Morre aos 95 anos Stan Lee, um dos nomes mais importantes dos quadrinhos

Lenda da indústria também contribuiu para a cultura pop oriental.

Na tarde desta segunda (12/11), os fãs de histórias em quadrinhos foram surpreendidos com a notícia da morte de Stan Lee, aos 95 anos. O anúncio veio por meio do TMZ, que foi reportado pela filha da lenda, J.C. Lee.

Segundo o site, Lee foi conduzido às pressas de sua casa em Hollywoood até o hospital Cedars-Sinai Medical Center, onde veio a falecer. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o quadrinista enfrentou vários problemas de saúde nos últimos tempos, como pneumonias.

Nascido em 28 dezembro de 1922 na cidade Nova Iorque, Stan Lee revolucionou os quadrinhos de super-herói a partir do início dos anos 1960, ajudando a criar pela Marvel Comics ícones como O Quarteto Fantástico, O Incrível Hulk, Os Vingadores, Homem-Aranha e X-Men.

Spiderman, versão japonesa produzida pela Toei em 1978.

Em 1978, seu personagem mais famoso, o Homem-Aranha, virou uma série live-action no Japão. Na época, a Marvel buscava emplacar seus títulos aos moldes do gosto dos orientais, o que resultou num programa de 41 episódios com êxito considerável. O Spiderman nipônico também ganhou especial para cinema e impulsionou a continuidade da parceria entre a empresa americana e a Toei Company (estúdio japonês). Dessa aliança, surgiram as séries da franquia Super Sentai Battle Fever J (1979), Denjiman (1980) e Sun Vulcan (1981).

Sun Vulcan chamou atenção do próprio Stan Lee, que tentou negociar com a HBO para que a série fosse exibida nas manhãs de sábado da TV americana. Uma das saídas para confrontar o choque cultural seria refilmar cenas com atores ocidentais, mas no fim o quadrinista acabou não convencendo os exibidores a apostarem na ideia – que anos mais tarde seria a fórmula adotada pelos Power Rangers de Haim Saban.

Heroman, anime baseado em ideia original de Stan Lee.

Ainda na cultura pop japonesa, Stan Lee emprestou seu nome para animes e mangás. Ele foi o criador de Heroman, mangá de 5 volumes ilustrados por Tamon Ota em 2009, que rendeu um anime de 26 episódios em 2010 pelo estúdio BONES (My Hero Academia). Ainda em 2009, assinou também o conceito do mangá Ultimo, publicado até 2015 nas páginas da revista Jump SQ.

Sua contribuição oriental mais recente foi como criador do anime The Reflection, lançado em 2017 com animação do Studio Deen. Os 12 episódios da série foram exibidos no Brasil pelo serviço de steraming Crunchyroll.

Fora esses trabalhos, outros de seus personagens também ganharam versões em animação e quadrinhos no Japão, como os X-Men e o Homem de Ferro.

[Via TMZ]

 

 

Publicidade
close