Imagem: Foto de Kazuo Umezu.

‘Zoku Shingo’ é a nova obra de Kazuo Umezu

Autor dá sequência a mangá da década de 1980 com pinturas em acrílico.

Em agosto, Kazuo Umezu, ou Kazuo Umezz, anunciou uma nova obra a caminho, a primeira do autor em 26 anos. Finalmente foram divulgados mais detalhes: a nova série se chama Zoku Shingo: Chiisana Robot Shingo Bijutsukan (Sequência de Shingo: Um Museu de Arte do Pequeno Robô Shingo, em tradução livre).

Imagem: Pôster de 'Zoku Shingo'.
Divulgação.

A obra é composta de 101 pinturas em acrílico e continua o mangá Watashi wa Shingo (Eu Sou Shingo, em tradução livre). A exposição ocorre em 2022, de 28 de janeiro a 25 de março no Tokyo City View, e de 17 de setembro a 20 de novembro no museu Abeno Haruka, em Osaka.

Watashi wa Shingo foi seriado de 1982 a 1986 na Big Comic Spirits, da editora Shogakukan, rendendo 10 volumes compilados. A série traz um garoto e uma garota que se amam mas se separaram quando adultos e um robô industrial que ganhou consciência. Temas como “o que é um deus?” e “o que é a consciência?” permeiam a trama.

Imagem: Garoto e garota de 'Shingo'.
Ilustração de Watashi wa Shingo. | Divulgação.

Umezu começou a carreira como mangaká em 1962, sendo conhecido pelo seu estilo de terror, embora tenha produzido mangás de outros gêneros, como ficção científica e comédia. Em 1974, ganhou um prêmio do Shogakukan Manga Award pela obra Hyoryu Kyoshitsu, ou The Drifting Classroom, publicada de 1972 a 1974, em 11 volumes.

Ele ainda seriou de 1966 a 1967 um mangá baseado em Ultraman, completo em 5 volumes. Na época, também era seriado um mangá do herói com autoria de Daiji Kazumine, completo em 14 volumes. Ambos são inéditos no Brasil.

Seu trabalho mais recente é Fourteen, seriado na Big Comics Special, da Shogakukan, de 1990 a 1995, finalizado em 20 volumes.

Umezu também é ator e músico. Ele também seria uma das inspirações de Junji Ito.


Fonte: ANN

Publicidade
close