Paidon: Tradição e modernidade? Programa de computador cria mangá inspirado em Tezuka

Inteligência artificial analisou obras anteriores do autor.

Imagem: Tezuka Productions, Projeto TEZUKA2020, 2020 NVIDIA


Hoje, a revista Morning (Kodansha) começou a publicar um mangá chamado Paidon. A história se passa em uma Tóquio futurística, durante o ano de 2030, e se foca em Paidon, um andarilho filósofo. Após abandonar a sociedade, altamente controlada, o personagem se dedica a resolver crimes.

O mangá não teria nada demais, não fosse por um motivo: quem criou a história foi um programa de inteligência artificial (I.A), após analisar os trabalhos anteriores de Osamu Tezuka. Segundo Macoto Tezka, o filho do autor, o programa inventou a história geral, o protagonista e também “deu ideias” para o desenho de personagens, que foram finalizados por pessoas. A iniciativa é da própria Tezuka Productions.

 

O programa ainda está em desenvolvimento, mas a proposta é que possa futuramente ajudar criadores de mangá. Segundo Macoto, a nova história “está bem próxima ao mundo de Tezuka”.

Osamu Tezuka, criador de obras como Astro Boy, Dororo e A Princesa e o Cavaleiro, é popularmente conhecido como o “pai dos mangás modernos” devido à enorme influência na indústria de mangás pós-guerra. Ele faleceu em 1989. Curiosamente, era um amigo próximo de Maurício de Sousa e uma história incompleta de Tezuka sobre a Amazônia será finalizada sob o selo Turma da Mônica Jovem, a pedido do filho.

 

Fonte: Asahi Shinbum, PCWatch e Morning

Publicidade
close