Imagem: Pedaço de pôster promocional de 'Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba' com os personagens principais.

Mercado externo de animês supera interno em 2020, segundo relatório

Apesar de crescimento em exportações, indústria de animação japonesa tem queda de 3,5% em 2020.

Na contramão dos últimos anos, a indústria de animação japonesa sofreu uma redução de 3,5% no quesito mais amplo (incluindo músicas, produtos, etc) em 2020, levantando um total de 2,4261 trilhões de ienes (118 bilhões de reais). Já o mercado apenas voltado a produções de animês teve queda de 9%, acumulando 274,4 bilhões de ienes (13,3 bilhões de reais).

Os dados são a Associação de Animações Japonesas (AAJ), ou AJA, como fica a sigla em inglês, via ANN.

É preciso pontuar, contudo, que os números de 2019 foram bastante altos, com um crescimento de 15% em relação a 2018, acumulando 2,5 trilhões de ienes (121 bilhões de reais), um pouco mais que o dobro do montante de 2009. Os números de 2020 ainda estão acima dos 21 trilhões de 2018 (e os anteriores), mesmo sendo a primeira queda em mais de 10 anos.

Imagem: Gráfico mostrando o crescimento da indústria de animês desde 2002 até 2020.
Reprodução.

Como seria de imaginar, o mercado de streaming cresceu bastante: 35,8%, com um total de 93 bilhões de ienes. Também esperada devido à pandemia, houve uma queda brusca no entretenimento ao vivo, de 65,6%.

A exportação de séries cresceu em 3,2%, representando praticamente metade do mercado, enquanto o mercado interno diminuiu em 9,7% – é a primeira vez que o mercado externo supera o interno, embora a tendência dos últimos anos já apontasse que isso ocorreria em algum momento.

A especulação – e não poderia ser diferente – é que a pandemia de COVID-19 tenha sido a maior responsável pelos números obtidos. O sucesso de Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba, embora tenha impactado a indústria, parece um outlier à tendência.


Fonte: ANN

Publicidade
close