Alita: Grupo Editorial Record deve publicar novelização do filme

Depois de publicar Your name pela Editora Verus, o Grupo Editorial Record (que não tem relação com o canal de TV) pode estar se preparando para por as mãos em outro título japonês, ou nesse caso, “semi-japonês”. A empresa indicou que deve trazer ao Brasil o livro baseado em Alita: Anjo de Combate, filme que estreia no Brasil no dia 14 de fevereiro.

Se você tá totalmente por fora, a produção de James Cameron (Avatar), dirigida por Robert Rodriguez (Sin City), é uma adaptação híbrida de live-action com computação gráfica baseada no mangá Battle Angel Alita (também conhecido por seu nome original, Gunnm Hyper Future Vision), publicado por aqui em duas ocasiões pela Editora JBC.

Capa americana do livro Alita Battle Angel.

O filme ganhou essa adaptação em livro de 384 páginas, que ainda será lançada nos Estados Unidos, com previsão de chegar por lá no dia 19 de fevereiro (dias após o lançamento do filme). A novelização ficou a cargo de Pat Cadigan, uma escritora americana de ficção-científica, reconhecida principalmente pela temática cyberpunk, que é o que basicamente envolve Alita.

O Grupo Record comentou por alto em seu Instagram que o livro chega já no mês de fevereiro, indicando um lançamento próximo ao gringo. No entanto, isso é tudo que temos de informação até o momento e não há nenhuma confirmação precisa por parte da editora – mesmo que esteja meio óbvio.

Sinopse oficial (do filme): Quando Alita (Rosa Salazar) desperta sem memória de quem ela é em um mundo futuro que ela não reconhece, é levada por Ido (Christoph Waltz), um médico compassivo que percebe que em algum lugar nesta casca de ciborgue abandonada está o coração e alma de uma jovem mulher com um passado extraordinário. Enquanto Alita aprende a navegar sua nova vida e as ruas traiçoeiras da Cidade de Ferro, Ido tenta protegê-la de sua misteriosa história, enquanto seu novo amigo de rua Hugo (Keean Johnson) oferece ajuda para recuperar suas memórias. Mas é somente quando as forças mortais e corruptas que controlam a cidade vêm atrás de Alita que ela descobre uma pista de seu passado – ela tem habilidades únicas de combate que os que estão no poder não conseguem controlar. Se ela puder ficar fora de seu alcance, pode ser a chave para salvar seus amigos, sua família e o mundo que ela está amando.

[Via Instagram Grupo Editorial Record]

Agradecimentos ao leitor Felipe Abê


Originalmente lançado no Japão pela Shueisha entre 1990 e 1995 em 9 edições, sob o título Gunnm, o mangá é uma criação de Yukito Kishiro, que aqui no Brasil o mangá tem uma história de publicação curiosa. Em 2002, seu primeiro volume saiu pela editora Opera Graphica, intitulado como Alita Battle Angel. No entanto, se tratava de um produto não-licenciado, sendo encerrado por motivos óbvios.

No ano seguinte, a JBC começou a publicá-lo oficialmente, saindo com o nome Gunnm – Hyper Future Vision, em meio-tanko (cada volume sendo metade de um volume original japonês), totalizando 18 edições. A versão mais recente da obra é, novamente, na JBC, que compilou toda a história em 4 volumes, entre o final do ano passado e o início de 2018.

Entre o fim de janeiro e o começo de fevereiro do ano que vem, a JBC começa a publicar a continuação do mangá, intitulada de Battle Angel Alita: Last Order.

Publicidade
close