imagem: ilustração do mangá de Sailor Moon ao lado do logo Arquivo JBox.

Arquivo JBox: Há 8 anos, ‘Sailor Moon’ chegava ao Brasil em mangá pela 1ª vez

Apesar dos infortúnios do animê no Brasil, mangá de ‘Sailor Moon’ ganhou edição bastante caprichada em 2014.

Em 21 de fevereiro de 2014…

imagem: recorte da notícia sobre a data de lançamento de Sailor Moon… a editora JBC anunciava a data de lançamento do aguardado mangá de Sailor Moon, que chegaria ao público no dia 29 de março de 2014, no evento Henshin+ (e às bancas a partir de 3 de abril), na primeira — e por enquanto única — versão lançada da obra de Naoko Takeuchi no Brasil. A edição publicada foi a shinshoban, de 2003, que compila a obra em 12 volumes (foram 18 originalmente).

No mangá, a JBC optou por utilizar os nomes originais das personagens, com Usagi então “substituindo” o mais conhecido “Serena” — essa tem sido a escolha de todos os produtos mais recentes da série, desde Crystal até a dublagem do filme Eternal. Como o mangá saiu um pouco antes de Crystal, foi a primeira utilização oficial desses nomes por aqui.

E não parou por aí: em 2015 a editora lançou, em formato similar, a série Codename: Sailor V, que é uma espécie de protótipo de Sailor Moon protagonizado por Minako Aino, a Sailor Vênus. No mesmo ano, também saiu a minissérie em 2 volumes Sailor Moon: Short Stories, trazendo historinhas extras que variam do romance à comédia.

imagem: Capas dos mangás de sailor moon pela JBC
Os primeiros volumes de Sailor Moon, Sailor V e Shor Stories pela JBC. | Imagem: Reprodução/JBC

De lá para cá, muita coisa mudou: o Henshin não existe mais (ao menos não com esse nome), as bancas perderam espaço no varejo, a JBC foi comprada pela Cia das Letras… mas uma coisa não mudou: a editora segue sendo a casa da marinheira da Lua no Brasil e vai eventualmente publicar uma versão de luxo do mangá, também intitulada Sailor Moon Eternal.

Dá para dizer que a editora merece: a JBC passou pelo menos 13 anos tentando a liberação da obra — ou seja, buscava colocar o título no mercado brasileiro desde que começou a publicar mangás por aqui, em 2001, e parte do “problema” na negociação eram as exigências da própria Naoko.

Com fãs e uma autora muito exigentes, a JBC teve bastante capricho, e a publicação nacional foi muito elogiada pela qualidade, que estava acima do padrão do mercado nacional de mangás na época, mas talvez não tão distante do padrão atual. A qualidade da edição brasileira foi um dos pontos ressaltados numa resenha que postamos logo após o lançamento.


Matéria original: JBC anuncia data de lançamento de Sailor Moon, por Rafael Jiback

Publicidade
close