Imagem: Capa do primeiro volume de 'Drops of God', com protagonista masculino e uma imagem de Jesus Cristo ao fundo.

Mangaká de ‘Drops of God’ começa série ambientada no período Edo

Mangá começa seriação na próxima semana e traz samurai fã de ukiyo-e e uma prostituta de luxo amante de comida.

Shu Okimoto, ilustrador de The Drops of God (Kami no Shizuku, algo como “Gotas de Deus”), vai começar um novo mangá, intitulado Yoshiwara Platonic, na próxima edição da revista Morning, da editora Kodansha, marcada para o dia 18 de novembro.

Novamente, Okimoto fica como ilustrador, enquanto outra pessoa faz o roteiro. No caso, Fujikawa Yotsuba escreve a trama, que traz Sadachika, um samurai do período Edo (1603-1868) fanático por arte ukiyo-e (“estampas japonesas”, um tipo de xilogravura – acaba tendo fama pelas pinturas eróticas).

Para ensiná-lo a lidar com mulheres, seu pai leva o rapaz para uma das maiores prostitutas de luxo do yuukaku (“distrito de diversão”) de Yoshiwara, Murasaki… que no fundo, ama comida. A relação entre eles começa com a comida caseira feita por Sadachika.

Imagem: Anúncio de 'Yoshiwara Platonic'.
Anúncio original via ANN. | Reprodução.

Yuukaku era o nome dos bairros onde prostitutas e bordéis atuavam com permissão legal – por vezes, o termo é usado para se referir especificamente ao extinto distrito de Yoshiwara, em Tóquio, “fundado” em 1617 e o mais famoso dos yuukaku. Em contraste, havia os okabasho (o termo significaria algo como “lugar de fora”), com atuação desregulamentada, ilegal.

Esses distritos tecnicamente surgiram no período Azuchi-Momoyama (1573-1603), mas o imaginário social talvez lembre mais deles como uma herança do período Edo (1603-1868) – os bordéis permaneceram legalizados no país até os anos 1950, passando por Meiji (1868-1912), Taisho (1912-1926) e um pedaço de Showa (1926-1989).

Uma observação é que a matéria consultada, em inglês, utiliza a palavra “cortesã”, associada à Europa da época da Renascença, frequentemente utilizada para se referir a mulheres que se relacionavam com homens da corte como amantes, “trocando” companhia e favores por bem-estar e luxo – embora o termo em si se aplique a qualquer “dama da corte”.

Esse termo é por vezes utilizado em inglês como eufemismo de “prostituta” ou “amante”, especialmente quando há relação com alguma pessoa influente ou rica.

Por fim, Drops of God, o outro mangá de Okimoto, terá uma série live-action com produção internacional em breve.


Fonte: ANN

Publicidade
close