Imagem: Roxanne com roupas de empregada.

‘Isekai Meikyuu de Harem wo’ estreia em julho

Série terá versão censurada, versão “meio censurada” e versão sem censura no Japão.

Um novo trailer de Harem in the Labyrinth of Another World (Isekai Meikyuu de Harem wo) revelou a estreia da série no dia 5 de julho. A Crunchyroll já confirmou a série.

A exibição japonesa contará três versões: uma restringindo (ou seja, censurando) algumas partes, uma versão um pouco menos censurada e uma outra versão totalmente sem censura. Presumimos que a versão internacional será a com maior censura, mas é possível que seja outra ou até mesmo mais de uma.

O vídeo traz uma prévia da abertura, “Oath”, interpretada por Shiori Mikami. Confira:

O animê adapta a série de livros se foca no estudante do ensino médio Michio Kaga, que um dia é transportado para um mundo de fantasia estilo RPG, no qual consegue usar alguns “cheats”. Ele usa seus poderes para juntar garotas – a maioria escravas compradas – para o seu harém, em seu objetivo de virar mestre na profissão “maníaco sexual” (sim, essa é trama).

A produção é do estúdio Passione (Higurashi: New), com direção de Naoyuki Tatsuwa (Nisekoi) e roteiro assinado por Kurasumi Sunaya (Minami Kamakura Girls Cycling Club, Yowamushi Pedal New Generation). Taku Yashiro (Vulcan Joseph em Fire Force) interpreta o protagonista Michio, e Shiori Mikami (Akari Akaza em Yuruyuri) faz Roxanne, a primeira integrante do futuro harém do personagem.

A novel foi seriada de forma independente do site Shousetsuka ni Narou de 2011 a 2019, com um epílogo saindo em março de 2020. A editora Shufunotomo publica os volumes, com ilustrações de Shikidouji (Full Metal Panic!) – são 12 por enquanto. Uma adaptação em mangá é seriada na Shonen Ace, da Kodakawa, desde 2017, com 7 volumes até o momento.

O nome original, na verdade, é Isekai Meikyuu de Dorei Harem wo (Harém de Escravas num Mundo de Masmorras), mas a versão editada pela Shufunotomo retirou o “dorei” (escravo) do título, adaptação seguida pelos mangá e animação, e um indício de que até as produtoras japonesas consideram a série meio bomba.


Fonte: ANN

Publicidade
close