Robin Hood

[div coluna1]Robin Hood
Robin Hood no Daiboken (A Grande Aventura de Robin Hood)
Produção: Tatsunoko Production, 1990
Episódios: 52 p/tv
Criação: Baseado no conto de Alexandre Dumas
Exibição no Japão: BS2/NHK (29/07/1990-30/06/1991)
Exibição no Brasil: Record – Cine House
Distribuição: Paris Filmes
Disponível em: VHS

Última Atualização: 06/06/2007

Por Larc Yasha

Toda criança já ouviu falar de Robin Hood. O mítico personagem já ganhou diversos formatos e versões para todo tipo de mídia e, dentre todas as produzidas, uma das mais bacaninhas e queridas no Brasil foi a versão anime do herói que roubava dos ricos para dar aos pobres. Mas antes de falar do anime em si, você saberia responder quem é Robin Hood? XD

Os primeiros textos nos quais Robin Hood é citado na literatura datam de meados do século XIV. Não se sabe ao certo se o personagem realmente existiu ou se não passava de uma figura inventada pelo povo da época da Idade Média, simbolizando resistência e luta pela liberdade contra a opressão da nobreza. Alguns historiadores acreditam na hipótese desses textos terem sido criados com inspiração na vida do Conde de Huttington, Robert Fitzhooth. Nomeado pelo rei Ricardo Coração de Leão (acreditem… Um rei teve mesmo esse nome!), o conde viveu no final do século XII, e teria sido um nobre destituído safadamente. Até provar suas origens, vivera na lendária floresta de Sherwood (que existe e fica entre as cidades inglesas de Nottingham e Worksop) com um grupo de homens que lutavam contra a tirania.

O personagem ganharia o mundo literário em forma de um conto escrito por Alexandre Dumas (também autor de Dartagnan e os Três Mosqueteiros). Esse conto serviu de base para a transposição do herói para outras mídias como cinema, quadrinhos e TV, além de gerar outros livros que adaptavam a história, feitos pelos mais diversos autores mundo afora.

Dada a aulinha relâmpago sobre a origem de personagens populares da infância de todo mundo, que ninguém nunca se dignou a contar (ou você sabia dessa do Robin Hood XD?), vamos falar agora da animação japa inspirada no conto do herói, que seria preso por autoridades de todo mundo por sua filosofia de vida, incompatível com o mundo atual (os ricos é que roubam dos pobres, né?).

Aqui na Floresta de Sherwood…
Robin Hood anime, foi fruto de uma parceria entre a Tatsunoko Productions e a NHK. Aparentemente, o entusiamo para o lançamento da série partiu do olho gordo no “sucesso” que a Nippon Animation despontava com suas adaptações de clássicos europeus como Peter Pan (lançada em 1989). Por alguma razão, o anime depois que ficou pronto foi exibido pelo canal BS2 (acham que só nós temos nomes bestas pra canal de televisão como “Rede TV!”??? :P) que é uma espécie de versão “a cabo” da NHK. Aliás, a NHK é uma TV estatal do governo japonês (como a Cultura é do Governo de São Paulo), então não é surpresa exibir uma animação baseada num famoso personagem da literatura (ou seja: até os desenhos “educativos” dos japas são melhores que os vistos aqui :P).

Dirigida por Koichi Mashimo (que também foi o diretor de Saber Rider e a primeira série de OVA de Tank Policie Dominion, de Masamune Shirow – e que saiu no Brasil, sabia?!), a série rendeu 52 episódios e não fez nenhum sucesso fantabuloso. Pelo menos no Japão. O sucesso no exterior da série foi significativo principalmente na Árabia (!), Alemanha e Itália. Curiosamente, em alguns países, a série não foi enviada por completo! E adivinha qual foi um dos países cujo anime não chegou inteiro? :(

Um detalhe interessante é que a rede de TV italiana, TV Mondo (que também atua como distribuidora de programas na Europa), adquiriu os direitos de exibição do anime e passou a vender a série pra diversos países como se fosse uma produção sua! Aliás… Essa mesma tática de autorar a produção de um anime para si através dos créditos de abertura e encerramento, foi uma prática usada amplamente pela Saban, Harmony Gold e tantas outras distribuidoras, principalmente nos EUA. Lembram que até Spectreman tinha nos créditos um monte de nome de gringos?

A qualidade de animação de Robin Hood é bem padrão “baixo orçamento” de animes e a abertura e encerramento conseguem ser bem mais animados que a série em si (hehehe). As músicas são bacaninhas e a trama até que prende atenção – ainda que se desenrole em um ritmo meio lento no começo. Uma coisa engraçada – que é uma característica marcante nos animes – é a forma como efeitos são empregados para simples situações. Robin atirando uma flecha com seu arco, nos passa a sensação de que a flecha é tão poderosa como um kame-hame-há!!! É a mesma coisa com o chute dos personagens de Super Campeões, ou a “transformação” que fizeram pro Zorro! Loucura, loucura. :P

… O nosso herói, o grande Robin Hood!
Na Inglaterra da Idade Média, a floresta de Sherwood esconde segredos que despertam a cobiça de muitos reis e barões mesquinhos, atrás de riquezas e poder. Por negar-se a revelar os segredos de Sherwood, o rei do castelo de Huntington sofre um atentado, onde seu castelo é incendiado a mando do perverso Lorde Alwine. Em meio ao caos e desespero, o príncipe Robert (o Robin) encontra-se com o cavaleiro Gilbert que tenta impedir que o garoto vá a auxílio a seu pai. Utilizando o arco e flecha mágico do Rei, Robin tasca uma flecha certeira no rosto do cavaleiro da Rosa Negra, Gilbert – que jura vingança. Mas é muito tarde para algo ser feito e enquanto o castelo se consome pelo fogo, Robert foge com seus primos Will, Winnifried e a fedelhinha Barbara para a floresta de Sherwood.

Na floresta, reside um bando de foras-da-lei procurados, liderados pelo “Pequeno John”. John e seus homens fugiram para a floresta por conta da opressão que Lorde Alwine impôs à seu vilarejo. Vivendo como bandidos que alegam fazer justiça, o pequeno John e seu amigo-capacho Much, atacam uma carruagem na estrada que levava dentro a jovem Lady Marian. O sorrateiro Much furta um objeto de extrema importância para Merian – a cruz dourada, um crucifixo que é a marca dos Lancaster, sua famíla – e esse pequeno ato faz com que os destinos de todos os personagens se entrelacem.

Robin ajuda Merian na floresta, ao mesmo tempo em que conhece o Pequeno John e seu bando. Na busca pelo crucifixo dourado de Marian, Alwine envia cavaleiros – liderados por Gilbert – para a floresta de Sherwood e o Cavaleiro da Rosa Negra acaba trombando com Robin por lá. Winnifried acaba sendo sequestrada por Gilbert e isso obriga Robin e o Pequeno John (que se apaixonou pela mocinha) a se unirem para salvá-la. Merian estava prestes a ser “adotada” pelo safado Bispo Herdford (que almeja usurpar a fortuna dos Lancasters), quando a confusão pela invasão de Robin ao castelo livra a donzela dessa enrrascada e a faz se unir ao bando dos “homens felizes” do Pequeno John contra as injustiças do Barão Alwine – que depois se une ao Bispo Herdford!

A sede de poder e vingança de Alwine e Herdford faz as coisas na série acontecerem. Todo episódio tem um plano novo para dar um fim a Robin e os moradores da floresta de Sherwood. No decorrer da série vemos Gilbert morrer e voltar (bonzinho agora… Isso é um anime! Esqueceu que tem que ter um vira-casaca?), a floresta pegar fogo, os Cavaleiros Negros tentarem matar Robin e seus amigos, a irmã de Alwine (Cleo) aparecer e aprontar mais maldades… Isso tudo até o Rei Ricardo Coração de Leão aparecer na série (coisa que só acontece no final) e tudo terminar com um “felizes para sempre” como nos contos de fadas. Pena que não passou tudo aqui :(.

Uma coisa interessante e que não tem muita explicação: na abertura aparece uma espécie de cervo encantado que (aparentemente) é o espírito da Floresta. Se eu te contar que o bicho nem aparece na série, você acredita? Hehehehe… Vai entender o que esses japas pensam!

No Brasil
Robin Hood chegou ao Brasil em 1996 pelo Grupo Paris Filmes, no meio daquela enxurrada de animes lançados sem divulgação no mercado brasileiro devido à febre dos Cavaleiros do Zodíaco. Foram lançados 2 VHS contendo 3 episódios cada. Em 1997, a série foi vendida dentro de um pacote de desenhos para a Rede Record, que o pôs no ar em 1998 – fazendo uma dobradinha bacana com o anime do Zorro. Posteriormente, episódios do anime foram lançados por distribuidoras nanicas (que desenhavam muito mal as capas XD) reaproveitando fitas pornôs encalhadas (gravavam por cima! Saíram uns tokusatsus nesse esquema bizarro também!!!). O jornal carioca O Globo chegou a lançar uma dessas fitinhas que não passaram do volume 3 (dois episódios por fita). Posteriormente o anime foi exibido aos trancos e barrancos pelo Cine House, canal feito pela Tecsat para suprir a falta dos HBO em seu sistema de TV por assinatura. Nessa exibição não havia horário fixo, ou seja, assistir à série era tarefa árdua.

A série não foi exibida nem lançada em VHS até o final, mas tudo indica que o motivo não era a má vontade da emissora do bispo ou da Paris Filmes, mas sim o fato da série ter sido entregue incompleta. Não revisar o que se compra dá nisso ^^. Nossa versão veio da Itália e manteve as músicas originais intactas. Foi produzida uma animesong brazuca em cima da letra em inglês, que deixou a melodia diferente da original japa (que se chama “Wood Walker”).

A versão brasileira, feita nos estúdios da Dubla Video, contou com um elenco de vozes muito bom e harmonioso. Robin ficou com a voz de Vagner Fagundes (quando ele ainda não era tão “pop” e requisitado). Hermes Baroli fez o Pequeno John e a bela voz da Tânia Gaidarji (Chun-li, deusa Vishnu do Shurato…) fez a doce Merian. Já o “vilão” Gilbert ganhou o tom certo na voz de Silvio Giraldi – o Sesshoumaru, irmão do Inu Yasha!

Ao lado de A Lenda do Zorro (esqueçam A Branca de Neve XD), Robin Hood foi a série que tapiou a sede por novos animes da otakuiada brazuca que não teve nenhum lançamento decente em 1998 na tevê aberta. Simpático e passando apenas com o intuito de divertir (ou você viu produtos da série no mercado?) a produção conquistou muitos fãs, que conseguem enxergar animes como uma mera forma de diversão.

Checklist Episódios
1- Nasce o herói da floresta
2- A floresta misteriosa
3- Os rivais Robin e Gilbert
4 – Emboscada na Floresta
5- Gay de Ghisborne, o vingador, está na cidade
6- O bandido gentil
7- Winifred em perigo
8- Contra Nothinghan
9- Amigo ou inimigo?
10- Uma dificil missão
11- Lembrança do passado
12- O grande disfarce
13- A adoção
14- O sol nasce em um novo dia
15- Um retorno inesperado
16- Adeus, Gilbert
17- Um passado perigoso
18- Frei Tuck em ação
19- Mágica na floresta
20- Marien contra Awine
21- O leão feroz
22 As rosas de Shanty estão queimando
23- Um tempestade em Nottignham
24- A garota de preto
25- Amor e ódio na floresta
26- Paz, depois da tenpestade
27- Um combate em Sherwood
28- O navio voador
29- Um futuro romântico
30- Guerra ao ávido Barão
31-A vingança do bandido
32- Barbara e Kirk
33- Robin e Cleo se reconciliam
34- A névoa da vingança
35- Os bons velhos tempos
36- O misterioso
37- Sherwood em chamas
38- O terouro da floresta
39- A reconcialiação
40- Um ser diabolico
41- O traidor da Inglaterra
42- O lago da verdade
43- A batalha decisiva
44- O azarento
45- O charmosos fora da lei
46- Big o imbativel
47- Um olhar puro
48- Tragédia para os bandidos de Sherwood
49- O principe da floresta
50- A descisão
51-The crownig
52- Robin o imortal

[/div][div coluna2]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=2qTrHG5IfnE 255 214]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[/div]

Publicidade
close