Alterações nas entregas, impressão sob demanda e formato digital: JBC informa sua situação no cenário atual

Formato digital tem sido uma aposta das editoras durante a crise em função ao COVID-19.

O novo coronavírus e a quarentena decretada pelo país todo em função dele têm afetado a vida de todos e as editoras de mangá não são exceção (como já imaginado). Assim como a NewPOP, que informou durante uma live as maneiras de lidar com a crise atual, a Editora JBC também está se adaptando ao momento.

Durante março e abril, os lançamentos programados não foram afetados. Contudo, pensando na situação de muitos brasileiros, a editora está investindo nas versões digitais dos encadernados. Os títulos lançados nas plataformas digitais, como Fruits Basket e A Heroica Lenda de Arslan, seguem, até o momento, com cronograma inalterado, assim como os simulpubs (esses sempre foram exclusivamente digitais), incluindo Cardcaptor Sakura  – Clear Card Arc e Edens Zero. A Panini também vêm investindo no digital agora.

A empresa avisa, contudo, que a entrega de versões físicas deve ser alterada devido tanto à alta do dólar quanto à dificuldade das gráficas em comprar alguns tipos de papel utilizados pela editora atualmente. Isso sem contar as diversas lojas físicas fechadas durante a quarentena, recentemente estendida até, pelo menos, dia 22 de abril em todo o estado de São Paulo. Por isso, a JBC trabalha na divulgação de lojas com entrega por encomenda, além das virtuais.

Por fim, a editora estuda novos formatos de distribuição direta. Em breve, a empresa também deve disponibilizar o serviço P.O.D. (Print on Demand, “impressão sob demanda”), possibilitando a compra de qualquer volume disponível no serviço – essa é uma solução para casos de volumes esgotados, muitas vezes vendidos a preços exorbitantes por terceiros. Os primeiros títulos deste serviço são os dois primeiros volumes do Henshin Mangá e, em breve, o terceiro. Mais informações podem ser lidas no site da empresa.

Fonte: Release de imprensa

Publicidade
close