Slayers

[div coluna1]Slayers
The Slayers
Produção: Egg Films, 1995
Episódios: 26 p/ tv
Criação: Hajime Kanzaka e Rui Araizumi
Exibição no Japão: Tv Tokyo (07/04/1995-29/09/1995)
Exibição no Brasil: Band – Rede 21
Distribuição: Mundial Filmes
Mangá: Dragon Magazine

Última Atualização: 24/07/2007

Por Larc Yasha

Slayers foi mais um bom anime que foi parar no ‘porão dos animes perdidos’ da Tv aberta brasileira… Não tendo nada de revolucionário – apenas um roteiro divertido e personagens cativantes – a série não atendeu às expectativas da Rede Bandeirantes e após cinco semanas de exibição, foi substituída por uma série antiga (Gatchaman / G Force ou A Batalha dos Planetas, como foi chamada) na busca desenfreada por pontos de Ibope, num horário um tanto “infeliz” para qualquer anime na TV aberta… Se você viu e gravou, parabéns.

O grande problema que Slayers encarou, não foi apenas a responsabilidade de faturar pontos de audiência no lugar de um programa de qualidade duvidosa (ele substituiu um programete de Otávio Mesquista chamado, Claquete). O insucesso do anime se deveu, sobretudo, ao fato dos otakus não terem ido com a cara da série – tão falada e esperada. Mas o que “faltou” em Slayers, para conquistar a simpátia do público brasileiro? O que a Band e a Rede 21 deixaram de exibir? Afinal de contas… O que é Slayers na verdade, e como essa série pôde ter feito tanto sucesso no Japão? Continue lendo e descubra. ;)

Slayers – Contos, Ilustrações, Mangás e Animes
Logo no 1º episódio de Slayers sente-se um climão de RPG na história, com diversos elementos visuais que remetem a esse estilo de diversão. Não é uma mera obra do acaso. A série surgiu de contos, aventuras e ilustrações publicadas na revista Dragon Magazine. Esses contos atingiram grande sucesso e influenciaram o lançamento das séries de tv, mangás, games, ova’s, movies… Só que eles não foram adaptados à risca, sendo que cada mídia utilizou apenas o “miolo básico” das aventuras de Lina Inverse – causando uma certa “confusão” na cronologia da série.

Sob forma de contos, Slayers rendeu o seguinte: 12 volumes entitulados simplismente de Slayers; 11 volumes chamados de Slayers Special e 5 volumes com o nome de Slayers Delicious (nomezin estranho né?). Personagens secundários também ganharam aventuras solo, mas não renderam encadernações. Que fique bem claro que isso aí foram contos, não mangás!

A série de tv surgiu em abril de 1995 e rendeu 26 episódios (estes que passaram na Band). O sucesso rendeu mais duas temporadas: Slayers Next (que estreou em 96) e Slayers Try (de 97). O sucesso do anime, fez com que fossem lançados os mangás. A primeira série de TV de Slayers rendeu uma série de mangá com 8 volumes chamada Choko Baku Mahou Den Slayers (algo como Explosiva Lenda Mágica Slayers). Curiosamente, no volume 4 temos a versão em mangá que se tornaria o 2º longa da série: Slayers Return. O mangá não possui ligação com a cronologia da 1ª série de tv, embora existam os mesmos personagens.

Ainda sobre mangá, existe um único volume entitulado Slayers que mostra uma aventura de Lina e Gourry (Galdy na versão brasleira do anime) roterizada por Hajime Kanzaka que foi responsável pelo roteiro da coleção supracitada e dos contos da Dragon Magazine.

Além da cronologia da série de tv, Slayers rendeu um “outro universo” cronológico com movies e ova’s. É nesse “universo” que Lina conta com a peituda Naga como parceira de aventuras. O 1º longa pra cinema veio em 95 (ano de lançamento da primeira série de tevê. Ô bagunça né? ) e alguns o chamam de Slayers Perfect. Em 1996, a história do 4º volume do mangá “Choku Baku” foi adaptada como um novo longa: Slayers Return. Ainda em 1996, a primeira série de Ova’s foi lançada. Foram 3 capitulos com animação muito boa, intitulados Slayers Special. Pensa que acabou? Enquanto a fase “Try” estreava em 97 na Tv Tokyo, Lina e Naga chegavam ao cinema mais uma vez em Slayers Great. Em 1998 foi lançado o último longa da série: Slayers Gorgeous. Por fim, no lançamento do box com as 3 séries de tevê realizado no Japão em 2007, os fãs ainda ganharam um DVD extra, com animação inédita chamado (de novo!) somente de “Slayers”, mostrando uma aventura solo de Lina e Gourry.

Ufa!! Cronologia mais confusa, hein?

The Slayers (o que assistimos!)
Na primeira série de tv, somos apresentados à Lina Inverse (Rina no Brasil… Porquê? Sei-lá! :P), uma poderosa maga que rouba tesouros e come que nem um Goku da vida… Vagando pelo mundo, ela ganha fama e o ódio de muitos com seu jeito meio “eu sou mais eu” de ser. A garota conhece então o burro cavaleiro Gourry (Galdy na dublagem) Gabriev que passa à acompanha-la como um “guarda-costas” particular.
Logo no começo das aventuras, Lina tromba com um tal Zelgadis que quer tomar dela um artefato ambicionado por Rezo, O Mago Vermelho. A intenção de Rezo é ressucitar o lendário e poderoso demônio Xabrami Ghudu para que este lhe devolva sua visão. Só que o tiro sai pela culatra e cabe a Lina, Zelgadis e Gourry dar cabo do demônio. Seguindo em suas andanças pelo mundo, Lina conhece Ameria – uma pentelha com grande senso de justiça – e Sylphiel (Sylphi na dublagem), que é uma clériga amiga de Gourry, tromba outra vez com Zelgadis e descobre que Rezo não está tão morto quanto pensavam…

O ingrediente principal das séries de tv de Slayers não é a ação, mas sim a aventura e a comédia. Gourry é um pateta, Lina uma egocêntrica interesseira, Ameria parece uma paladina maluca… O quinteto formado (juntamente de Sylphi e Zelgadiss) se torna o grupo de aventureiros mais cômico do mundo dos Rpg’s. Engraçados e muito poderosos!

Dubladas mas inéditas: Slayers Next e Try
Essas duas séries renderam cada uma 26 episódios, como a primeira. Juntando tudo, temos 78 episódios. O ritmo despirocado das aventuras continua maior do que nunca com a inclusão de novos personagens.
Em Next, surge o clérigo Xellos e Martina. Xellos é um tipinho enigmático que hora ajuda, hora atrapalha a turma. Claro que ele tem seus motivos. Já Martina é uma personagem “meiga” (mei-galinha :P) que quer derrotar Lina à todo custo por ela ter frustrado seu plano de sequestrar Ameria (que é na verdade a princesa de um Reino). Na 2ª série de tv, a turma está atrás da Claire Bible (um livro que contem o feitiço capaz de reverter Zelgadis ao normal!). E surgem poderosos e estranhos inimigos: os Mazokus.

Já em Slayers Try, a turma cruza o oceano para ajudar Philia, uma garota-dragão que vêm buscar a ajuda de Lina para enfrentar os Mazokus que devastaram sua aldeia, sob recomendações de Luna Inverse (a irmã mais velha e temida de Lina). Apesar da cara de bozinha, Philia é tão explosiva quanto Lina, rendendo momentos de rachar o bico de rir.

Slayers no Brasil.
Em 2002, a Band perdeu os direitos da fase Boo de DBZ, carro chefe do seu tosco Band Kids, para Globo. Diante disso, a direção tratou de comprar uma série que conseguisse tapar o buraco da falta de aventuras inéditas de Goku no canal. A opção mais agradável na época foi Slayers (a qual a distribuidora Mundial Films tentava vender pra Record a um bom tempinho…). Os 78 episódios que compõe as três séries foram comprados de uma só vez e foram dublados na Dubla Vídeo em São Paulo.

Mas com a saída do diretor de programação da emissora e a entrada de Rogério Gallo (o 1º diretor de programação da Rede TV!) nesse cargo, o Band Kids foi pro saco e Slayers pra geladeira. O tempo foi passando e parecia que o Band Kids não daria as caras novamente tão cedo. Consequentemente, Slayers também não.

Não é segredo nenhum que animes (quando bem programados e escolhidos) rendem um bom Ibope pra qualquer emissora (vide a Globo e o SBT com Naruto). Talvez pensando nisso, Slayers foi resgatado e posto como tapa-buraco às 21:30 (21:40 pra ser mais exato) no lugar de um programinha idiota do Otávio Mesquita.

O Ibope “melhorou”, mas por algum motivo não muito claro, a série rodou após a exibição dos primeiros 26 episódios. Especulam por aí, que os patrocinadores não foram com a cara da série e preferiram Gatchman (Batalha dos Planetas) pro horário, numa tentativa meio “burra” de capturar “fãs” mais velhos na faixa do horário. Só esqueceram de avisar que G-Force é um anime que rodou a vida toda em canais pagos e em Vhs, e que não tem um número expressivo de admiradores como um Speed Racer ou Ultraman têm.

Sobre a dublagem, venhamos e convenhamos que não ficou muito boa… O elenco não “bateu” bem com os personagens e por conta disso, metade da graça foi-se embora. A Pop Star Megumi Hayashibara deu uma impressão única com sua voz a Lina Inverse que a “nossa Pop Star” Letícia Quinto (a eterna Athena dos Cavaleiros do Zodíaco) não conseguiu com sucesso. Só uma ou outra voz caíram legais. Abertura e encerramento? Das únicas 3 vezes que passaram na íntegra, não se mostraram nem bons… Nem tããããããoooo ruins. Supriram umas frases da Lina no começinho da abertura e o encerramento tem alguma coisa destoando do original. Mas isso é o de menos perto da bosta que fizeram em Portugal. Na Terra dos Manuéis, o nome do anime é Reena & Gaudy: Os Cavaleiros da Justiça. E a música é tão terrível quanto a abertura de Sailor Moon por lá (onde a gatinha Luna é a protagonista x_x). Conselho? Baixe as músicas originais que você não vai se arrepender (são muito legais!).

Assim como os demais animes da Band (Tenchi Muyo, El Hazard e Bucky) Slayers acabou entrando na grade da Rede 21 (atual Play Tv), onde também não ficou muito tempo no ar. Esse canal bem peculiar embora aberto, é transmistido somente em determinadas cidades do Brasil ou captado via parabólica digital. Um fato bem curioso, é que chegaram a “ameaçar” exibir Slayer Next. A emissora costumava por em seu site o guia de episódios que seriam exibidos das séries e animes durante a semana. Perto do final da 1ª fase, chegaram a atualizar o site com os episodios referentes a Slayers Next, o que gerou uma imensa expectativa. Só que quem esperava pelo milagre, acabou caindo da cadeira…

Outro detalhe: a Band exibia um compacto da série aos sábados e como o anime não possuia um número de episódios múltiplo de cinco, o último episódio foi exibido num sábado como parte do compacto da semana (!!!).
Mas Slayers não teve a Band (ou seria as Lojas Marabraz / Casas Bahia?) como única “algoz”. Os próprios otakus brasileiros não foram com a cara do anime! Muitos acharam a animação velha / feia e esperavam bem mais dessa série que chegou a ser apontada como uma das melhores do Japão. Talvez a falta de sangue e porradaria desenfreada possa ser a causa da falta de expressividade do anime junto a galera brasileira…

Em 2004, mesmo com o anime já estando devidamente sepultado e com os direitos vencidos, a Panini Comics lançou o mangá nas bancas em formatinho magro e leitura oriental. Foram lançadas em 15 edições, o mangá “Choku Baku” e em 2 números o mangázin solo estrelado apenas por Lina e Gourry. Curiosamente, o mangá teve boas vendas.

Lamentavelmente, Slayers será lembrado apenas como “o desenho japonês que passou na Band as 21:30h” aqui no Brasil. Isso se ainda for lembrado…

Checklist Episódios
Fase Slayers
01 – Está bravo? Eu sou a linda feiticeira.
02 – Que chato! Não gosto de múmias.
03 – Crash! O branco, o vermelho e o estranho.
04 – Credo! Eu não consigo mais fazer mágica.
05 – Fujam! Nunza, o homem peixe surgiu.
06 – Cuidado! O Rezo é meu verdadeiro inimigo.
07 – Desistimos? A lendária espada da luz.
08 – Socorro! A Resurreição de Chabrane Gudu.
09 – Atenção! É a véspera da briga decisiva
10 – Vitória! Um jogo de vida ou morte
11 – Nocalte! Problemas na família Real.
12 – Preparação especial da Améria
13 – Dinheiro, justiça e recompensa.
14 – Navegação! Um convite a Sairogue.
15 – Oh não! A marcha nupcial de Rina.
16 – Será que vamos nos dedicar a arte?
17 – Um homem pediu uma menina em casamento.
18 – Rezo, o monge vermelho voltou!
19 – A destruição de Sairogue.
20 – Ranimu, o homem peixe chegou.
21 – Gaudi luta contra Zanglis.
22 – Nossa! Esqueceram o legado.
23 – Cuidado! Eres é muito esperta.
24 – O dia D! O super monstro revive.
25 – A última esperança ou a espada salvadora.
26 – Ufa! A vitória é minha!

[/div][div coluna2]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=DZ1R05A_5Dk 255 214]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[image]

[/div]

Publicidade
close