Shaider

[div coluna1]Shaider
Uchuu Keiji Shaider (Policial do Espaço Shaider)
Produção: Toei Company, 1984
Episódios: 48 p/ tv
Criação: Saburo Hatte
Exibição no Japão: Tv Asahi (02/03/1984-01/03/1985)
Exibição no Brasil: Globo – Gazeta
Distribuição: Globo Filmes

Última Atualização: 11/10/2007

Por Larc Yasha

Em 1982 a Toei Company lançou a 1ª série do gênero Metal Hero – o Policial do Espaço Gaban – e o sucesso atingindo pela inovadora produção (na época), fez com que o estúdio produzisse mais duas “seqüências diretas”, que viriam a render a famosa trilogia dos policiais do espaço – conhecida por todo fã de tokusatsu que se preze.

No ano de 1984, Uchuu Keiji Shaider deu o ar de sua graça. E tal como em Sharivan (de 1983) não se arriscou muito em ser diferente da série percussora. Com certeza, essa falta de ousadia prejudicou bastante o sucesso da série junto ao público. Tanto, que após o fim de Shaider, a Toei resolveu lançar um metal hero “diferente” e sem ligação com as séries anteriores… Qual o nome desse herói? “Apenas” Jaspion – conhece =P ?

Talvez para compensar os roteiros nada criativos, a produção tenha se preocupado em caprichar no visual do herói. A armadura metálica azul de Shaider é tida como um dos mais belos uniformes do gênero desenvolvido pela Toei na década de 80. Os brinquedinhos também não são tão mal feitos… Eu disse brinquedos? Quis dizer equipamentos =P. A inseparável parceira do herói ganhou um foco completamente inédito: ela agora luta e atira nos inimigos!!! Aliás, a atriz Naomi Morinaga (que dois anos depois interpretaria a Helen em Spielvan) consegue interpretar/protagonizar a série bem melhor que o falecido Hiroshi Tsuburaya (sim… ele é parente – neto – do pai dos ultras! Sentiu o “Q.I” rolando na parada?).

Ao invés de ficar na nave observando o herói lutando na pedreira da Toei (ops… quero dizer… “Tempo Espacial Mágico!”, a dimensão maligna da vez), Annie sai pra guerra e não pensa duas vezes em usar sua pistolinha cafona (e desfilar com uma roupitcha de cowgirl pior ainda) contra os inimigos! Só faltou armadura mesmo…

Tirando esses detalhes, Shaider é a mesmíssima coisa que Gaban e Sharivan. E pra piorar, um pouco mais chatinho… Temos lá o grande imperador do mal que não se mexe até o final da série (o Imperador Kubilai em Shaider – um cabeção assustador na parede de uma sala o_O); os assistentes perdedores até a morte; os monstros paspalhos (bem mais bizarros nessa série! Parecem fantasias de escolas de samba do grupo de acesso de comunidades paupérrimas!!!); o artifício de enviar o herói pra outra dimensão (a pedreira da Toei e um estúdio com muito gelo seco!)… Enfim, o mesmo pão com o mesmo presunto!

Seria trágico se não fosse… Ahn… É trágico sim U_U
Kubilai e o Império Phuma são oriundos do Mundo Mágico (será que o Mister M e David Blaine vieram de lá?) e estão dizimando planetas por toda Via Láctea… Um dia chegam à Terra, e Kubilai gosta do nosso planetinha por ele ser o mais belo do universo (somos uma opala azul pro bicho feio! Que chic né?). Mas para impedir isso, o policial do espaço Shaider é destacado para defender a Terra (oh, que emocionante T_T).

Phuma vinha agindo de forma avassaladora no universo (estranho é que ninguém comentava nada disso nas séries anteriores… Mas abafa XD). A situação estava chegando à um ponto realmente crítico… Na Academia de Polícia da estrela Bird, a jovem Annie fica sabendo da notícia que seu planeta (a Pedreira da Toei com umas maquetes de isopor @[email protected]) fora destruído por Phuma. Movida pelo sentimento de vingança, ela se une à Shaider e parte com ele na espaçonave Babirus para cumprirem a missão…

A partir daí, temos uma enrolação entendiante até o decepcionante final da série. O que salva os episódios são as cenas de ação que Annie protagoniza. Shaider sem armadura é um cara com cara de babaca e usa a roupa mais cheia de botões da história!!! E os orelhões de chimpanzé? Dumbo ficaria feliz ao encontrar com o policial do espaço… Nem o elenco de apoio (com o mesmo personagem pastelão de Gaban e Sharivan – o fotógrafo Kojiro, que pentelha até no game pra PS2 dos enlatados do espaço ò_ó) salva a série!

Os vilões são medonhos de tão idiotas. Os soldadinhos tem cara de bicho-papão desnutridos… A sacerdotisa Paú é drag-queen (SIM! É um homem aquilo!!! Só que dublaram como mulher para não ficar esquisito). O Comandante Hesller só sabe ficar olhando seus soldados se jogarem no chão (Shaider mal batia e eles se esborrachavam O_O )… Tem também as guerreiras da morte que se chama garotas 1, 2, 3, 4 e 5. Qual será o nome da mãe e do pai???

Não bastasse esse circo, ainda tinham uns monstros que ficavam se mexendo próximo à cabeça de Kubilai, e que dava vontade de entrar na tv pra matá-los de tão inúteis e feios que eram! Pensa que acabou? Phuma tinha uma música ritualística que deixava qualquer um com vontade de trocar de canal… E os monstros? Uns 70% tinham olhos feitos de bolas de isopor e corpo de borracha. E o “Tempo Espacial Mágico” (nome do artifício multi-dimensional usado pelos vilões para mandar Shaider pra Pedreira da Toei ) não os deixava mais fortes… Ainda que o narrador afirmasse que sim.

Narrador comentando? SIM… Tal como em Gaban e Sharivan um narrador ficava explicando pra quem assistia como Shaider se transformava. O interessante é que na versão brasileira, o cara mudava o texto todo santo episódio…

Shaider tinhas cenas de ação até bem legais… Muitas explosões, carros batendo, quedas de penhascos… Mas no geral – por culpa da história forçada – é a mais fraca das séries dos policiais do espaço. De interessante, uns fatos se destacavam na série. A nave dele se convertia em duas coisas: um robô gigante (o 1º oficial dentro da linha metal heroes – embora tosco pacaramba…. parecia uma caixa de leite high-tech) e uma “bazuca” pra explodir a nave mãe da armada inimiga do dia… Ahn… Falando nisso, como os vilões dessas três séries construíam essas naves, aparentemente gigantescas, de forma tão rápida? E pra que, se sabiam que os heróis iam explodir com elas???

Shaider dispunha de armas bacanas… A dublagem brasileira confudia muito os nomes, mas basicamente eram a pistola de raio e vídeo (hum… hoje em dia seria mp3 e celular também :P) e a espada Multi-laser. Falando nisso, a melhor parte era quando Shaider a invocava… Tocava aquela BGM clássica do Gaban / Sharivan e ele terminava a batalha mandando o “Relâmpago Azul Shaider” (parecido com o Choque Fatal Sharivan e o Dinâmico Gaban – aqui traduzido para Gaban Vencerááááá!!! @[email protected]). No meio da série inventam um tal “segredo de Kubilai” que tem haver com estranhos símbolos encontrados naquela Ilha de Páscoa da Polinésia. O que poderia render uma melhora no roteiro dos episódios acaba ficando de lado, e só perto do final da série volta-se a comentar sobre o assunto.

Querem saber o final? (* Spoliler*) Do nada, Kubilai começa a atacar mais intensamente o universo. Aí os policiais do espaço de outros planetas vão morrendo (não, eles não tinham armaduras… E uns dois tinham cabeça de galinha e de gato!) e o Comandante Kom manda Shaider ir pra ilha que aparentemente possui o segredo para derrotar Kubilai. Porquê não mandaram ele pra essa ilha desde o começo? Ninguém sabe…

Ficamos sabendo que existiu um guerreiro lendário chamado Shaider (original né?) que derrotou Kubilai à milhares de anos. Desvendando um enigma, o atual Shaider conseguiria adentrar numa espécie de sarcófago. Kubilai manda todos seus comandados irem pra ilha… E todos são derrotados. Aí do nada, Shaider resolve o enigma e encontra um corpo. Kubilai passa a sorrir do nada ao invés de tremer (ele ficava se borrando todo quando se aproximavam da tal ilha… Ahn… Como um cabeção sem corpo se borra o_O?).

Conta-se que no passado o guerreiro lendário Shaider decepou a cabeça de Kubilai e deixou o corpo dele inerte nas ruínas do sarcófago da Ilha Oriental. O corpo começa a se mexer e tenta matar o Shaider do presente (êêê =D). Obviamente é derrotado, mas Shaider fica preso no túmulo! Por obra do “acaso” ele acaba descobrindo uma moto que nem a sua (!) que pertencia ao Shaider do passado (Putz! Detalhe que as ilustrações do tal Shaider to passado mostravam um cara todo primitivo). Annie é seqüestrada e fica um episódio inteiro pra ser morta por Paú. Shaider aprende a ligar a motinha e voa pro castelo de Kubilai. Porquê ele nunca foi lá antes e acabava logo com tudo?

O cabeção de Kubilai arruma um corpo mecânico e vai pra pedreira… Ahn… Ah você já sabe… e luta com Shaider. Ele é derrotado como um mero monstro do dia e isso faz com que suas tropas em todo cosmo entrem em colapso, tombando facilmente ante as armadas da polícia do espaço. Shaider vai pegar Annie no castelo de Kubilai, e ainda dá um tchauzinho pra Paú que mostra sua verdadeira forma (uma múmia com máscara de dia das bruxas O_O). Tudo explode e Shaider ao por dor sol com Annie não tem sequer um momento de “flashback”!!! Quem tem isso é o Comandante Kom, que lembra das lutas dos seus três subordinados contra o mal.

Ah… Gaban e Sharivan aparecem sim na série! Só que em forma de “quadro desenhado” – um recurso bizarro para realizar narrativas de acontecimento em séries toku dos anos 80. O tão esperado encontro dos três se dá num episódio especial onde Gaban aparece careca. Não tem luta! É apenas um grande “flashback” das três séries… Adivinha quem teve menor tempo de “melhores momentos”? :P

Shaider para zumbis no Brasil…
Shaider estreou em novembro de 1990 nas tardes da Tv Gazeta. Todavia, a série saiu do ar rapidinho e foi parar na Globo em janeiro de 1991 dentro do “Xou da Xoxa”. Aparentemente, a Globo ‘roubou’ (já que ela era a distribuidora O_o) a série da emissora e a levou ao ar pra fazer frente aos tokus das concorrentes. Após a primeira exibição, a série foi jogada pra escanteio e entrou em seu lugar o policial do espaço Gaban (em março de 91). Ocupando o nobre lugar de tapar buracos na programação da madrugada, a série pelo menos chegou à ser reprisada até o fim. Mas praticamente ninguém viu… Por essa razão poucos conhecem a série no Brasil.

Mais tarde, a Gazeta pegou a série de novo (qual era o rolo que existia entre Globo e Gazeta, hein?) e reprisou a série do começo ao fim, e com as aberturas e encerramentos – supridos pela Globo – mas poucos deram atenção. Produtos? Uma fita de vídeo lançada pela Globo Filmes com os primeiros episódios, que tinha como subtítulo “O Detetive do Espaço”. Na foto da contra-capa um misterioso monstro que nunca apareceu na série… Acho que porquê era bem feito :P.

A versão brasileira foi feita nos estúdios da Hebert Richers no Rio de Janeiro. Tokusatsu dublado no Rio de Janeiro não era muito comum na época. Por conta disso, os trabalhos de tradução não eram lá muito bons. Quem lembra da dublagem de Gaban, tem ataques ao ouvir tanta incoerência de texto. Shaider não é tão bizarro assim, mas também tem seus pecados. O nome dos veículos eram trocados todo dia e o narrador dava explicações sem nexo para fatos que aconteciam na série… Até aí nada demais… Esses narradores das séries dos policiais do espaço realmente pareciam não saber o que faziam no estúdio.

O elenco de vozes é bem variado. Algumas caíram muito bem em alguns personagens, como a da dubladora da Annie – Marisa Leal, que faz a Laura do Hamtaro, a Rena de Ultraman Tiga e quase fez o Kurama em Yu Yu Hakusho! O protagonista da série foi dublado pelo ilustre agente Fox Mulder de Arquivo X – Eduardo Borgheti – que também fez o Daigo em Ultraman Tiga. Curiosamente, existiu uma versão em português do tema de abertura e também do tema de encerramento da série. As songs até que não ficaram ruins. A exibição desses temas aportuguesados só se deu na Tv Gazeta e são rarérrimos de se encontrar.

Troopers! Destroçar!
Não bastasse ser a bomba que foi… Não bastasse o tratamento lixo que a série teve no Brasil… Shaider, teve a “sorte” de ser escolhida pela Saban para se fazer o 2º ano dos medonhos V.R Troopers. Na produção que misturava no 1º ano Metalder e Spielvan, Shaider prestou para “ceder” os vilões ao 2º ano da série – além do próprio herói, que passou a ser o novo visual de Rain Stell, que era o “Metalder” na primeira temporada.

Os americanos tentaram reproduzir o cenário do castelo mágico de Phuma em estúdio – com direito à Kubilai e tudo na parede! – e até se atreveram à por uma Paú made in EUA e um Hessler yankee. Até conseguiram, – ficou bem feitinho – mas cometeram uma atrocidade sem noção ao por o Neroz (Grimlord em Troopers) “passeando” no cenário com uma cauda de dinossauro! Os bate papos entre o cabeção de Kubilai (Oraclon nos EUA) e o Neroz gringo eram a coisa mais nonsense de ver nas madrugadas da Globo durante a semana…Ah! Ironia do destino: O 2º ano de Troopers com Shaider passou de madrugada na Globo! Pobrezinho…

A única “vantagem” de Shaider ter virado Troopers, foi o fato de terem lançado no Brasil brinquedos da série produzidos nos EUA. Rasgando a embalagem com o V.R do logo, você podia fingir que tinha o Shaider em suas mãos! Mesmo assim… Nem ele merecia virar Troopers… Ver a versão da armadura de Shaider feita nos Eua faz você pensar que a versão brasileira de “Desperate Housewives” merece um Emmy – o Oscar da tevê.

Zaido: a continuação macabra?
Aparentemente, Shaider fez um grande sucesso em país desse globo: as Filipinas. E é desse país cheio de gente de olho puxadim que nasceu Zaido: Pulis Pangkalawakan (Zaido: Policial do Espaço). Produzido pela GMA Networks (uma produtora local de lá que deve ser comandada por um Silvio Santos Filipino… Sim; porque a GMA é mestra em criar versões 100% nacionais de grande sucessos do exterior – em particular novelas) a série estreou em setembro de 2007 e causou espanto para muitos fãs de tokusatsu por conta de um detalhe: a série ter referência diretas a Shaider e com a devida autorização da Toei Company!

O burburinho que rolou é que a série era uma “continuação não oficial” da trilogia dos policiais do espaço. A verdade, é que Zaido não passa de uma homenagem (beeeeem trash, diga-se de passagem) aos policiais do espaço – em especial ao Shaider. O plot do programa mostra o descendente do guerreiro Shaider (Zaido) lutando contra os sucessores do clã Phuma. No decorrer da série, Zaido conta com a ajuda de dois outros policiais (com a mesma fantasia só que de cores diferentes ).

Durante a série MUITOS flashbacks de Shaider pipocam e é praticamente impossível levar a produção a sério. As armaduras são inferiores a muitos cosplayers. A filmagem em vídeo deixa a série com uma plástica de novela (e mexicana @[email protected]). E nem vou me atrever a falar dos efeitos especiais… A Record produziu coisa melhor com sua novelinha de mutantes ò_ó. Argh.

Terminando…
Shaider não conseguiu fechar com chave de ouro a trilogia dos policiais do espaço. Uma pena… Com um começo tão inovador dentro da indústria dos tokusatsus, a trilogia dos policiais do espaço consolidou (como um todo) um estilo que hoje em dia não está mais em voga: o dos metal heroes. Na década de 90, a Toei tentou fazer uma nova trilogia de policiais com Winspector, Solbrain e Exceedraft. Não conseguiram repetir o mesmo êxito. Aliás, junto ao público japonês nenhuma série metal hero conseguiu fazer muito sucesso após Shaider. Jaspion, Spielvan, Metalder, Jiraiya, Jiban, Winspector, Solbrain, Exceedraft, Junperson, e os Betle Fighters jamais conseguiram chamar atenção quanto os ‘poliça’ ancestrais.

No Brasil, a história é bem diferente… Enquanto os 3 policiais são encarados como meras “cópias mal feitas” do herói japonês mais famoso de todos os tempos por aqui, no Japão e na Europa essa trilogia será lembrada daqui há umas décadas como um marco dentro da indústria dos tokusatsus. Merecidamente? Sim… Mas não por Shaider! Sorte à dele fazer parte…

Checklist Episódios
01 – O nascimento de Sheider
02 – Ataque aos animais
03 – Sem resposta
04 – A bruxa
05 – A religião que destrói pessoas
06 – Contra-ataque
07 – A ciência pode ser fatal
08 – A princesa
09 – Odeio Leões Azuis
10 – ?
11 – O gênio do jardim de infância
12 – Menino Robô
13 – Trabalho pela medalha de ouro
14 – ?
15 – A destruição do planeta
16 – Objeto voador
17 – O segredo das figuras
18 – A captura de Annie
19 – O rapto
20 – A epidemia
21 – A estratégia
22 – Paraíso dos Sonhos
23 – A grande fuga
24 – O plano de rejuvenescimento
25 – Rainha Ésper
26 – Cidade amaldiçoada
27 – A luta da ilha Majin
28 – Irmãos traidores
29 – A mulher de muitas faces
30 – O rapto de Annie
31 – A fera mágica
32 – O príncipe do outro planeta
33 – ?
34 – O segredo
35 – O policial Sheider
36 – Computador Sonho
37 – A batalha decisiva
38 – Cinderela
39 – O natal de Fuuma
40 – O ovo mágico
41 – Hóspede não convidado
42 – Táticas
43 – O animal mágico
44 – Planetas em perigo
45 – Mistério na ilha
46 – Haverá paz na galáxia?
47 – Viagem à ilha
48 – A morte de Kubilai

[/div][div coluna2]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=E0u5IuTJUBQ 255 214]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=bFM2B1C8ZsQ 255 214]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[/div]

Publicidade
close