Imagem: As protagonistas de 'Guerreiras Mágicas de Rayearth'.

Rayearth: Animê exibido no Brasil está completo dublado no Amazon Prime Video

Há alguns meses, os primeiros 20 episódios foram adicionados ao streaming. Agora a série está completa por lá.

Hoje (02), entraram no catálogo do Amazon Prime Vídeo mais episódios de Guerreiras Mágicas de Rayearth. Os 29 episódios da “segunda temporada” foram adicionados apenas com opção dublada, como ocorreu com a primeira – e na mesma qualidade.

Imagem: Screenshot de 'Guerreiras Mágicas de Rayearth' no Prime Video.
Clique na imagem para acessar a série. | Reprodução: Prime Video.

Rayearth chegou ao Brasil em 1996 pelo SBT, permanecendo no ar até 1998.

A produção da TMS adaptou o mangá do famoso grupo CLAMP, em duas temporadas, com um total de 49 episódios – exibidos no Japão entre 1994 e 1995. Além da série, o animê rendeu 3 OVAs, com 45 minutos cada, que saíram no Japão em 1997, permanecendo inéditos por aqui.


Fonte: Amazon Prime Video


Primeira obra do gruplo CLAMP a ser lançada no Brasil, Guerreiras Mágicas de Rayerath (Magic Knight Rayearth) estreou nas páginas da popular revista feminina Nakayoshi no final de 1993, tendo capítulos publicados até abril de 1996. Tudo foi compilado em 6 volumes encadernados, publicados (e republicados) no Brasil pela Editora JBC.

A trama mistura elementos típicos do gênero de garotas mágicas, com um ritmo e RPG e até mesmo elementos de séries mechas/robôs gigantes. Na história, somos apresentados às estudantes colegiais Lucy, Marine e Anne (Hikaru, Umi e Fuu, no original), que durante uma excursão de suas escolas à Torre de Tóquio são transportadas misteriosamente para o mundo mágico de Zephyr (Cefiro).

Lá, elas descobrem por intermédio do Guru Cleph que foram convocadas pela Princesa Esmeralda para resgatá-la das mãos do feiticeiro Zagard (Zagato) e que, para voltarem ao seu mundo, precisam se tornar Guerreiras Mágicas (Magic Knights) e despertar os lendários gênios (Mashins) adormecidos.

A versão animada, produzida pela TMS, adaptou com alguma fidelidade a primeira fase do mangá na primeira temporada da série, mas se permitiu certa liberdade criativa a partir da segunda temporada (episódios 21 ao 49), já que o ritmo de publicação da história do mangá não permitia uma adaptação mais fiel.

No Brasil, a série foi ao ar pelo SBT estreando em 1996 e foi importada pela distribuidora Alien International – que também trouxe Fly e Dragon Ball na época, todos exibidos pela emissora. A versão brasileira da foi feita nos lendários estúdios da Gota Mágica e o animê rendeu muitos produtos licenciados – como brinquedos da Grow, da Glasslite e da Rosita e linhas de cama, mesa e banho da Lepper – além de um CD com músicas produzidas por Mário Lucio de Freitas, que contou com o tema principal (usado na abertura da série) interpretado por Larissa Tassi.

Publicidade
close