Imagem: Nausicaä em filme da Ghibli.

Nausicaä: Hideaki Anno gostaria de fazer um live-action, mas Hayao Miyazaki é contra

Segundo Toshio Suzuki, do estúdio Ghibli, Hideaki Anno já teria expressado um desejo de adaptar ‘Nausicaä do Vale do Vento’, mas Hayao Miyazaki é contra.

Toshio Suzuki, produtor do Studio Ghibli,, comentou ontem (25) em entrevista ao programa Bokura no Jirai, da Fuji TV,  sobre rumores sobre a produção de um live-action de Nausicaä do Vale do Vento (Kaze no Tani no Naushika), negando-os.

Segundo ele, já houveram propostas e ao menos dois diretores demonstraram interesse: Takashi Yamazaki (Lupin III: O Primeiro) e Hideaki Ano (Neon Genesis Evangelion, Shin Kamen Rider), mas foram todas rejeitadas pois o roteirista e diretor da obra, Hayao Miyaki, se opõe à ideia de uma adaptação do tipo.

Nausicaä do Vale do Vento (Kaze no Tani no Naushika), apareceu pela primeira vez nas páginas da revista Animage, da editora Tokuma Shoten. Publicado entre 1982 e 1984, o mangá rendeu 7 volumes encadernados. Em 1984, a história chegou às telonas japonesas em um longa dirigido pelo próprio Miyazaki.

A trama traz Nausicaä, a princesa do reino do Vale do Vento, em uma mundo pós-apocalíptico onde a humanidade e quase todo o ecossistema terrestre foram destruídos. Os humanos vivem divididos em pequenas populações, separados por florestas onde tudo é tóxico. A princesa parte para entender melhor esse ambiente e salvar seu povo de guerras com os vizinhos.

O longa foi produzido pelo estúdio Topcraft, que um ano depois iria a falência e se dividiria em dois estúdios, sendo um deles o Ghibli. Tendo como um dos fundadores o criador da obra, ela passou a fazer parte de seu catálogo e ser considerada a primeira produção do – até então – novo estúdio.

No Brasil, a editora Conrad publicou o mangá entre 2006 e 2009, seguindo o número de volumes originais, porém cancelou a obra no quinto volume. Em 2020, a editora JBC anunciou a republicação da obra no país, prevista para este semestre. O longa chegou no Brasil apenas em 2014, pela Versátil Home Video.

Mesmo demorando 30 anos para chegar ao país, o filme saiu numa coleção em DVD e bluray com outros clássicos do estúdio, mas apenas legendado. Atualmente se encontra disponível no catálogo da Netflix, também apenas com legendas.


Fonte: Otaku USA Magazine

Publicidade
close