Imagem: Rei, de batom vermelho, sorrindo.

Evangelion: Hideaki Anno comenta possibilidade de expansão da série

Diretor não tem intenção de lançar mais uma sequência, mas pode trabalhar em outros pontos da série.

Com a chegada de Rebuild of Evangelion na Prime Vídeo, o diretor Hideaki Anno contou sobre a expansão da obra.

Anno disse que não tem interesse em continuar a história, mas que há pontos nela que ele pode querer revisitar no futuro. Um destes pontos seria o pulo no tempo de 14 anos presente no último filme, Neon Genesis Evangelion 3.0: A Esperança. O diretor disse que “de alguma forma, gostaria de esclarecer isso”.

Esse longa, junto com os outros da série Rebuild, chegam dublados amanhã (13) na Amazon Prime Vídeo.


Fonte: ANN


Com 26 episódios produzidos pelo estúdio GAINAX, a série Neon Genesis Evangelion (Shin Seiki Evangelion) foi ao ar no Japão entre 1995 e 1996, adquirindo uma fama gigantesca por ter um “tom” bem diferente dos animês exibidos até então, sendo um marco naquela década e influenciando diversas obras.

Em 1997, foi lançado no Japão o filme Death & Rebirthque recapitula os 24 primeiros episódios em sua 1ª parte, seguindo com uma sequência de animação inédita em sua segunda parte. Essa segunda parte virou a primeira parte de outro filme, The End of Evangelion, também lançado no Japão em 1997, sendo um final alternativo à série de TV (saiba mais aqui).

Dirigida por Hideaki Anno, a trama pós-apocalíptica de Evangelion foca no personagem Shinji Ikari, um adolescente recrutado por seu próprio pai para ser o piloto de um EVA – um bio-robô gigante. Os EVAs, controlados pela organização NERV, são sempre movidos por adolescentes, como forma de combater ameaças alienígenas conhecidas como Angels, a fim de impedir outra catástrofe como a ocorrida na Terra há 15 anos, evento conhecido como o Segundo Impacto.

O animê estreou no Brasil em 1999 pelo extinto canal Locomotion, sendo reprisado anos mais tarde pelo também extinto Animax, com uma redublagem pela Álamo mantendo boa parte do elenco original. Atualmente, com uma 3ª dublagem (saiba mais aqui), está disponível pela Netflix.

Um mangá, produzido originalmente em paralelo com a animação, teve publicação iniciada pela Conrad e finalizada pela Editora JBC (com direito a lançamento simultâneo do último volume juntamente com o Japão).

Publicidade
close