A publicação de Lobo Solitário (Kozure Ookami) pela editora Cedibra em 1988 é considerada a entrada oficial dos mangás no mercado editorial brasileiro. Contudo, o Pipoca & Nanquim soltou um vídeo mostrando que a história, na verdade, teve sua primeira publicação em português brasileiro em 1972 na revista Clássicos Realistas de Contos e Quadrinhos, pela editora Edrel.

A edição da Edrel, no entanto, tem toda a pinta de ser, bem, pirata. O título é O Samurai: “Koozure Okami, o Abomináverl” e os autores originais, Goseki Kojima e Kazuo Koike, sequer são creditados.

Na edição, Paulo (sim, apenas “Paulo”) é creditado pelo argumento e arte final, o tema é de Mario Fukue, o esboço é de Wilson Hisamoto, a auxiliar de arte é Alice Fukue, as legendas são de Roberto Fukue e o arquivo é de Sérgio Fukue. A Edrel publicou o capítulo 13 do mangá nessa revista.

Confira:

Comparando com a edição da Cedibra e também com a versão mais recente, da editora Panini, Alê e Bruno mostram que diversos trechos do quadrinho foram cortados e quase todos foram redesenhados — também houve alteração do sentido dos diálogos originais (ou seja, reinvenção do texto). A versão é parcialmente espelhada, com leitura no sentido padrão brasileiro.

Apesar dos pesares, essa é possivelmente a primeira publicação do mangá fora do Japão, feita dois anos após o início da seriação japonesa (que foi de 1970 a 1976, ou seja, a Edrel publicou um pedaço do mangá antes mesmo dele ser completado no país de origem).

imagem: capa da revista Clássicos Realistas de Contos e Quadrinhos.

Divulgação: Edrel via Guia dos Quadrinhos.

A Edrel foi fundada em 1966 por Salvador Bentivegna, Jinki Yamamoto e Minami Keizi, aparentemente com foco inicial na comunidade nipo-brasileira, se tornando uma editora importante no cenário de quadrinhos nacionais, principalmente de terror e erótico — a revista na qual publicaram Lobo Solitário contém diversos outros materiais (inclusive contos e materiais eróticos).

Lobo Solitário teve uma publicação um pouco conturbada no Brasil em seus anos iniciais, mas no fim foi a Panini que concretizou a coleção completa no país no sentido de leitura original. O título ganhou diversas adaptações para filmes live-action e é considerado um marco pra cultura pop.

Conhecemos na história um homem chamado Ogami Ittou, executor a mando do Shogun na era feudal japonesa. Ele, porém, perde esse cargo depois do clã Yagyuu acusá-lo injustamente e matar sua mulher. Com isso, Ittou se torna um assassino e um lobo solitário com sede de vingança, acompanhado apenas de seu filho Daigorou, de apenas três anos de idade.


Fonte: Pipoca & Nanquim