Attack on Titan: live-action ocidental terá diretor de “It, a Coisa”

Warner fecha acordo para nova versão cinematográfica.

Abriram-se de vez as portas para os live-actions ocidentais baseados em mangás. Depois de My Hero Academia, chegou a vez de outro hit, Attack on Titan, ser escolhido para ganhar uma nova versão para as telonas, segundo informa a Variety.

Nova versão, porque Attack on Titan já teve sua chance em carne e osso no Japão, em dois filmes que foram exibidos em cinemas do Brasil este ano. Apesar de bons números de bilheteria no país de origem, os fãs ao redor do mundo torceram o nariz para o resultado final, dirigido por Shinji Higuchi (Godzilla: Resurgence). Agora, a missão de passar essa história a limpo e causar uma boa impressão está nas mãos de Andy Muschietti, que ganhou reconhecimento no cinema pelo sucesso de It: A Coisa, filme de 2017.

Muschietti fará o trabalho para a Warner Bros., que fechou acordo recente com a editora japonesa Kodansha – que publica a obra original em mangá. A produção está a cargo de David Heyman (Animais Fantásticos e Onde Habitam), Masi Oka (Death Note – sim, o da Netflix) e Barbara Muschietti (a irmã do Andy, que também esteve em It).

Por enquanto ainda não há qualquer expectativa para o início da produção, tampouco previsão de estreia.

[Via Variety]


Attack on Titan (Shingeki no Kyojin) foi criado como mangá por Hajime Isayama em 2009, nas páginas da Bessatsu Shonen Magazine. Os capítulos reúnem até o momento 26 volumes encadernados, com publicação no Brasil pela Panini – que também trouxe o spinoffs da franquia Ataque dos Titãs: Antes da Queda e Ataque dos Titãs: Sem Arrependimentos.

O anime surgiu em 2013, pelo Wit Studio, tornando-se um sucesso mundial. Conta a história de um mundo distópico onde a humanidade vive isolada por muros, buscando a sobrevivência contra os “titãs”, criaturas enormes que se alimentam dos homens.

A exibição do anime acontece pela Crunchyroll, que disponibiliza todas as temporadas com legendas em português.

Dois longas-metragens em live-action, produzidos em 2015, foram exibidos em sessões restritas em cinemas do Brasil em 2018. Saiba mais em nossas críticas aqui e aqui.

Publicidade
close