Coluna do Daileon#8 | Jaspion! Projetos brasileiros seguem a todo vapor

Saudações inca-venuzianas! (Awika!) Agosto está entre nós. Desgosto? Só para os fracos. Por aqui tem muita coisa boa pintando e a principal delas é sobre o nosso Tarzan Galátcio. Sim, meus amigos. Jaspion está em alta e mais uma vez ele é capa da Coluna do Daileon. (Ele merece! Ele merece!) Então vamos juntos embarcar nessa viagem interplanetária do vôo de prefixo JP85 com destino ao futuro. Take off!

Jaspion é pop

Nosso nobre amigo Danilo Modolo, do canal TokuDoc, entrevistou o sr. Nelson Sato. O bate-papo está no ar desde terça-feira (31) e lá o CEO da Sato Company contou mais sobre o filme e o mangá de Jaspion.

O ano 2018 marca as comemorações dos 110 anos da imigração japonesa e dos 30 anos de Jaspion no Brasil. Junto com Changeman, a série foi ao ar pela primeira vez em nosso país no final da tarde do dia 22 de fevereiro de 1988 como atração do Clube da Criança (apresentado por Angélica), pela saudosa Rede Manchete. Pensando nessas comemorações, o sr. Sato resolveu fazer uma homenagem ao maior sinônimo de herói japonês no Brasil. Em contato com a Toei Company, o empresário disse que tem o desejo de fazer um filme nacional do Jaspion.

Foi um processo um pouco demorado e no começo desse ano conseguimos convencê-los, chegar no contrato para os dois lados. Inclusive, antes de assinar o contrato, me autorizaram a divulgar para o dia 21 de fevereiro.” Conta o sr. Sato na entrevista.

Na época, o fandom brasileiro fez a festa. Mas era preciso ter os pés do chão, pois o anúncio se tratava de um aval da Toei para a produção. A Sato Company havia informado na ocasião de que a produção seria divulgada ainda este ano. O sr. Sato diz como está o andamento do projeto.

A gente está em pré-produção, a gente está, na realidade, analisando as empresas de efeitos especiais aqui no Brasil, potenciais diretores pro filme, potenciais nomes de elenco pra gente poder aprovar também com o Japão e iniciar o estudo do custo. A gente tem uma estimativa, mas na realidade só vai saber (quando) colocar no papel.

Na entrevista, o empresário enfatiza a importância dos efeitos especiais, já que o Brasil não tem histórico com esse elemento. Uma das empresas em análise é a Blast Entertainment, responsável pelo filme BraveStorm (reboot/crossover das séries tokusatsu Silver Kamen e Red Baron e que em breve estará nos cinemas brasileiros). Possivelmente, o filme de Jaspion poderá se passar três décadas depois da série clássica e sendo ambientado no Brasil. Tudo com direito à uma atualização da armadura e mantendo a essência do Metaltech Suit original.

A previsão inicial era do lançamento acontecer em 2019, mas o processo é longo. Detalhes precisam passar por aprovação da Toei para que tudo fique certinho e nos mínimos detalhes. A Sato Company está procurando pessoas para criar o design da armadura, enquanto a própria Toei também está criando seus protótipos.

Sato também revela como surgiu a ideia do mangá de Jaspion: “Quando eu comprei a série, a [Editora] JBC já nos prospectou pensando em fazer o mangá. Mesmo antes de falar do filme“.

Os quadrinhos não terão ligação com os eventos do filme, sendo portanto aventuras paralelas. Com primeiro volume previsto para dezembro, o mangá também é um projeto nacional autorizado pela Toei (leia mais aqui).

O momento é ímpar para o gênero tokusatsu que está voltando ao mainstream brasileiro e Jaspion ainda é uma marca imbatível no mercado. E mais novidades sobre o nosso herói ainda vão pintar este ano. Vocês não tem noção das surpresas que vão deixar os fãs ainda mais animados.

Ricardo Cruz também entrevistou Nelson Sato na ocasião e ele será o primeiro entrevistado do novo podcast do cantor. Quando acontecer, vai virar manchete aqui no JBox e na Coluna do Daileon. Fiquem antenados.

Assista a entrevista na íntegra pelo canal TokuDoc (e não esqueça de se inscrever e dar aquela curtida camarada):


Meia década

Antes de começar o giro de notícias, quero anunciar aqui que o Blog Daileon completou 5 anos nesta quarta (1). A página agora está de cara nova. As artes são do Victor Rodrigues, que também fez uma participação especial neste texto. Já falei sobre o trabalho dele aqui na coluna.

Se você ainda não conhece o blog, lá é meu espaço onde toco assuntos sobre tokusatsu, além de animes e mangás. Essa semana retomei as matérias sobre filmes kaiju e a vez foi de Mothra, a Deusa Selvagem, clássico de 1961. Quando será a próxima resenha? Provavelmente ainda este mês. Qual será a pauta? Aguardem as cenas dos próximos capítulos. Só posso dizer que o momento é de muito Godzilla na veia.

Mais umas resenhas de clássicos do tokusatsu (inéditos e exibidos no Brasil) serão lançadas ao longo dos meses. E claro, lá falo sobre o que mais de importante acontece nas séries atuais das franquias Ultraman, Kamen Rider e Super Sentai. Dá uma conferida aqui.


Kushida é rei

Meeeeeuss amigoosssss!!!! Que saudade daquele show! Akira Kushida se apresentou aqui na terra da luz (não custa lembrar que não moro em M-78), onde acontece o evento Sana. Ele cantou temas de Dragon Ball Super e de Toriko, mas o ponto alto mesmo foi o saudosismo. Ele cantou todas os temas de abertura das séries Metal Hero que passaram no Brasil e dos que ele interpreta, é claro. Apesar dos problemas técnicos com o playback de “Ginga no Tarzan” (a música favorita deste colunista), o show ficou na memória dos fãs cearenses. Espero que isso renove as forças para que ele e mais atrações ligadas aos tokusatsu venham pra cá.

Escrevi esse texto sobre o show e conto tudo o que aconteceu. Colá lá no Blog Daileon.


Episódio comemorativo

Próximo dia 28 de agosto completam 25 anos da estreia original de Mighty Morphin Power Rangers. Neste mesmo dia (excepcionalmente numa terça-feira), a Nickelodeon americana irá exibir em horário nobre um episódio especial de Power Rangers Super Ninja Steel. Mais do que especial, teremos as participações de Jason David Frank (Tommy de MMPR, Zeo e Turbo), Catherine Sutherland (Kat de MMPR, Zeo e Turbo) e Jason Faunt (Wes de Força do Tempo). A confirmação veio em primeira mão pelo site IGN no comecinho da semana.


De passagem

O canal pago japonês WOWOW divulgou o total de episódios do anime SSSS.Gridman. Serão 12 ao todo. Prevista para iniciar em outubro, a versão animada do herói de tokusatsu será exibida também nos canais locais Tokyo MX, MBS e BS11.

Por enquanto, sem previsão de lançamento no Brasil.


Ultraman USA em Blu-ray

Em 26 de setembro acontece o lançamento do Blu-ray de Ultraman USA (no Japão, oras). O anime de 1987 é conhecido também como Ultraman: The Adventure Begins e foi produzido em parceria entre a Tsuburaya e a Hanna-Barbera.

No Brasil, o filme foi lançado em VHS ainda nos anos 1990.


Musa mãe

Yuria Haga, atriz das séries tokusatsu Kamen Rider 555 (foto), Kamen Rider Kiva e Zero: Dragon Blood (da franquia Garo), será mamãe. Ela é casada desde o ano passado com Kenta Kamakiri, dublador de animes como My Hero Academia e Reborn!.

Haga é considerada uma das atrizes mais belas entre os fãs dos Heisei Riders.


Show do Build

O tradicional stage show de Kamen Rider continua. Desta vez com o elenco principal da atual série da franquia se apresentará no evento Kamen Rider Build: Final Stage & TV Cast Talk Show. O especial, que se passará após os eventos da série, será apresentado em Tóquio nos dias 30 de setembro e 13 e 14 de outubro e em Fukuoka no dia 6 de outubro.


Inimiga ou aliada?

Mais uma adição no elenco de Ultraman R/B. Ayane Kinoshita viverá a personagem Saki Mitsurugi. Segundo anúncios da Tsuburaya, ela é uma “garora misteriosa e bela” que usa um R/B Gyro parecido com os que Makoto Aizen e os irmãos Minato usam.

Na adição, finalmente Ultraman Dark Orb aparecerá no episódio 8 da série que irá ao ar em 25 de agosto.


Fora de cena

Ayuri Konno (21), a Amy/Kyoryu Pink de Kyoryuger, anunciou nesta quarta (1) que está deixando o meio artístico. Ela contou em seu blog que encontrou uma nova paixão em um campo não relacionado ao mundo do entretenimento. Boa sorte nessa nova etapa. :)


Final da trilogia

A Toho soltou o teaser de Godzilla: The Planet Eater. Última parte da trilogia do anime de Godzilla. Estreia nos cinemas japoneses em 9 de novembro e deve estrear na Netflix algum tempo depois.

Na sexta edição da coluna escrevi sobre Cidade no Limiar da Batalha, segunda parte da trilogia recém-lançada no canal de streaming.


Novo Heisei Generations

E as aventuras dos Riders continuam nos cinemas. A Toei confirmou Kamen Rider Heisei Generations FOREVER para o dia 22 de dezembro. Esse (de fato) será o último filme de inverno da era atual da franquia e vai reunir os Riders Build e Zi-O.


O homem que era Godzilla

No próximo dia 7 de agosto completa um ano da morte do primeiro dublê de tokusatsu. Haruo Nakajima foi nada mais e nada menos que o homem que interpretava o rei dos monstros na era de ouro dos filmes kaiju, desde o clássico de 1954 até Godzilla vs. Gigan (de 1972). Foram 12 vezes no total. Na produções do estúdio Toho também interpretou kaijus como Rodan, Mothra, Moguera, Varan e até mesmo King Kong.

Quando Nakajima recebeu o roteiro do primeiro Godzilla, o pessoal da produção referia o filme como “Projeto G” e sem mencionar o nome daquele que viria a ser coroado como “o rei dos monstros”. Sem saber muito o que fazer, recebeu as instruções do mestre Eiji Tsuburaya. Como referência, Tsuburaya pediu a Nakajima que assistisse ao filme King Kong e teve um prazo de três meses para viver um kaiju. O dublê tinha que ser o mais natural possível, apesar da cauda do monstro se movimentar de acordo com seus movimentos.

Mais difícil ainda era atuar numa época onde os estúdios não tinham ar condicionados e o calor chegava a 45ºC. Mas isso não era problema para Nakajima, que transpirava bastante no serviço militar e precisava correr.

Nakajima sempre assistia ao primeiro Godzilla na primeira fileira e virara de costas para a tela para ver como as pessoas da plateia reagiam. As crianças não se importavam muito com os diálogos dos personagens e os adultos prestavam atenção. Toda vez que Godzilla aparecia, as crianças paravam de conversar e ficavam arrebatadas ao ver o kaiju em cena. Nakajima ficou feliz em ver que seu personagem deixava o público apreensível. E isso o motivou a voltar a fazer esse tipo de papel mais vezes.

Haruo Nakajima é um dos nomes reverenciados por fãs de filmes kaiju e deve ser lembrado por quem é fã de tokusatsu. Em seu lugar estiveram Kenpachiro Satsuma e Tsutomu Kitagawa na pele de Godzilla. Em 2011, o lendário foi convidado de honra no festival Monsterpalooza, na California, onde foi homenageado com uma estrela na calçada da fama com o nome de Godzilla. Na última edição do Oscar, foi lembrado entre tantos outros artistas que se foram em 2017.

Esta é uma homenagem do JBox e da Coluna do Daileon ao eterno rei dos monstros.

É isso aí, marmanjada de plantão. Não se acanhem e mandem seus comentários. Quero interagir com a galera. Se cuidem e fiquem na paz. Té +.

Publicidade
close