Imagem promocional de 'Saint Seiya: Shining Soldiers', com Seiya x Saga.

Cavaleiros do Zodíaco: Bandai anuncia encerramento de ‘Shining Soldiers’, lançado no começo do ano

Game para celulares, pelo visto, não vingou.

A Bandai Namco anunciou hoje (10) o encerramento do jogo para celulares Saint Seiya: Shining Soldiers em 13 de janeiro. O curioso é: o game foi oficialmente lançado ainda neste ano, em 27 de fevereiro, quase um mês depois de abrir pré-registro. A empresa não informou motivos, mas provavelmente a decisão vem pela baixa recepção.

Aparentemente criado para “substituir” Cosmo Fantasy (Zodiac Brave, no Japão), também da Bandai, o game não atraiu tanto a atenção dos jogadores, pelo menos neste começo. Com a entrada de Saint Seiya: Awakening no Japão (chamado Rising Cosmo por lá), a empresa deve preferir focar em um jogo que ainda rende para não perder espaço para a Tencent.

O jogo já tinha opção de texto em português logo no lançamento. Esse foi o sexto game para smartphones da franquia, já foram lançados Saint Seiya Cosmo Slottle (2014), Saint Seiya: Big Bang Cosmo (2014), Saint Seiya: Cosmo Fantasy/Saint Seiya: Zodiac Brave(2016), Saint Seiya: Awakening (2018) e Saint Seiya: Galaxy Spirits (2019) – alguns deles já foram encerrados. Cosmo Fantasy e Awakening estão oficialmente disponíveis para Android e iOS no Brasil.


Fonte: Gamebiz via Santos de Bronze


Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) estrearam nas páginas da revista japonesa Weekly Shonen Jump em dezembro de 1985. De autoria de Masami Kurumada (Bt’X, Ring ni Kakeru), a trama rendeu uma versão animada em 1986 pela Toei Animation (Dragon Ball, Sailor Moon), patrocinada diretamente pela Bandai, que marcou época com os bonecos derivados que vestiam armaduras de metal.

A história narra a saga de um grupo de jovens que protegem a Terra guiados por Saori Kido, a reencarnação da deusa Atena. Treinados desde crianças, órfãos de todos os cantos são recrutados para vestirem armaduras mitológicas, baseadas nas constelações.

Exibido no Brasil a partir de setembro de 1994 na extinta Rede Manchete, foi um fenômeno comercial que abriu porta para as animações japonesas no país. A série clássica foi reprisada anos depois pelo Cartoon NetworkBandPlay TV, e teve passagem recente em alta definição pela Rede Brasil de Televisão. A Crunchyroll também disponibiliza a série por streaming, com dublagem. Foi lançada por completo em DVD pela PlayArte, que atualmente produz a versão em Blu-ray.

O mangá original foi publicado por aqui pela primeira vez no fim de 2000, pela Conrad Editora. Ganhou nova edição pela mesma empresa e depois pela Editora JBC, que publica atualmente uma edição de luxo, Cavaleiros do Zodíaco: Kanzenban. Há 3 histórias extras (Episode ZeroOrigin e Destiny) publicadas pelo Kurumada entre 2017 e 2019 na revista Champion RED, detalhando eventos até então não aprofundados, como a fuga do Aiolos e a história de Saga e Kanon. Elas não estão, por enquanto,  compiladas em algum encadernado.

Saint Seiya gerou vários derivados entre animações e quadrinhos, sendo continuações ou spin-offs. Entre os mangás e novels, os títulos Episódio GGigantomaquia (Conrad), Lost Canvas, Next Dimension e Saintia Shô (JBC) foram publicados no Brasil, há ainda alguns inéditos no país, como Episode G AssassinEpisode G Requiem e a novel Golden Age.

Entre os animes, Os Cavaleiros do Zodíaco Hades (2002), Saint Seiya: The Lost Canvas (2009), Os Cavaleiros do Zodíaco: Ômega (2012), Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro (2015) e Saintia Shô (2018, apenas legendado) também foram exibidos. Em janeiro de 2020, foi lançado o final da primeira temporada do remake produzido pela Netflix junto ao estúdio Toei Animation, intitulado de Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, mas popularmente conhecida pelo nome em inglês: Knights of the Zodiac. Você pode conferir um pouco mais da história da série no Brasil no nosso TriviaBox.

Publicidade
close