Imagem: Personagem de 'Jujutsu Kaisen 0'.

Ranking Oricon 2021 #4: ‘Jujutsu’ repete ‘Kimetsu’ e coloca todos os volumes no topo das vendas de 25 a 31 de janeiro

Mangá de Gege Akutami está cada vez mais isolado na lista de mais vendidos no Japão; confira também as séries mais vendidas do mês de janeiro.

Cá estamos para mais uma lista com os 50 mais vendidos da semana no Japão, segundo o Oricon. O ranking está cada vez mais previsível, devido ao enorme sucesso de Jujutsu Kaisen e ao fôlego que ainda resta a Demon Slayer, que segue com números bem elevados. Alguns títulos menos conhecidos conseguiram ranquear, em colocações mais baixas.

A lista das 10 séries mais vendidas, que engloba todos os encadernados relativos a todos os mangás publicados no Japão, também não apresenta surpresas. Veja como ficou a relação que compreende ao período de 25 a 31 de janeiro— e não se esqueça dos comentários ao final.

Imagem: A ordem dos volumes: Jujutsu KAisen #1 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #5 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #6 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #3 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #8 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu Kaisen #9 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu Kaisen #10 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu Kaisen #11 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #13 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #12 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu Kaisen #7 Shonen Jump (Shueisha); Jujutsu KAisen #14 Shonen Jump (Shueisha); HameFura #6 Comic Zero Sum (Ichijinsha); Demon Slayer #22 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #19 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #18 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #17 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #16 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #14 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #15 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer Gaiden Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #12 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #13 Shonen Jump (Shueisha); Bofuri #4 Comp Ace (Kadokawa); Demon Slayer #20 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #23 Shonen Jump (Shueisha); Attack on Titan #33 Bessatsu Shonen Magazine (Kodansha); Demon Slayer #21 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #11 Shonen Jump (Shueisha); Koi to Dangan #7 Cheese! (Shogakukan); Demon Slayer #10 Shonen Jump (Shueisha); That Time I Got Reincarnated as a Slime: The Ways of the Monster Nation #8 Micro Magazine (Comic Ride); Demon Slayer #8 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #9 Shonen Jump (Shueisha); Emiya-san Chi no Kyou no Gohan #6 Young Ace Up (Kadokawa); Demon Slayer #7 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #6 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #2 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #1 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #5 Shonen Jump (Shueisha); Demon Slayer #3 Shonen Jump (Shueisha); Skip Beat! #46 Hana to Yume (Hakusensha); Demon Slayer #4 Shonen Jump (Shueisha); KUUbo Ibuki Great Game #3 Big Comic (Shogakukan); Spy x Family #6 Jump + (Shueisha); Mobile Suit Gundam MSV-R: Return of Johnny Ridden #21 Gundam Ace (Kadokawa); Blue Period #9 Afternoon (Kodansha);
Clique aqui para poder ver em tamanho maior (talvez seja necessário clicar com o botão direito em “Ver Imagem”).
Imagem: Capa do volume 0 de 'Jujutsu Kaisen'.
Divulgação: Shueisha.

Enfim, o mangá de Gege Akutami conseguiu: Jujutsu colocou todos os seus volumes, incluindo o prequel Jujutsu Kaisen 0, nas 15 primeiras posições do ranking da Oricon.

O feito é inédito para a série, similar ao que havia feito Demon Slayer em novembro do ano passado, durante o auge do sucesso da obra de Koyoharu Gotouge. Ao todo foram cerca de 1.666.730 cópias vendidas, ficando com o 1º lugar entre as 10 séries que mais venderam na última semana de janeiro (confira a lista completa ao final).

O volume 0, que narra os eventos que antecedem a trama centrada em Itadori, encabeça a lista, com 1.141.993 exemplares. A edição já havia ultrapassado o milhão na semana passada, quando vendeu 58.785 unidades. Lançado em outubro de 2018, Jujutsu Kaisen 0 chega por aqui em março, pela Panini.

A editora já publicou os três primeiros volumes no Brasil. O terceiro, inclusive, teve direito a uma capa variante metalizada, no entanto as pré-vendas esgotaram nos primeiros dias e, até agora, nenhum leitor recebeu o produto (portanto, não dá pra saber como ficou).

Convém lembrar que a Panini fez, durante o mês de janeiro, uma recontagem de todo o seu estoque, o que incidiu em atraso do envio de seus mangás para bancas, livrarias e lojas especializadas. Muitos outros títulos de janeiro, inclusive, “esgotaram” nos primeiros dias de pré-venda, por conta dessa oferta comprometida pela recontagem do estoque. Explico: a editora já havia enviado uma remessa de encadernados para as lojas, no entanto em quantidade menor que a habitual, já que alguns volumes passariam por essa auditoria. Daí vimos, nesta semana, edições como Spy x Family #3 (o volume 4 já está em pré-venda) voltando a ficar disponível.

Imagem: Capa do volume 6 de 'HameFura'.
Divulgação: Ichijinsha.

De volta ao ranking, a série mais bem colocada depois de Jujutsu é Otome Game no Hametsu Flag shika nai Akuyaku Reijou ni Tensei shite shimatta… (My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!), também conhecido como HameFura (graças a deus).

Pelo tamanho do título, trata-se evidentemente de um isekai — para os menos iniciados, isekai é, literalmente, “outro mundo”, e serve para designar histórias cujo protagonista é enviado para um mundo diferente no qual é obrigado a viver sob condições e leis que desconhecia em sua realidade originária. Com 7 dias à venda, portanto, HameFura #6 vendeu bons 67.768 exemplares, iteressante número para o josei (demografia para mulheres adultas).

Na 17ª posição, obviamente temos Kimetsu com 10 volumes em sequência. Em 27º, outro isekaiBOFURI: I Don’t Want to Get Hurt, So I’ll Max Out My Defense, com seu mais recente impresso. Na semana, a série vendeu mais de 50 mil cópias. Assim como HameFura, o mangá é uma adaptação de uma série de light novels. De autoria de Yuumikan, a novel já conta com 8 volumes e está em andamento.

Bofuri teve um animê que foi ao ar entre janeiro e março de 2020, no Japão. Uma segunda temporada está marcada para 2022 (sem previsão de lançamento no Brasil). HameFura (My Next Life as a Villainess: All Routes Lead to Doom!) também teve animê no ano passado e seus 12 episódios estão disponíveis na Crunchyroll, com áudio original e legendas em português.

Imagem: Capa do volume 7 de 'Dangerous Lover'.
Divulgação: Shogakukan.

Attack on Titan #33 permanece na lista pela 4ª semana consecutiva, agora na 30ª colocação, com 49.857 cópias vendidas. Na lista da semana passada, o número havia vendido 73.146 exemplares, quando ocupou a 32ª posição. Nas outras duas semanas, Shingeki liderou o ranking, de 11 a 17 de janeiro, com 226.752 cópias, e ficou com o vice, entre os dias 4 e 10 do mesmo mês, quando vendeu o número de 490.937 encadernados, mas viu Jujutsu fazer 654.642.

O volume mais recente do mangá de Hajime Isayama deve levar, provavelmente, todo o mês de fevereiro — chegando ao segundo mês de vendas — para alcançar o milhão, enquanto Jujutsu o fez em pouco mais de 3 semanas. Serve para mostrar o quanto a visibilidade (e a grife) que a marca Shonen Jump imprime em seus produtos. Mesmo sendo, provavelmente, o animê mais hypado do momento em termos globais, é a série de Akutami quem dita o ritmo da Oricon semana após semana.

Em 33º está um dos poucos shoujos da lista, Koi to Dangan (Dangerous Lover), da editora Shogakukan, com seu volume mais novo (#7). A história da colegial que se envolve com um membro da Yakuza costuma a figurar o ranking sempre que é lançada uma nova edição e, recentemente, chegou às 3 milhões de cópias em circulação. O outro shoujo da lista é Skip Beat, que permaneceu no ranking por mais uma semana e chegou aos 125.976 de vendas totais do volume #46.

Outras novidades são That Time I Got Reincarnated as a Slime: The Ways of the Monster Nation #8, um spin-off do mangá do slime publicado aqui pela JBC, na 35ª posição. Emiya-san Chi no Kyou no Gohan #6, um seinen slice-of-life que teve animê em 2018, em 38º lugar. Kuubo Ibuki Great Game #3, continuação da série Kuubo Ibuki, de Osamu Eya e Kaiji Kawaguchi, publicada desde 2019 na revista seinen Big Comic, da Shogakukan. Mobile Suit Gundam MSV-R: Return of Johnny Ridden #21, da conhecida franquia de Yoshiyuki Tomino, na penúltima colocação. E, por fim, Blue Period consegue se manter presente no ranking por mais uma semana — o animê da série foi anunciado e chega esse ano.

As séries mais vendidas da semana

  1. Jujutsu Kaisen, 1.666.730 cópias vendidas
  2. Demon Slayer – Kimetsu no Yaiba, 1.122.844 cópias vendidas;
  3. The Promised Neverland, 328.641 cópias vendidas;
  4. Attack on Titan, 289.057 cópias vendidas;
  5. Chainsaw Man, 173.612 cópias vendidas;
  6. Jujutsu Kaisen 0, 141.651 cópias vendidas;
  7. Haikyu!!, 112.728 cópias vendidas;
  8. World Trigger, 98.200 cópias vendidas;
  9. Spy x Family, 90.152 cópias vendidas;
  10. My Hero Academia, 82.347 cópias vendidas;

Nota: The Promised Neverland World Trigger não estavam no ranking da semana passada.


Fonte: Oricon

Publicidade
close