Danger 3 faz show com músicas inéditas, performance e nostalgia no Sana Fest

Em Fortaleza, o trio brasileiro se apresenta pela primeira vez com suporte de uma banda musical na noite deste domingo (16)

O trio Ricardo Cruz, Larissa Tassi e Rodrigo Rossi retornou à capital alencarina para se apresentar em Fortaleza, na noite desse domingo (16) durante o encerramento do evento Sana Fest 2018. Eles já estiveram juntos na edição de 2015, em uma turnê do Cavaleiros In Concert, ao lado de Edu Falaschi. Pela primeira vez, o projeto Danger 3 realizou um show com uma banda ao vivo. Na ocasião, acompanhados da cearense Hattori Hanzo, que tem amizade de longa data com os cantores.

Foi uma hora de duração com canções inéditas e, como não poderia faltar, um toque de nostalgia com temas de animes que ajudaram a impulsionar as suas respectivas carreiras ao longo dos anos. O grupo Danger 3 surgiu com a proposta de criar temas nacionais – e autorais – de animês e mangás, além criar futuros projetos ligados à cultura pop em geral.

O show começou com “Pegasus Fantasy“, o primeiro tema de abertura d’Os Cavaleiros do Zodíaco, que se tornou um hino indispensável para os fãs de anime no Brasil na última década e meia. Em anos anteriores, a canção finalizava shows que reuniram cantores japoneses no mesmo evento. Ricardo Cruz aproveitou a segunda parte da música para cantar um trecho em japonês, já que ele tem fluência no idioma. A primeira música do projeto que foi cantada no palco foi “Neo Tokyo“, que ajudou a promover o (re)lançamento do manga AKIRA, de Katsuhiro Otomo, pela Editora JBC. Esse foi o trabalho de estreia do Danger 3 em meados de 2017. Na sequência, foi a vez de “Somos Heróis“, do mangá Combo Rangers – Somos Iguais (Editora JBC), do roteirista Fábio Yabu e do desenhista Michel Borges. Essas duas últimas músicas se destacam pela combinação de vozes que formam um coral inigualável que é digno de inserção em trilhas sonoras envolventes.

O trio intercalou as canções inéditas voltando para o clássico “We Gotta Power” (da segunda abertura de Dragon Ball Z). Rodrigo Rossi e Ricardo Cruz não dispensaram a empolgação para animar o público a fazer coro do refrão da música, que marcou a saga de Majin Boo na TV brasileira. Sinergia perfeita entre a imponência das vozes dos cantores com a paixão dos amantes da animação japonesa. Principalmente os mais antigos. Larissa se destacou ao cantar “Lembranças“, tema inspirado no filme Your name, de Makoto Shinkai. Ela confessa que essa é uma das suas favoritas do projeto. Ricardo e Rodrigo serviram como vozes secundárias. O público parou nesse momento para contemplar a melodia calma e inspiradora.

Rodrigo, Larissa e Ricardo agitam o público cearense (Foto: Lídia Rayanne)

A sequência abriu um espaço para seis músicas conhecidas das respectivas carreiras dos cantores. Rodrigo cantou a versão brasileira de “Limit-Break x Survivor“, da segunda abertura de Dragon Ball Super. Na ocasião, ele aproveitou para agradecer ao guitarrista Cesário Filho, da banda Hattori Hanzo, pela parceria e por ajudar a trazer o Danger 3 à Fortaleza. Ricardo cantou “Pegasus Forever“, da saga de Hades de Cavaleiros do Zodíaco. Já Larrisa cantou “Meu Querido” e “Pelo Mundo“, as versões brasileiras de “My Dear” e “Chikyuugi“, respectivamente, interpretadas originalmente por Yumi Matsuzawa para a mesma saga.

Os três se reuniram para homenagear Os Cavaleiros do Zodíaco. Com muita simpatia e interação com o público, eles acabaram cantando à capela “O Guardiões do Universo“, o primeiro tema nacional do anime exibido entre 1994 e 1995 pela extinta Rede Manchete. Boa parte do público presente era mais velho e acabou, digamos, entregando a idade. Larissa comandou o tema principal de ‘Cavaleiros‘ que virou hit nacional nos anos 1990 ao lado de William Kawamura. Detalhe é que Larrisa registrou o parte da canção ao gravar um vídeo pelo celular.

Outra canção original é inserida. Desta vez é “Space Runners“, tema do game nacional de mesmo nome, produzido pelo estúdio Brainstorm Chips que carrega uma batida de rock bem legal. Voltando à vibe de Cavaleiros, Danger 3 agitou o público com “Soldier Dream“, tema das sagas de Asgard e de Poseidon. Pra embalar ainda mais o show, foi cantado “Poder Sem Limites“, segundo tema original para AKIRA. O tom mais carregado da música deu a impressão de estarmos diante de um genuíno show de rock com coral, bastante força nas vozes. Ficou ainda melhor com o suporte da banda Hattori Hanzo. O limite de tempo chegou e Danger 3 fechou com chave de ouro com “Cha-La Head-Cha-La“, da primeira abertura de Dragon Ball Z, deixando um gosto de “quero mais” para os fãs.

Com estilo e performance para as músicas originais, o Danger 3 mostrou que tem potencial para ir ainda mais longe, se destacando no mercado musical. O show serviu não apenas como divulgação de seus trabalhos iniciais, mas também para matar a saudade do público local que não via alguma apresentação de Ricardo, Larissa e Rodrigo há um bom tempo. Os clássicos também são parte da essência do repertório de cada um e isso não poderia ficar de fora. É praticamente obrigatório. Os fãs agradecem imensamente.

Veja o setlist:
01 – Pegasus Fantasy (versão brasileira da primeira abertura de Os Cavaleiros do Zodíaco)
02 – Neo Tokyo (primeiro tema inspirado em AKIRA)
03 – Somos Heróis (tema nacional de Combo Rangers – Somos Iguais)
04 – We Gotta Power (versão brasileira da 2ª abertura de Dragon Ball Z)
05 – Lembranças (tema inspirado em Your name.)
06 – Limit-Break x Survivor (versão brasileira da 2ª abertura de Dragon Ball Super)
07 – Pegasus Forever (versão brasileira da abertura da fase inferno da saga de Hades em Cavaleiros)
08 – Meu Querido (versão brasileira de “My Dear”, da saga de Hades em Cavaleiros)
09 – Pelo Mundo (versão brasileira de “Chikyuugi”, da saga de Hades em Cavaleiros)
10 – Os Guardiões do Universo (primeiro tema nacional de Cavaleiros, à capela)
11 – Cavaleiros do Zodíaco (segundo tema nacional de Cavaleiros)
12 – Space Runners (tema nacional de mesmo título)
13 – Soldier Dream (versão brasileira da segunda abertura de Cavaleiros)
14 – Poder Sem Limites (segundo tema inspirado em AKIRA)
15 – Cha-La Head-Cha-La (versão brasileira da 1ª abertura de Dragon Ball Z)

Publicidade
close