá com Weekly Shonen Sunday e outras publicações da Shogakukan.

Por enquanto a “zona” vai se manter, uma vez que todos os esforços estão focados no auxílio aos sobreviventes e a resolução dos problemas (como o nuclear). Isso explica também a “falta” de notícias nos sites especializados em anime – como este.

Uma vez que tudo se acalme, vamos encarar as decisões das empresas, talvez cancelamento de vez mesmo, mais censuras ou o que o destino nos reservar. E só as divindades sabem o que acontecerá a longo prazo.

Publicidade
close