Pokémon: Uri Geller libera uso de Kadabra pela Nintendo

Mágico havia processado a Nintendo por uso indevido de direitos autorais em 2000.

O ilusionista Uri Geller anunciou que liberou para a Nintendo o uso do personagem Kadabra nos jogos de carta de Pokémon. Para quem não sabe, em 2000 o mágico processou a empresa por uma carta do monstro, alegando que era um uso indevido de direitos autorais.

Na versão japonesa, o Kadabra se chama Yungerá (ユンゲラー), próximo a como os japoneses pronunciam e escrevem em kana o nome do ilusionista, “Yuri Gerá” (ユリゲラー). Além disso, o Pokémon é do tipo psíquico e possui uma colher dobrada, uma “marca” de Geller – todos os Pokémons da “família Abra” são inspirados em ilusionistas e mágicos famosos.

Desde 2003, o personagem não aparece nas novas cartas de TCG de Pokémon, com Abra evoluindo direto para Alakazam ou a evolução final sendo uma carta básica, sem precisar do Abra ou do Kadabra. O Pokémon também “sumiu” da franquia num geral: ele não aparece no animê desde 2005 e, a partir da 4ª geração (Diamond & Pearl), não é possível trocá-lo se tiver uma pedra de evolução, é preciso evoluí-lo para Alakazam.

Um dos diretores de animação da série, Masamitsu Hidaka, já confirmou em entrevista que o embate é o motivo da cautela com Kadabra. Mas os fãs da franquia sempre pediam para Geller largar o processo e parece que, finalmente, ele mudou de posição.

Em um tweet, o mágico diz “Peço mil desculpas pelo que fiz há 20 anos. Crianças e adultos, estou liberando. Agora trazer a carta do meu Pokémon Kadabra está nas mãos da Nintendo. Provavelmente, é das cartas mais raras agora! Muitas energias e amor para todos!”. A Nintendo ainda não se pronunciou oficialmente.


Fonte: Pokébeach

Publicidade
close