Otaku Neoclássico #3: Tengen Toppa Gurren Lagann

Mais uma insanidade do Gainax.

“Do the impossible/ See the invisible/ Row, Row Fight the Power!/ Touch the untouchable/ Break the Unbreakable/ Row, Row Fight the Power!”

Esse trecho do refrão de “Libera-Me” From Hell de Iwasaki Taku resume perfeitamente a essência de um dos animes mais insanos a surgirem na última década: Tengen Toppa Gurren Lagann (algo como “Gurren Lagann que Atravessa o Céu”).

A animação original do estúdio Gainax foi bancada pela gigante Konami e exibida entre Abril e Setembro de 2007 pela TV Tokyo.

A história fala de Simon, um garoto orfão habitante da Vila Jeeha, uma das várias cidades subterrâneas nas quais a humanidade teve de passar a habitar para fugir dos ataques dos Homens-Fera, seres animalescos armados com robôs gigantes, os Ganmens. O menino passa todos os seus dias cavando túneis e tem como meta de vida continuar cavando em busca de tesouros­­. Um dia ele encontra um estranho objeto em forma de broca e próximo a ele um enorme rosto. Assim que volta da escavação, Simon se encontra com Kamina, um jovem que se diz o irmão mais velho do garoto.

O rapaz diz que tem um plano que irá levá-los à lendária superfície. O problema é que o “plano” consistia em amontoar um monte de animais até o topo para que pudessem atravessá-lo. A estratégia obviamente falha e o líder da vila diz que a história de Kamina não passa de uma mentira. Entretanto logo descobrimos que era tudo verdade, pois um robô gigante em forma de face (Ganmen em japonês quer dizer “face gigantesca”) despenca em Jeeha arrebentando o teto da vila e revelando o mundo exterior. Junto a ele surge a senhorita fan-service ambulante, Yoko. Uma luta ocorre contra o Mecha e assim começam as aventuras de Simon e Kamina e a batalha da humanidade pela libertação.

A primeira coisa que qualquer pessoa que assista TTGL vai notar é a ótima qualidade da animação. O dinheiro da Konami foi bem aplicado, pois apesar do traço simples que emula o estilo dos desenhos americanos, a fluidez dos movimentos é de impressionar, chegando ao extremo de um único episódio possuir por volta de 22000 quadros (!!!!).

As cenas de batalha são impressionantes e adicionam muito à tensão dos combates. Nos primeiros episódios são usados diversos flashbacks, – o que pode dar a alguns uma má impressão da série, entretanto cujo motivo explicarei em breve – mas isso melhora com o tempo, principalmente no arco final.

O design de personagens foi feito por Atsushi Nishigori (responsável também por outro anime bizarro da Gainax, Panty & Stocking with Garterbelt) e apresenta uma variação grande de rostos e estilos, a maioria bastante original. Cada cena do anime é praticamente uma exaltação do “cool”, utilizando-se de um abuso das poses exageradas que em certos momentos chega a ser irritante.

A direção de Imaishi Hiroyuki (que também dirigiu os amalucados FLCL, Panty & Stocking with Garterbelts e Dead Leaves) é muito bem feita, utilizando-se de cortes rápidos e closes (boa parte deles nos atrativos da Yoko) para criar uma sensação de velocidade. Em muitos momentos parece que algo será atirado bem na sua cara (o que me faz imaginar como seria assistir TTGL em 3-D) e o uso dos conhecidos exageros visuais de animes é constante. É impressionante que em determinados momentos a série consiga ser séria, pois o tom cômico é um fator tão presente quanto os absurdos (e o fan-service).

A trilha sonora de Iwasaki Taku (Read or Die OVA, Soul Eater, Kuroshitsuji I e II) merece uma menção à parte. Trata-se de uma mistura de músicas eletrônicas, heavy metal, hip-hop e jpop. O ápice dessa amálgama de estilos é a já citada “Libera-Me”  from Hell, que mistura rap americano com ópera italiana cantada em latim. O resultado é tão diferente que se tornou mais popular entre os fãs até que o tema original do Dai-Gurren Dan, “Rap Wa Kan No Tamashii Da! Onore Wo Shinjite Ten Wo Yubi Sasu Dotou No Otoko Kamina-Sama No Theme Wo Mimi No Ana Kappo Jitte Yo Kukiki Yagare!!” (!!!!).

O ponto mais fraco da série é também um de seus pontos mais fortes: a história. Assim como todo o resto, essa parte do anime também vai além dos limites lógicos. O enredo é completamente absurdo e muitas vezes exige que o espectador desligue o cérebro para poder apreciar o que está vendo. De certo modo é compreensível que algumas pessoas se sintam um pouco ofendidas por robôs mensuráveis apenas em milhões de anos-luz que atiram galáxias como shurikens e continuam de pé após receberem o dano de big bangs, porém, ao mesmo tempo em que para alguns é uma falha, o nível de maluquice do roteiro atrai outros justamente por ser uma fuga do usual. TTGL não tem pretensões de ser um anime profundo, mas apenas divertido e nisso ele acerta em cheio.

As personagens são extremamente carismáticas e conseguem superar os estereótipos em que se baseiam, muito disso devido ao ótimo trabalho de caracterização por parte dos Seyuus. Tamanho era o apego de alguns fãs que após a morte de um personagem em especial houve quase um boicote à série (os diretores de criação da Marvel deveriam assistir TTGL antes de saírem por aí matando heróis e fazendo eventos…).

As situações propostas são também criadas em cima dos chavões da animação japonesa, contudo elas se tornam originais pela maneira como são abordadas. É muito fácil fazer um episódio de praia (não é mesmo, Rose?), porém fazê-lo ao mesmo tempo em que se desenvolvem as personagens, se avança a história e se cria o pano de fundo para uma batalha grandiosa é uma tarefa ingrata para qualquer roteirista.

No Japão o anime passou por um processo complicado antes de cair nas graças do público. Diferente de uma outra série não muito conhecida sobre Mechas criada pela Gainax, TTGL foi concebido para ser um sucesso instantâneo. Do roteiro simplificado às qualidades técnicas, a obra toda foi idealizada para ser de fácil digestão, afinal era o dinheiro da Konami que estava em risco e ela precisava  vender seus brinquedos. Entretanto, nas primeiras semanas de exibição, um problema com um dos funcionários do estúdio do senhor Hideaki Anno e alguns membros do fórum da empresa fizeram com que ocorresse um boicote à animação.

Devido a isso houveram diversas discussões dentro da Gainax para tentar-se chegar numa solução para atrair a audiência para a série. Resolveram então fazer os diversos episódios-resumo que ocorrem nos primeiros capítulos. O Objetivo? Apresentar a série à novos fãs constantemente. E, no final, deu certo, pois não só no Japão como também nos Estados Unidos e na Europa a série foi um grande sucesso, chegando ao extremo do símbolo do Dai-Gurren Dan ganhar uma votação do jornal britânico Daily Telegraph que pretendia escolher um novo símbolo para a bandeira do Reino Unido.

A série conta com dois filmes-resumo – Tengen Toppa Gurren Lagann: Guren-hen e Tengen Toppa Gurren Lagann: Lagan-hen – além dos especiais Paralel Works e Paralel Works 2, que contam várias histórias ­amalucadas utilizando as personagens do anime.

Tengen Toopa Gurren Lagann é exatamente o oposto de Shin Seiki Evangelion. Não se trata de uma obra experimental e sim do ápice a que pode chegar um anime de ação desenfreada. Não há realismo nos personagens, mas sim uma verdadeira redefinição do épico exagerado, uma glorificação ao agir sem pensar, uma rasteira na lógica e no sentido, uma abraçar de todos os clichês possíveis e imagináveis para uma série de Mecha. Não é o tipo de anime para se assistir se preocupando sobre quanto sentido fazem as explicações ou para tentar se descobrir o sentido da vida e sim para se sentar e apreciar uma sucessão de absurdos que apenas um estúdio como o Gainax e um diretor como Hiroyuki poderiam criar, afinal, “Quem diabos vocês pensam que eles são!?”.

E nem preciso dizer que a Konami ficou muito feliz com o resultado de seu investimento, não é?

Título: Tengen Toppa Gurren Lagann
Estúdio:
Gainax
Gênero:
Ação, Aventura, Comédia, Mecha, Drama
Direção:
Imaishi Hiroyuki
Número de Episódios:
27

 

Lista de Episódios
01- Rompa o Céu com sua broca!
02- Eu disse que eu iria pilotá-lo!!
03- Seu desgraçado duas caras!!
04- Ter várias faces te torna incrível?
05- Eu não entendo nem um pouco!
5.5- Meu Gurren está brilhando!
06- Você vai se banhar até ficar tonto!!
07- É por isso que você irá fezê-lo!
08- Adeus companheiros
09- O que exatamente é um humano?
10- Que tipo de pessoa foi seu irmão?
11- Simon, tira a mão
12- Yoko-san, poderia ouvir meu pedido?
13- Pessoal, sirvam-se!
14- Bom dia pessoal!
15- Eu vou seguir em direção ao amanhã
16- Polissíntese completa
17- Você não sabe de nada
18- Conte-me os segredos desse mundo
19- Temos que sobreviver, custe o que custar
20- Deus nos testa até o fim
21- Você deveria ser o único sobrevivente!
22- Essa é minha última missão
23- Vamos lá, para a última batalha
24- Nunca esqueceremos esse minuto e segundo
25- Eu recebi seu último desejo!
26- Vamos, companheiros
27- Todas as luzes no céu são estrelas

Publicidade
close