Imagem: Casal de School Days em retrato no animê.

School Days: O animê para acabar com o seu Dia dos Namorados | Artigo

Feliz dia dos namorados, otakus!

O mundo dos animês é recheado de obras românticas na medida certa para alimentar a esperança no amor. E nas mais variadas doses de açúcar.

Quer algo idealizado, onde tudo dá certo no final e não só a vida do casal, mas de todos ao redor, é melhorada por essa relação? Tente Horimiya, uma graça de animação sobre o esquisitão e a popular do colégio que descobrem serem pessoas bem diferentes fora da sala de aula. Que tal uma sátira dessa idealização, mas que reserva vários clichês bonitinhos por trás dessas piadas? Vá de Kaguya-sama: Love is War, sobre um casal de estudantes apaixonados que teimam de não se declarar um ao outro.

O ambiente escolar não é mais a sua, prefere algo mais voltado pro mundo corporativo e que tenha a ver com seu dia a dia? Pode dar uma olhada em Wotakoique retrata casais otaku em uma mesma empresa, e em My Senpai Is Annoying, onde uma estagiária e seu instrutor desenvolvem uma relação tão engraçada quanto tocante. Há para todos os gostos.

Imagem: O moço e as duas moças de School Days.
Reprodução: TNK.

Mas e o contrário? Animês que retiram toda a fé que possamos ter em relacionamentos amorosos, que dão até um certo asco que se apaixonar daqui em diante? Sei de, pelo menos, um muito bom nessa pegada: School Days.

Adaptado de uma visual novel (um jogo eletrônico de interação onde as escolhas do jogador afetam no decorrer da história e em seu final) da Overflow, de 2005, School Days é um animê dirigido por Keitaro Motonaga (de Date A Live, Digimon Adventure Tri, Guerreiras Mágicas de Reyearth, Get Backers e segue a lista), produzido pelo estúdio TNK, com 12 episódios que foram ao ar em 2007.

A trama, um harém, gira em torno de Makoto Itou, um estudante do Ensino Médio, que, inicialmente, se apaixona pela tímida Kotonoha Katsura. Para conquistá-la, ele ganha a ajuda de uma colega de sala, a Sekai Saionji, que cria situações para os dois interagirem. E as coisas até que vão bem, mas num plot twitst que ninguém poderia prever, Saionji resolve tomar a iniciativa e dar uns pegas no Makoto, o que cria um triângulo amoroso perigoso para todos os envolvidos.

Imagem: Uma das meinas arrumando a roupa do protagonista, e a outra sentada ao seu lado.
Reprodução: TNK.

Não entrarei em mais detalhes para não estragar as surpresas, mas vale dizer que, com o passar dos episódios, a história torna-se um thriller deliciosamente desconfortável, esquisito, soturno e com desfechos grotescos. Há uma crescente de paranoia, onde os personagens se afundam numa espiral de péssimas decisões, que revelam o que de pior eles podem se tornar.

É comum falar em tom jocoso sobre “seinens psicológicos” (me incluo nisso). Aqui está um exemplo onde isso é realmente bem feito. O Makoto certamente será um dos personagens mais repugnantes que você conhecerá.

Enfim, quer estragar o seu Dia dos Namorados? Vá de School Days! Tá na Crunchyroll. Infelizmente, só com legendas em inglês disponíveis.


Abaixo, alguns dos comentários de espectadores que aparecem na caixa do primeiro episódio:

“saim daqui agora. REPITO, SAIAM ENQUANTO É TEMPO.”

“PARA AGORA, VAI EMBORA ENQUANTO A TEMPO”

“Mano, eu vou falar aqui pra vocês, PARA NÃO ASSISTIR ISSO! NUNCA VOCÊ NÃO DEVE, e o Makoto é um FDP, NAMORAL QUE MLK ARROMBADO!!!!”

“Serio so assiste se vc gosta de ser traumatizado …tipo e boa a história …mais so pr qm tem sanidade mental boa”

“Você que aproveitou para ler os comentários antes de começar, essa é uma recomendação universal. PARE, NÃO ASSISTA, PARA ENQUANTO PODE.”


School Days está disponível por completo e com legendas em inglês na Crunchyroll. A empresa fornece um acesso ao serviço ao JBox.


O texto presente neste artigo é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do site JBox.

Publicidade
close