Publicidade
imagem: foto de Who-ya

Who-ya Extended (2023)

Entrevista publicada originalmente em 24 de novembro de 2023.


A convite da gravadora SACRA MUSIC, o JBox teve a oportunidade de entrevistar alguns artistas que vieram ao Brasil durante o Anime Friends deste ano. Desta vez, trazemos uma entrevista exclusiva com Who-ya Extended, representado pelo líder do projeto, Who-ya.

O grupo foi lançado em novembro de 2019, quando o single “Q-vism” foi lançado como parte da trilha sonora de Psycho-Pass 3. Mas não ficou por aí. Desde então, outros trabalhos de Who-ya se encontraram com séries de sucesso, além da recente carreira já render dois álbuns de estúdio (wyxt., de 2020, e WII, de 2021).

Confira a seguir!

 

Who-ya, quais são suas maiores influências no mundo musical?

Por influência dos meus pais, tive muitas oportunidades de ouvir LINKIN PARK desde pequeno.

 

imagem: who-ya em show.

Divulgação: SACRA MUSIC.

O primeiro single de vocês, “Q-vism”, estreou na primeira posição em vários serviços de streaming. Como é a sensação de conseguir ir tão alto logo no começo?

Para nós, Who-ya Extended, é gratificante que nossa primeira obra tenha sido tão amada por inúmeras pessoas. Isso também nos motivou ainda mais. Em julho, no Anime Friends, apresentamos “Q-vism”. Foi emocionante ver o público cantando junto as letras em japonês.

 

A música “VIVID VICE” foi tema da segunda abertura de JUJUTSU KAISEN. Foi legal adicionar esse público entre os seus fãs? Sentem que o alcance com o público internacional aumenta muito ao ter uma música tocando em um animê quente do momento?

Sentíamos a popularidade da música tanto no Japão quanto no exterior, mas como não tivemos muitos shows ao vivo desde nossa estreia, era difícil sentir isso diretamente. No entanto, após nos mudarmos para a SACRA MUSIC e começarmos a fazer shows no exterior, pudemos sentir esse entusiasmo de forma mais palpável. “VIVID VICE” é uma das músicas que nos impulsiona, então ficaríamos felizes se as pessoas escutassem mais músicas do Who-ya Extended a partir dela.

 

Recentemente, vocês lançaram dois singles, Repentance Dancee Gimme Your Tears. Quais foram os processos de composição para essas faixas?

“Repentance Dance” é a música-tema do pachislot [máquina de pachinko] Kizumonogatari – Hajimari no Toki, mas em vez de nos concentrarmos apenas no mundo do animê, nos baseamos em nossa própria percepção do que é a “verdade”. Apesar do título parecer sombrio em uma tradução literal, é uma música positiva que conta sobre os arrependimentos e conflitos, mas dançando e aproveitando a vida. Espero que gostem do contraste entre o som de rock melódico e a letra.

“Gimme Your Tears”, por outro lado, foi inspirada por um reality show da Netflix no qual eu apareço*. Foca no processo de conhecer alguém e, ao fazê-lo, conhecer a si. Nesse caso, “Tears” se refere a lágrimas de alegria ou tristeza, então gostaria que cada um tivesse sua própria interpretação sobre essa palavra.

*Nota: Who-ya se refere ao reality Quem é a Loba?, lançado no Brasil em setembro deste ano. 

 

Como disseram, Repentance Dancetambém é a música-tema em uma máquina de pachinko de Kizumonogatari. O videoclipe de vocês parece se alinhar com a atmosfera da série, como foi a produção dele?

Pela primeira vez, tentamos combinar o mundo do animê com a realidade no videoclipe. Filmamos dentro da Tokyo Tower e, combinando CG com imagens reais, parece que estou entrando no mundo da série Monogatari. Saltar repetidamente em um trampolim e correr freneticamente em uma esteira foi desafiador, mas acho que o resultado final é algo que pode ser desfrutado várias vezes.

 

Vocês também foram responsáveis por Prayer, tema de encerramento do animê Os Reinos da Ruína. Nesse caso, vocês fizeram a música com inspiração na série ou foi uma iniciativa dos produtores do animê?

Eu estava profundamente fascinado pelo mundo de Os Reinos da Ruína (Hametsu no Oukoku). Mas o que mais me atraiu foi o contraste entre “bruxas e o mundo”. Isso pode ser interpretado como a relação entre “eu e os outros”. Hametsu no Oukoku tem muitos temas realistas, apesar de seu foco no sobrenatural, como a magia. Espero que ouvindo “Prayer”, as pessoas reflitam sobre o que “oração” significa em nosso mundo.

 

Como foi a experiência de se apresentar no Brasil? Foi possível aproveitar a viagem além do show?

Foi energizante ver a paixão do público brasileiro, cantando conosco e respondendo aos nossos sentimentos com entusiasmo. Mesmo Brasil e Japão estando muito distantes, percebi que a distância não importa quando se trata de amor pela música e cultura. Fora do show, aproveitamos comendo churrasco e bebendo com outros artistas. Pessoalmente, fiquei completamente viciado em caipirinha.

 

Vocês têm algum recado para seus fãs brasileiros?

Muito obrigado pelo apoio contínuo. Os dias que passei no Brasil me deram muita inspiração e aprendizado, e é surpreendente pensar que já se passaram vários meses desde o Anime Friends 2023. Continuarei cantando para ouvir suas vozes novamente, então, por favor, continue amando a música do Who-ya Extended. Espero vê-los novamente!

imagem: sennarin, asca who-ya em palco no anime friends, com o público ao fundo.

SACRA MUSIC FES em empolgante apresentação no Anime Friends. | Divulgação: SACRA MUSIC.

 


O JBox agradece à SACRA MUSIC, à Gridge e ao Who-ya Extended pela oportunidade e disponibilidade. Fiquem de olho nas próximas entrevistas!

Reportagem: Igor Lunei, Talles Queiroz | Tradução: Lucas Hideki Nakashima, Gridge Inc | Edição: Laura Gassert e Rafael Jiback
Publicidade
Publicidade Banner Kindle Unlimited
Publicidade
Publicidade
Economize com o JBot! Logo do Bluesky