Para relembrar nesta data: Em “I’m Not Yours”, Namie Amuro se junta com Jolin Tsai revelando a verdadeira face dos homens

Uma boa música para embalar o Dia Internacional da Mulher.

Algumas músicas, quando ouvidas em datas especiais, ganham uma força e sentido ainda maior. “All I Want For Christmas Is You”, da Mariah Carey, é uma ótima pedida para a semana de Natal. “Todo Carnaval Tem Seu Fim”, do Los Hermanos, para alguns, é o grande tema da Quarta-Feira de Cinzas. “Party in the USA”, da Miley Cyrus, costuma ser tocada e comprada com maior frequência no feriado de 4 de julho nos EUA, dia que eles comemoram sua independência.

Aproveitando que hoje, 8 de março, celebramos o Dia Internacional da Mulher, uma outra canção pode ser incluída nessa improvisável lista, visto a sua mensagem ficar ainda maior em tal background: “I’m Not Yours”, colaboração entre a Jolin Tsai e a Namie Amuro.

A taiwanesa Jolin Tsai é um dos maiores nomes do atual MandoPop (título que engloba a música Pop feita em países com o mandarim como língua principal ou de presença forte, como China, Taiwan, Hong Kong, Macau, Singapura etc.), estando há quase 20 anos no mercado, influenciando uma porção de novos artistas asiáticos cultural e politicamente através de seus álbuns, clipes e apoio à comunidade LGBT. Já a Namie Amuro foi, provavelmente, o maior nome da indústria fonográfica japonesa das últimas décadas – só para mensurar, o último trabalho lançado por ela, a coletânea de singles Finally, lançada em “comemoração” à sua aposentadoria como cantora, foi o álbum mais vendido por lá nos 2 últimos anos, com mais de 1,7 milhão de cópias em 2017 e quase 700 mil em 2018.

“I’m Not Yours” faz parte do Play, 13º álbum de estúdio da Jolin, lançado em 2014. Junto da Namie, elas cantam aqui sobre uma garota que percebe estar cansada de aturar as atitudes estúpidas do namorado, tomando o protagonismo da vida para si mesma, se tornando “sua própria garota”. No ano seguinte, ela foi trabalhada como single, recebendo também um videoclipe que amplia ainda seu significado, onde a dupla lidera um bando de kitsunes (as raposas de 9 caudas, não o tiozinho do Vídeo Quest) que transforma os homens em burros (hahaha) ao amaldiçoá-los num bar. Um simbolismo divertidíssimo de assistir, que injeta boas doses de ironia numa mensagem que poderia passar despercebida caso mal trabalhada.

Ouça o Play completo abaixo pelo Spotify:

Feliz Dia Internacional da Mulher às leitoras do JBox!