Imagem: Robô RX-78-2 de 'Gundam Seed'.

Yoshiyuki Tomino, criador de ‘Gundam’, alega ter só 3 anos para trabalhar com animês

Sofrendo de estenose espinhal, diretor fala sobre seu futuro na franquia.

O diretor Yoshiyuki Tomino anunciou em entrevista à revista Weekly Playboy, no último domingo (29) que deve ter apenas mais 3 anos de trabalho nos estúdios de animação.

O criador da franquia Gundam contou que sofre de estenose espinhal, uma doença que estreita os espaços em sua coluna espinhal, comprimindo os nervos e causando dores. O diretor de 79 anos também sofre com dormência nas pernas e na lombar.

Ele disse já ter recebido as duas doses da vacina da COVID-19 ainda em junho e que se sentiu pesado algumas horas depois, mas, “ao contrário de certos segmentos sociais”, ele não pretende criticá-la.

Na mesma entrevista, Tomino disse não ter envolvimento na produção do filme Gundam Hathaway, baseado na trilogia de livros escrita por ele entre 1989 e 1990 (confira nossa crítica aqui). Apesar de não falar diretamente sobre o filme, ele afirmou que se não estivesse ocupado com a produção de Gundam: Reconguista in G na mesma época, ele talvez tivesse discussões acaloradas sobre a adaptação com o diretor Shuurou Murase.

O diretor lembrou da época em que dirigiu Triton of the Sea, e de como agora entende como Osamu Tezuka, criador da história original, se sentiu ao vê-lo à frente do animê. Tezuka também não se envolveu na produção e não fez comentários sobre a adaptação.

Também foi perguntado sobre o live-action hollywoodiano de Gundam, mas o diretor disse que não tem uma opinião sobre o assunto. Entretanto, ele admitiu que gostaria de ser chamado para dirigir, mesmo que entenda que sua idade seja um empecilho para dirigir um filme em Hollywood, já que por experiência ele sabe que isso demandaria bastante fisicamente.

Apesar de tudo, o diretor ainda se mantém ambicioso, e há um tempo revelou o desejo de conseguir bater Demon Slayer e Evangelion.

O terceiro filme de Reconguista chegou aos cinemas japoneses em 22 de julho. A quintologia foi escrita e dirigida por Tomino e conta uma nova história no Universo principal da franquia, com enfoque na colonização espacial.


Fonte: ANN


Mobile Suit Gundam

Kido Senshi Gandamu

Imagem: O robô Mobile Suit Gundam.

A primeira série animada Mobile Suit Gundam conta com 43 episódios, tendo sido exibida na TV japonesa entre 1979 e 1980 e hoje disponível com legendas em português na Crunchyroll.

Não completamente satisfeito com o resultado e atendendo ao interesse repentino do público (a série não foi muito bem de audiência no começo), o criador e diretor Yoshiyuki Tomino reeditou o material posteriormente em uma trilogia de filmes, mudando várias coisas (como armas e sequências de batalhas). Esses filmes foram lançados originalmente entre 1981 e 1982 e estão previsitos para estreia na Netflix em junho.

O enredo básico do Gundam original apresenta um universo onde a Terra precisou criar colônias no espaço para suportar a superpopulação e a poluição do planeta. Uma nova era espacial foi iniciada com o título de UC 0001, até que chegou ao UC 0079. É nesse período que uma colônia independente da Terra, Zeon, declara guerra sob controle de uma família tirana.

A batalha desproporcional causou bilhões de mortes e um acordo de paz foi selado por pouco tempo. Quando um navio de guerra da Federação é perseguido pelas tropas de Zeon, um novo conflito se inicia, mas o jovem Amuro Ray encontra o Gundam RX-78-2, uma arma robótica construída pela Terra como resposta aos robôs inimigos. Ray lidera então o contra-ataque a Zeon reunindo civis e refugiados.

Frente ao enorme sucesso, a franquia se dividiu entre novas séries e produtos, incluindo o Gundam Wing, talvez a série mais famosa no Brasil, exibida dublada pelo Cartoon Network nos anos 2000 e disponível com legendas pela Crunchyroll. Alguns animês da franquia, como Gundam Iron-Blooded Orphans, estão disponíveis pela Crunchyroll e Netflix com legendas em português.

Publicidade
close