imagem: foto de Chumei Watanabe junto a ilustrações de séries tokusatsu

7 trilhas sonoras emocionantes de Chumei Watanabe no tokusatsu | Coluna do Daileon #159

Relembre as BGMs que ficaram eternamente marcadas nas nossas lembranças.

Fomos surpreendidos na semana passada com a notícia da morte do compositor Chumei Watanabe, um dos grandes nomes das trilhas sonoras de animês do estilo mecha como Mazinger Z e principalmente de séries tokusatsu. Eu não poderia deixar passar em branco uma homenagem a um dos responsáveis por marcar a memória afetiva das nossas infâncias.

Eu destaco nesta coluna 7 trilhas sonoras – em ordem cronológica – que ficaram eternamente marcadas nas nossas lembranças.


1) Spiderman (1978~79)

Tá certo que Spiderman, a série japonesa do Homem-Aranha, é inédita no Brasil, assim como tantas outras produções da Toei como GorengerBattle Fever J e Daitetsujin 17 (One Seven), entre outras que tiveram as BGMs de Watanabe. Spiderman vale ser mencionado aqui por causa da segunda parte da trilha “Pursuit Theme”. É uma versão instrumental e melancólica do tema de encerramento da série e que tocou em vários momentos dramáticos.

Em particular, esta trilha ficou marcada na minha memória em dois momentos: o primeiro foi na cena em que Takuya Yamashiro, o alter ego do “cabeça-de-teia”, presencia a morte de seu pai, que foi assassinado pelo Exército da Cruz de Ferro.

E o outro foi na cena em que Takuya visita uma igreja e lembra de uma conversa que teve com Garia, o sobrevivente do Planeta Spider que lhe concede os poderes e os veículos do Homem-Aranha.

Quem está mais habituado com as séries dos anos 1980 que foram exibidas no Brasil, vai curtir Spiderman, pois muito da carga dramática e de ação que vimos na época da saudosa Manchete está nas próprias BGMs. É diversão pura e alguma ou outra trilha será bem familiar.

Ouça a segunda parte da trilha “Pursuit Theme” (aos 6’32”):


2) Gavan (1982~83)

A primeira série Metal Hero se tornou um sucesso quase imediato graças à sua temática espacial. Watanabe equilibrou a variação de estilos para determinados momentos da trama.

Em especial, a canção “Aoi Chikyuu Wa Hana No Hoshi”, interpretada por Harry Kimura, ficou marcada quando foi tocada pela primeira vez no episódio 11, ressaltando a infância do herói que queria conhecer o seu pai, o Policial do Espaço Voicer.

O ponto alto da música foi o episódio 43, o penúltimo de Gavan, que tocou tanto no reencontro do nosso herói com Voicer quanto na proximidade da morte do pai, que foi interpretado pelo saudoso Sonny Chiba. De longe, o momento mais dramático de toda a série.

Ouça “Aoi Chikyuu Wa Hana No Hoshi”:


3) Sharivan (1983~84)

Com certeza, para muita gente, Sharivan ficou marcado pelas duas partes da trilha “Sharivan Crash!!”. A primeira toca em vários momentos de tensão do Policial do Espaço contra o monstro da semana no Mundo da Alucinação. E a outra toca exatamente quando o herói ergue sua Espada Laser (Laser Blade, no original) para derrotar o monstro da semana.

Dentre as trilhas mais carregadas e arrepiantes que as da série anterior, há uma BGM que é bem próxima de Jaspion – ou melhor, serviu de inspiração para o próprio Watanabe dois anos depois. Eu me refiro à primeira parte da trilha “Iga Crystal no kagayaki”, que ficou marcada em vários momentos importantes, principalmente quando Sharivan e o Capitão Gavan contemplam o pôr do sol após derrotarem Maoh Saiki (Maoh Psycho), o chefão da organização Mad (Madou).

Ouça “Iga Crystal no kagayaki”:


4) Shaider (1984~85)

Shaider tentou superar seus antecessores, mas a fórmula já mostrava sinais de cansaço com o passar do tempo – embora tivesse acrescentado elementos importantes para a mitologia dos Policiais do Espaço.

Annie, a parceira do herói-título, interpretada pela atriz Naomi Morinaga (a Helen em Spielvan), roubou várias cenas de ação. Ela foi uma personagem triste e amargurada que queria vingar o Império Fuuma pela destruição de seu planeta natal.

De todas as BGMs de Shaider, com certeza “Shaider to Annie”, principalmente a segunda e a terceira parte da trilha, é a mais comovente de todas. Tão emocionante que chegou a ser tocada no episódio 34 de Jiban, enquanto a Chefe Yoko chorava pela morte do Policial de Aço durante um radiante e melancólico pôr do sol.

Ouça “Shaider to Annie”:


5) Jaspion (1985~86)

Lembram que eu disse acima que Sharivan tinha uma trilha parecida com uma de Jaspion (ou vice-versa, melhor dizendo)? Pois bem. Eu me refiro à segunda parte da trilha “Ginga No Heiwa Wo Wagaate”, que com certeza ficou muito bem associada, na memória, pela primeira morte de MacGaren no episódio 29 da série, logo após a explosão do corpo do filho de Satan Goss (sobrando apenas o braço direito, decepado pelo nosso herói).

Essa mesma trilha é tão triste de um jeito que também foi marcada por outra morte, no caso de Jiban, no mesmo episódio citado no tópico anterior, exatamente no momento em que o corpo do herói foi levado pelo carro Leson.

Ouça “Ginga No Heiwa Wo Wagaate”:


6) Spielvan (1986~87)

É notório que Watanabe se auto baseou nas trilhas de Sharivan e principalmente de Jaspion para compor algumas BGMs de Spielvan, dando um toque a mais de carga dramática. Ora, esta série era praticamente uma releitura da trilogia Uchuu Keiji e a temática espacial ainda estava em alta.

E trilha emocionante é o que não falta em Spielvan. A mais comovente, aquela de deixa o espectador com dó dos heróis, é a terceira parte da trilha “Tsuioku no Helen”, que valorizou bastante a busca do herói pelo pai e irmã sequestrados pelo Império Water (Waller).

A trilha ficou marcada pelo flashback dos pequenos Spielvan e Diana se despedindo de seus pais, apresentado no segundo episódio.

Ouça “Tsuioku no Helen”:


7) Jiban (1989~90)

“A Morte de Jiban”, episódio 34 da série, contou com uma sequência de trilhas intensas de Sharivan, Shaider e Jaspion | Foto: Reprodução/Toei

E pra fechar, eu não poderia deixar de citar Jiban, série onde Watanabe criou trilhas próprias, mas acabou reaproveitando várias BGMs de séries mais antigas em que trabalhou. Só pra citar, tivemos trilhas dos seguintes clássicos: Inazuman (1973), Akumaizer 3 (1975), JAKQ (1977), Spiderman (1978), Gavan (1982), Sharivan (1983), Shaider (1984) e Jaspion (1985).

Não tem jeito e volto a mencionar o episódio 34 da série, que mostra o herói sendo derrotado ao som de BGMs de séries exibidas no auge de Jaspion e cia no Brasil. Antes das trilhas já mencionadas, tocou a primeira parte de “Sharivan Crash!!”.

Se essa trilha já era pesada em Sharivan, imagine então no momento em que o braço de Jiban é decepado por Madogarbo. Foi uma combinação incrível de intensas trilha sonoras que evocam a nostalgia e o saudosismo de velhos tempos que não voltam mais. Só quem foi criança no começo dos anos 90 que entende o legado deixado pelo gênio das músicas de tokusatsu.

Arigatou, Watanabe-sama!

Ouça “Sharivan Crash!!”:


O texto presente nesta coluna é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do site JBox.

Publicidade
close