Imagem: Mario em prisão no jogo 'Mario Sunshine'.

Hacker que invadiu servidores da Nintendo é preso nos EUA

Criminoso foi condenado por roubar propriedade da Nintendo e posse de pornografia infantil.

Ryan Hernandez, conhecido como RyanRocks, pegou uma pena de 3 anos de prisão por “atividade hacker” e também por “possuir material digital contendo pornografia infantil”. Ele passará 7 anos sob “custódia supervisionada” quando for solto e será obrigado a se registrar como agressor sexual.

Tudo começou em 2016, quando Hernandez, na época um menor de idade, conseguiu “roubar” o acesso de funcionários da Nintendo por meio de phishing (de forma simples, uma página falsa se passando por uma página verdadeira). Com isso, ele entrou em arquivos confidenciais sobre jogos e consoles da empresa, que foram vazados ao público – é possível que ele esteja ligado também aos Gigaleaks.

Em 2017, agentes do FBI entraram em contato com ele, que prometeu parar com esse tipo de atividade. Mas em 2018 e 2019, ele hackeou novamente os servidores, obtendo mais informações. Aparentemente, ele se gabava disso em redes sociais e abriu um fórum vazando informações, inclusive sobre as falhas do sistema da Nintendo.

Em 2019, o FBI fez uma investigação na casa do hacker, confiscando aparelhos eletrônicos com arquivos confidenciais e também encontrando vídeos e imagens de menores de idade em ato sexual explícito. Essa é uma entre diversas ações legais da Nintendo contra hackers. Duas outras pessoas já foram presas pelo mesmo motivo.

Hernandez se declarou culpado de ambas acusações e concordou em pagar US$ 259.323 (cerca de 1,3 milhão) em indenizações para a empresa, além da pena de prisão.


Fonte: Departamento de Justiça dos EUA via Siliconera

Publicidade
close