Imagem: Don Momotaro nos padrões de enquadramento da Coluna do Daileon.

‘Donbrothers’ é o Super Sentai que ‘Zenkaiger’ não foi | Coluna do Daileon #151

A nova série tem tudo para mostrar um diferencial e tentar não forçar a trama com situações que podem afastar crianças que não estão mais na idade pré-escolar.

É praticamente inevitável uma comparação entre uma série Super Sentai vigente e sua antecessora. E geralmente é mais difícil e injusto quando uma série entra no lugar de outra que serviu de comemoração de aniversário da franquia. Só que a situação agora é diferente.

Talvez Avataro Sentai Donbrothers, que estreou no último dia 6, possua um vínculo direto com Kikai Sentai Zenkaiger, que terminou no final de fevereiro. Alguns elementos da série de 2021 estão presentes na nova atração.

E em questão de proposta e roteiro, o conjunto da obra de Zenkaiger já está sendo superado, de longe, pelos dois primeiros episódios de Donbrothers. Um dos motivos se deve ao roteirista Toshiki Inoue, conhecido por assinar algumas séries Kamen Rider da era Heisei e principalmente pelo cult Choujin Sentai Jetman (de 1991).

Retornando à franquia após mais de 10 anos (sua última contribuição tinha sido em 2011, quando assinou o episódio 28 de Gokaiger, um tributo a Jetman), Inoue costuma aprofundar o desenvolvimento dos personagens e até aqui ele nos apresenta uma série Super Sentai bem diferente do que estamos habituados.

Imagem: Foto de Koharu Shida.
Haruka Kito (interpretada pela jovem Koharu Shida) é a protagonista dos episódios iniciais de Donbrothers | Foto: Divulgação/Toei

E houve um fator surpresa interessante: os dois primeiros episódios são focados em Haruka Kito/Oni Sister, a única garota e caçula da equipe (ela tem apenas 17 anos).

Ela é aspirante a mangaká, foi reconhecida pelo público, mas foi acusada de plágio. Seu ponto de vista é essencial para a montagem do quebra-cabeça da série e também da formação do novo super esquadrão.

Ela está em busca de Taro Momoi, o alter ego de Don Momotaro. Seu guia é Jin Momoi, o misterioso pai adotivo de Taro, que o resgatou da queda de uma cápsula em forma de pêssego há 22 anos. Jin é enigmático e se comunica com Haruka por holograma, direto de uma prisão.

Até o momento, Haruka não sabe que Taro é um jovem entregador que só fala a verdade e nada mais que a verdade, por motivo ainda desconhecido. Ela até confundiu Taro com dois dos três generais do clã Noto.

Aliás, Sonoi é o principal antagonista e se destaca por entrar em ação com um ar de mistério e dar sinais de que pode ser um anti-herói mais à frente. Os outros generais são Sonoza e a bela Sononi – ela fará sua estreia no episódio deste domingo (20).

Assim como aconteceu na estreia de Jetman, o primeiro episódio de Donbrothers apresentou três dos heróis principais. Todos os cinco heróis já foram introduzidos até aqui, mais ainda há muito que ser explicado sobre cada um, obviamente.

Imagem: O esquadrão de Donbrothers.
O inusitado esquadrão Donbrothers | Foto: Divulgação/Toei

Além deles, há uma versão obscura de Kaito Goshikida, que é dono do Cafe Donbura (onde Haruka trabalha em meio período) e assume o codinome Zenkaizer Black. Segundo informações oficiais, ele não é o mesmo Kaito que conhecemos em Zenkaiger. Esse é um dos elementos da série anterior que ainda podem ser vistos em Donbrothers. Os novos heróis também utilizam Sentai Gears e os respectivos poderes das equipes do passado.

Donbrothers não tem um CGI perfeito e isso é bem notório ao ver Inu Brother e Kiji Brother em ação. O robô gigante Don Zenkai Oh lutando em cenário feito por computador é um tanto desastroso e seus movimentos não convencem muito. Em compensação, ele faz uma referência ao He-Man quando se prepara para desferir seu golpe fatal.

Imagem: Foto de Amisa Miyazaki.
A atriz nipo-birmanesa Amisa Miyazaki na pele da dama fatal Sononi | Foto: Divulgação

Se o CGI é uma lástima, a série é muito bem compensada por uma trama que convence o espectador a continuar acompanhando.

Donbrothers é a série Super Sentai que Zenkaiger deveria ter sido. Logo percebemos o quanto a Toei desperdiçou um ano importante com tramas bobocas (apesar das boas lições), mas que pode recuperar e salvar a franquia.

As sinalizações sobre um possível fim da franquia Super Sentai feitas por alguns atores do elenco de Donbrothers podem ser uma jogada de marketing, mas não podem ser descartadas.

A nova série tem tudo para mostrar um diferencial e tentar não forçar a trama com situações que podem afastar crianças que não estão mais na idade pré-escolar.

As chances de uma 47ª série acontecer não dependem somente da atuação de cada um (que está agradando, inclusive), mas também de um equilíbrio de bom humor, personagens interessantes e desenvolvimento de uma história que envolva realmente o público de todas as idades possíveis.

É disso que se trata e é isso que queremos numa série Super Sentai, independentemente da época e geração.

Ah, e não podemos esquecer que Jetman seria a última série Super Sentai e o ótimo roteiro de Inoue garantiu a permanência da franquia, que está no ar até hoje com seus altos e baixos. Hoje a franquia está em boas mãos.

Veja mais imagens de Donbrothers:


O texto presente nesta coluna é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a opinião do site JBox.

Publicidade
close