Otaku Neoclássico #15: [C]

Pra que lutar pelo mundo se pode lutar por dinheiro?

A primeira notícia que vi sobre [C]: The Money of Soul and Possibility Control se referia a ele como um anime sobre economia e a influência do dinheiro na vida das pessoas. De certo modo isso não estava errado, porém havia outra coisa na qual a série se focaria e que só descobri ao assistí-la: batalhas. E essas batalhas são, infelizmente, o que levam um ótimo conceito a ir por água a baixo.

[C]: The Money of Soul and Possibility Control, que daqui para frente chamarei apenas de “[C]”, conta a história de Yoga Kimimaro, um jovem estudante de economia que trabalha duro para conseguir dinheiro e terminar seus estudos, podendo assim conquistar uma vida normal como assalariado. Ele é apaixonado por Hanabi, sua colega de classe, entretanto a garota namora um rapaz rico contra o qual Kimimaro não acredita ter chances.

Um dia Masakaki, uma estranha criatura feita com bizarros gráficos 3D Cel-shaded, aparece para ele e oferece a Kimimaro a oportunidade de ganhar dinheiro na dimensão conhecida como Distrito Financeiro, uma área controlada pelo Banco de Midas que injeta o Dinheiro de Midas no mundo.

Entretanto, como garantia, Masakaki exige o futuro do garoto. Apesar de recusar inicialmente, Kimimaro acaba seduzido pelo dinheiro “fácil” e concorda com os termos da criatura. Levado para o Distrito Financeiro, o estudante recebe um cartão e sua Asset, seres que personificam o futuro de seus Entrés, a quem chama de Msyu (lê-se Má-chi-u).

Logo ele descobre que para ganhar dinheiro e se manter no Distrito, terá de participar de Negociações (Deals) que nada mais são que combates de Entrés onde o objetivo é conseguir o dinheiro do adversário. Porém, ao se retirar uma quantia de alguém, tudo o que foi adquirido com aquele dinheiro deixa de existir.

Com uma proposta Shounen aliada a uma temática Seinen, [C] foi exibido no bloco noitaminA da FujiTV, conhecido por sempre trazer animes diferentes e abordar questões mais profundas que a média.

A série inteira se sustenta na relação entre Kimimaro e Msyu e nas decisões que o garoto tem que tomar. Apesar desse ser o enfoque central, o melhor personagem é, de longe, Souichirou Mikuni. Ele é um homem de negócios experiente e um dos maiores investidores do mundo tendo salvado a economia japonesa diversas vezes apenas com a aplicação de fundos pessoais.

Vendo o potencial de Kimimaro, ele o convida a se juntar à Guilda do Estorninho, um grupo que tenta minimizar o dano do Dinheiro de Midas no mundo, e isso é o que cria o conflito mais interessante de todo o anime.

Embora tenham o mesmo objetivo, Kimimaro e Mikuni tentam alcança-lo de modo oposto o que faz com que eles se choquem. Essa é uma luta fadada a ocorrer desde a abertura do anime, é algo que a convenção te diz que irá acontecer, mas os eventos que levam a isso são interessantes, assim como as questões levantadas por eles.

Alguns outros personagens e situações são bem trabalhados trazendo uma boa dose de profundidade para uma obra que seria uma das melhores animações do ano não fosse um único ­­­– e grave – erro.

Como eu já havia dito, tudo no anime é resolvido através de batalhas. É interessante como eles usaram a metáfora do combate de fato para demonstrar os embates comerciais e como elas retratam o cenário econômico da época da crise de 2008, porém isso exige que o espectador tenha noções ao menos básicas de economia para não se perder, o que já diminui bastante o público.

As lutas não são incríveis – algumas delas na verdade são bem ruins – e em sua maioria falham em causar tensão. O tempo todo eu me perguntava se aquilo era mesmo necessário, pois as cenas focadas nos personagens em si eram tão mais interessantes que as Negociações que eu cheguei a querer pular algumas delas. Não só isso, mas elas também consomem muito do tempo do anime fazendo com que várias coisas pareçam forçadas.

É triste quando uma obra não atinge seu potencial por uma decisão errada. Assim como Fractale, se [C] tivesse sido mais longo teria sido um dos melhores animes do ano passado e dos últimos tempos. Mas não é o caso.

No fim das contas, [C] foi um anime que não sabia o que queria ser e por isso tentou apostar em duas frentes opostas, falhando em conquistar ambas. Muitos consideram esse um dos piores animes do noitaminA e do ano, o que é uma alcunha injusta, principalmente em tempos em que animes se tornaram tão vazios.

[C] pode ter errado, mas ao menos errou tentando ser genial e somente isso já basta para torná-lo digno ao menos de uma olhada.

Título: [C]: The Money of Soul and Possibility Control
Estúdio
: Tatsunoko Production
Direção
: Kenji Nakamura
Número
de Episódios: 11

Publicidade
close