Larissa Tassi grava versão de ‘Marin’, música da trilha brasileira dos Cavaleiros do Zodíaco

Faixa interpretada originalmente por Sarah Regina ganha releitura pela cantora do tema principal do disco.

As crianças de 1995, que hoje passaram dos 30 anos de idade, devem se lembrar bem da trilha sonora brasileira d’Os Cavaleiros do Zodíaco. Não tinha muito pra onde correr, o disco foi um sucesso, vendendo milhares de cópias e levando a dupla mirim Larissa e Willian a rodar por canais de TV (que eram concorrentes daquele que exibia o animê).

25 anos depois, Larissa Tassi seguiu sua carreira no estilo sertanejo, mas sem deixar de lado a série que lhe deu reconhecimento. Esta semana, em seu canal no YouTube, a cantora liberou uma regravação da música “Marin”, interpretada originalmente no disco por Sarah Regina (a mesma que cantava a abertura de Sailor Moon na Manchete) – vale destacar que a dupla que Larissa formou com o Willian aos 10 anos de idade interpretou apenas três das 10 faixas do disco, incluindo o tema principal.

A nova roupagem contou ainda com a participação de Hermes Baroli, dublador do Seiya de Pégaso, reprisando os gritos da gravação original. Confira abaixo:

Levemente inspirada na personagem Marin de Águia do animê, “Marin” foi composta por Mário Lúcio de Freitas, então marido de Sarah Regina. Dono do extinto estúdio Gota Mágica, de São Paulo, que fez a primeira dublagem da série, ele também foi um dos produtores do disco, participou cantando em algumas músicas e compôs outras 4 faixas.


Fonte: Canal Larissa Tassi


Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) estrearam nas páginas da revista japonesa Weekly Shonen Jump em dezembro de 1985. De autoria de Masami Kurumada (Bt’X, Ring ni Kakeru), a trama rendeu uma versão animada em 1986 pela Toei Animation (Dragon Ball, Sailor Moon), patrocinada diretamente pela Bandai, que marcou época com os bonecos derivados que vestiam armaduras de metal.

A história narra a saga de um grupo de jovens que protegem a Terra guiados por Saori Kido, a reencarnação da deusa Atena. Treinados desde crianças, órfãos de todos os cantos são recrutados para vestirem armaduras mitológicas, baseadas nas constelações.

Exibido no Brasil a partir de setembro de 1994 na extinta Rede Manchete, foi um fenômeno comercial que abriu porta para as animações japonesas no país. A série clássica foi reprisada anos depois pelo Cartoon NetworkBandPlay TV, e teve passagem recente em alta definição pela Rede Brasil de Televisão. A Crunchyroll também disponibiliza a série por streaming, com dublagem. Foi lançada por completo em DVD pela PlayArte, que atualmente produz a versão em Blu-ray.

O mangá original foi publicado por aqui pela primeira vez no fim de 2000, pela Conrad Editora. Ganhou nova edição pela mesma empresa e depois pela Editora JBC, que publica atualmente uma edição de luxo, Cavaleiros do Zodíaco: Kanzenban.

Saint Seiya gerou vários derivados entre animações e quadrinhos, sendo continuações ou spin-offs. Entre os mangás, os títulos Episódio G (Conrad), Lost Canvas, Next Dimension e Saintia Shô (JBC) foram publicados no Brasil. Entre os animes, Os Cavaleiros do Zodíaco Hades (2002), Saint Seiya: The Lost Canvas (2009), Os Cavaleiros do Zodíaco: Ômega (2012), Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro (2015, apenas legendado) e Saintia Shô (2018) também foram exibidos. Em julho de 2019, foi lançada a 1ª parte do remake produzido pela Netflix junto ao estúdio Toei Animation, intitulado de Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco. Você pode conferir um pouco mais da história da série no Brasil no nosso TriviaBox.

Publicidade
close