Resenha: Honey & Clover Volumes 1 à 10 – Editora Panini

Taí uma obra que vai deixar saudades…

Honey & Clover é uma série que vai deixar saudades já que esse mês foi lançado o décimo e último volume da obra pela Panini Comics aqui no Brasil. HC é uma série josei e inicialmente foi publicada na quase desconhecida CUTiE Comic da Takarajimasha, que parece ser uma daquelas editoras menores que compõem um grande grupo. Seja como for depois de 14 capítulos nessa revista o mangá migrou para a Young You da Shueisha que foi cancelada em 2005 o que fez a série se mudar novamente, dessa vez para a Chorus (também da Shueisha) onde foi publicada até o seu encerramento.

Honey & Clover fez bastante sucesso, ganhou até uma versão animada que também foi bem sucedida e acabou gerando uma segunda temporada, fato raro entre os shoujo mangá e mais raro ainda se considerarmos que HC é um josei. O título foi lançado em capítulos entre Junho de 2000 até 28 de Julho de 2006, chegando a um total de 64 capítulos e 10 volumes, e além das já citadas duas temporadas de série animada, ganhou um filme em Live-Action japonês, um Drama (novela) japonês em onze episódios e um Drama Tawianês de catorze episódios. O mangá também conquistou o 27º Prêmio da Kodansha na categoria de mangá shoujo (mas é josei!).

Eu não sabia, mas o @emforest me contou pelo Twitter que o nome do mangá se deve ao fato da Chica Umino ser fã da banda Spitz e do cantor e compositor Suga Shikao, Hachimistu (Honey, Mel em japonês) é o nome do primeiro CD do Spitz e Clover é o nome do disco de estreia do Suga Shikao. Fui checar as informações e era isso mesmo. Além disso, o visual do Mayama foi baseado no Suga Shikao, confesso que lendo o mangá nunca reparei isso, conferindo eu não imaginava que a semelhança entre os dois fosse tanta.

Mesmo analisando friamente, Honey & Clover é de longe o melhor mangá na linha shoujo/josei já publicado no país, mas eu ainda gosto mais de Paradise Kiss o mangá mistura comédia, drama e romance nas medidas certas, tem um traço espetacular e totalmente original e a Chica Umino sabe como contar uma boa história.

A história começa um pouco abrupta, nós conhecemos o mundo de Honey & Clover através dos olhos do jovem Yuuta Takemoto, um aluno do primeiro ano do curso de artes de uma faculdade e o acompanhamos a partir do momento em que ele conhece e se apaixona por Hagumi Hanamoto, jovem de grande talento artístico também chamada de Hagu, e prima em segundo grau do professor Shuuji Hanamoto. É meio difícil se situar no começo da história, informação demais, o traço também não é muito bonito e os cenários são poucos, mas lá pelo terceiro volume a arte já está no padrão que se manteve até o final. A autora explica durante o mangá que no começo da publicação ela não tinha edições.

A história que parece abrupta nos primeiros volumes, mas quando é lida novamente parece fazer muito mais sentido do que da primeira vez. O núcleo principal de cinco amigos é formado por: Yuuta Takemoto, o garoto bonzinho, pobre e perdedor; Takumi Mayama, o senpai responsável e stalker; Shinobu Morita, o cara engraçadão e patético que faz tudo por dinheiro e já está no oitavo ano da faculdade; e Ayumi Yamada, a beldade da faculdade, esforçada e que sofre de um amor não correspondido por Mayama e Hagumi Hanamoto. Claro que há muitos outros personagens secundários brilhantes (a agência do primeiro emprego do Mayama merecia um mangá só para ela) e há os cachorros. Os cachorros!! Midori-chan e o Líder mereciam capas deles sozinhos, é impossível não pensar: Owwwwn!! Eles roubam demais as cenas.

Conforme a história prossegue nós vemos os personagens se esforçando para conseguir o primeiro emprego ou estabelecer uma carreira, os dilemas da vida de um artista, se divertindo… A vida. O mangá segue Takemoto desde o encontro até a despedida de seu primeiro amor (desculpem pelo spoiler, mas esse é um review), o final em aberto apesar de frustante é igual à vida, nunca há finais felizes, apenas novos começos, mas mesmo assim não tem como não gostar. Depois de ler o final bate aquela sensação: E agora? Há muito tempo isso não acontecia comigo, Honey & Clover vai deixar uma lacuna em aberto, confesso que eu queria mais extras, mais capítulos especiais, mais volumes e até agora estou me perguntando: Cadê meus amigos japoneses? Aonde eles estão? Como faço para encontrá-los de novo? Só relendo o mangá, infelizmente. Outra coisa que vai deixar saudades são os extras. E agora? Cadê a Vila Umino? Cadê Papai Umino e suas alegres companheiras?

Aqui no Brasil o mangá foi publicado a partir de 14 de Maio de 2009 e o último volume foi lançado em março de 2011. A qualidade de edição da Panini foi muito boa, as imagens mantiveram um padrão de qualidade bom do começo ao fim e esse é um mangá MUITO difícil de se editar apesar da qualidade de edição de imagens da Panini estar caindo (volta Beatriz Berto!!). A tradução ficou a cargo da Karen Kazumi Hayashida que fez um trabalho muito bom. A adaptação ficou bem legal, coloquial, natural e ainda assim polida, sem palavrões ou adaptações toscas que poderiam ser facilmente encaixadas nesse mangá. Os honoríficos foram respeitados, as capas originais foram usadas com pouquíssima alteração (e que capas!) e teve glossários.

Saudades, foi bom enquanto durou, agora espero ansioso pela vinda de Sangatsu no Lion, novo mangá da Chica Umino que já tem cinco volumes lançados no Japão e é um enorme sucesso de público e crítica.

Título original: Hachimitsu to Kurobaa (Honey & Clover) – também é conhecido como HachiKuro.
Autora: Chica Umino
Formato: 13,7 x 20
Duração: 10 volumes
Preço: R$9,90
Demográfico: Josei
Gênero: Comédia, Romance, Drama, Slice of Life

Publicidade
close