TV

Tv Kids Perde Espaço a Partir De Segunda

Quando Pikachu terá seu merecido descanso?

No ar ininterruptamente há 3 anos, o bloco infantil Tv Kids começou como um simples tapa-buracos na programação da RedeTv! veiculando o anime Pokémon, resgatado pelo canal após algum tempo fora da tv aberta.

Mas, o que nem mesmo os executivos da emissora esperavam é que o ratinho amarelo atrairia uma audiência muito interessante para o que estavam acostumados a ter no horário, e em menos de 1 mês, o anime já estava entre o “Top 5” dos programas mais assistidos da casa.

Com isso, o bloco foi empliado e ganhando novas atrações, tendo seu auge em 2009, quando por muito tempo (no período em que iam ao ar Pokémon, Dinossauro Rei e Ryukendo) se estabeleceu com uma média de 5 pontos no Ibope.

Mas a festa aos poucos foi se acabando, uma vez que o e excesso de reprises e a falta de investimento (a última estreia foi em outubro do ano passado, no caso Yu-Gi-Oh! GX, adquirido a partir de terceira temporada) culminou com o que está no ar: um zumbi com pé na cova. Só falta sepultar, uma vez que até a Garota Dolly (oi?) foi dispensada e o bloco perdeu seu patrocinador mor.

A partir dessa segunda-feira, dia 21 de novembro, o velório terá início: depois de ocupar 4 horas da grade do canal (somando-se todas as edições diárias), o Tv Kids passa a ter apenas 50 minutos de duração, indo ao ar das 19:00 às 19:50 (sendo limado nas praças onde há programação local). E sua permanência será apenas temporária, uma vez que no próximo ano a faixa deverá ser destinada à mais jornalismo.

Com isso, o último “oasis” dos animes na tv aberta (o negócio por aqui está muito ruim pra chegarmos a falar isso de um bloco tão oportunista e mal trabalhado) fica a um passo de ser extinto.

Mas nem tudo está perdido, uma vez que a atenção agora deverá ser dada ao “vizinho”: a Band reserva algumas surpresas (talvez nem tanto…) para o próximo ano no gênero – e não estamos falando em Sailor Moon.

Perde-se de um lado e ganha-se de outro. Mas o “mercado de animes no Brasil” nunca avança.

Publicidade
close