Mangrafia #4: Arina Tanemura

A autora de Fullmoon e Gentlemen’s Alliance.

Arina Tanemura é uma importante autora de shoujo do Japão e muito famosa no ocidente. Nasceu em 12 de março de 1978, em Aichi. Arina tem 3 irmãos: duas irmãs (uma mais velha e uma mais nova) e um irmão. Ela também possui dois gatos chamados Riku e Kai.

Adora J-POP, em especial Maaya Sakamoto, Aya Matsuuta, Berryz Koubou e Morning Musume. Também gosta muito dos games da franquia Final Fantasy. Ela ama a revista Margaret da Shueisha. Adora sair com suas assistentes e amigos para o Karaokê. Tanemura odeia perder, não importa no quê. Por isso ela sempre tenta produzir as melhores séries e os melhores desenhos.

Arina Tanemura é seu nome verdadeiro, e às vezes utiliza os apelidos Arinacchi e Arinaccho. Ela se considera muito gorda e não gosta da própria aparência.

Após se formar na sua cidade natal, Arina começou a trabalhar nos mangás. Aos 18 anos lançou seu primeiro trabalho, “2Ban Me no Koi no Katachi”, na revista Ribon da Shueisha em 1996. Sua história lhe deu a chance de continuar trabalhando com a Shueisha, criando 4 novas yomikiris (one-shots).

Exatamente um ano depois de sua estreia, Arina lançou sua primeira série, I.O.N., de um volume. Embora curta, I.O.N. surpreendeu o público leitor. Mas foi em 1998 com Kamikaze Kaitou Jeanne que Arina alcançou a fama. Em 1998 a autora também lançou uma coletânea de suas one-shots.

Após o fim de KKJ, veio Jikuu Ihoujin Kyoko (Time Stranger Kyoko). E após JIK, a autora lançou o aclamado Full Moon o Sagashite, que foi amplamente licenciado pelo mundo. Full Moon foi seguido por Shinshi Doumei † (The Gentlemen’s Alliance Cross), outra obra muito adorada no ocidente.

Durante a produção de Full Moon a autora escreveu e desenhou muitos extras que foram incluídos no final dos volumes. E durante a produção de Shinshi Doumei †, Arina voltou a lançar one-shots em revistas.

Várias de suas obras foram transformadas em anime, como Full Moon, KKJ e JIK, e dramas. Também participou de programas de rádios e produziu alguns artbooks.

Confira abaixo as séries de Arina Tanemura, seguido pela coletânea e artbooks, em ordem cronológica do início da publicação:

Séries
1997 – I.O.N. (1 volume)
1998/2000 – Kamikaze Kaitou Jeanne (7 volume tankoubon e 6 volumes kanzenban)
2000/01 – Jikuu Ihoujin Kyoko (3 volumes)
2002/04 – Full Moon o Sagashite (7 volumes) + Gin’yuu Meika (2001, one-shot)
2004/08 – Shinshi Doumei † (The Gentlemen’s Alliance Cross) (11 volumes) + Shoujo Eve ☆ Ringo Jikake no 24ji (2007, one-shot) + Umi no Sakyuugi Yasoukyoku (2007, one-shot)
2008 – Zettai Kakusei Tenshi Mistress☆Fortune
2009/12 – Sakura Hime Kaden (15 volumes) + Shiro Bara Gakuen Vampire Rose (2009, one-shot) + Tenshi no Kinka Maple Rose (2010, one-shot)
2011 – Fudanjuku Monogatari (1 volume)
2012 – Arina no Tane (1 volume)
2013 – Neko to Watashi no Kinyoubi (ainda em publicação)
2013 – 31 Eye Dream (ainda em publicação)

Coletânea
1998 – Kanshakudama no Yuutsu
Incluso: 1997 – Kanshakudama no Yuutsu, 1997 – Kono Koi wa NON Fiction, 1996 – Ame no Gogo wa Romance no Heroine, 1996 – 2Ban Me no Koi no Katachi.

Artbooks
2000 – Tanemura Arina Illustration Book Kamikaze Kaitou Jeanne
2004 – Full Moon o Sagashite Illustration Book Tanemura Arina Collection
2008 – Shinshi Doumei † Tanemura Arina Illustration Book
2009 – Paint Ribon Art of Sakura Hime Kaden

No Brasil, Arina estreiou pela JBC com o lançamento de Full Moon o Sagashite em maio de 2009. Um ano mais tarde, em agosto de 2010, a Panini lança The Gentlemen’s Alliance Cross, que ainda está em andamento por aqui.

Por fim selecionei questões de algumas entrevistas dadas por Arina em 2007, quando ela foi para os Estados Unidos. Confira:

P: Há muitos fãs daqui que realmente gostam do seu estilo de desenhar. Como você desenvolveu esse estilo e de onde você tira inspiração?
R: Desde pequena meu estilo não mudou nem um pouco. A diferença deve estar na espessura da linha, mas o modo de expressão é geralmente o mesmo. E não sei de onde isso vem, para mim parece tão natural…

P: Como você aprendeu a desenhar e escrever tão bem?
R: Eu amo desenhar desde muito pequena. Fiz meu primeiro mangá quando tinha 15 anos. Mas a verdade é que eu desenhava muito todos os dias, o que me fez melhorar.

P: E quais eram seus mangás favoritos quando mais nova?
R: São tantos. Eu tinha mangá por toda parte no meu quarto. Eu gosto de shoujo e shounen e amo tantos tipos diferentes de mangás.

P: Há algum mangá que você realmente gosta neste momento?
R: Hum, recentemente… Meus favoritos são os da Ribon e da Margaret (revistas). A editora me manda cópias das revistas, e todo dia eu fico ansiosa para abrir o e-mail e ver que me mandaram a nova revista. Eu amo as séries da Ribon e Margaret.

P: Nas histórias dos seus mangás, como Full Moon e The Gentlemen’s Alliance †, há muitas relações amorosas complexas. Como você mantém organizado todos os personagens e seus enredos?
R: Isso é muito interessante. Todos os personagens e relações que eles desenvolvem são baseados em histórias que eu já ouvi, ou sobre amigos. É como uma memória, então nunca esqueço. Está sempre comigo, então não esqueço de jeito nenhum. É como se todos os personagens fossem meus amigos.

P: Você tem escrito muitas histórias de amor, mas já pensou em escrever outro gênero, talvez fantasia como o Senhor dos Anéis ou algo assim?
R: Oh, eu amo Senhor do Anéis. Meu próximo trabalho talvez seja algo assim… Estou trabalhando nisso, pensando sobre isso, em fazer algo mais fantasia e menos história de amor.

P: Você prefere escrever uma série longa e grande ou algo mais curto?
R: Se for fantasia, prefiro algo longo.

P: O que você acha que seus fãs mais gostam nas suas histórias e arte? O que você acha que a diferencia dos outros artistas shoujo?
R: Meus fãs sempre me dizem que minhas histórias são inesperadas, que sempre surpreende. Eles nunca sabem o que vai acontecer a seguir, e por isso gostam delas. Sempre os deixo ansiosos, para que possam se divertir antecipando o que acontecerá. Eu, com certeza, não escrevo apenas para surpreender as pessoas, mas meus fãs dizem que eles gostam das minhas histórias porque sempre os deixa excitados.

P: Todos os seus mangás tem enredos muito criativos e emocionantes. Como você cria esses enredos?
R: Tento imaginar situações desagradáveis ou que fossem horríveis se acontecessem e depois o que eu faria se isso acontecesse comigo – ou seja, crio histórias baseadas nesse tipo de pensamento. Geralmente decido qual será o final primeiro e depois como alcançá-lo.

P: Qual das suas séries de deixa mais orgulhosa?
R: Full Moon o Sagashite. Adoro muito Full Moon, e me sinto muito próxima a essa obra depois que a finalizei. Realmente amo ela.

P: Como você cria roupas e fantasias tão bonitas?
R: Todas as roupas nos meus mangás são designs originais feitas por mim mesma. Quando as crio, fico desejando que elas existissem. Eu certamente as compraria se existissem!

Publicidade
close