Maki Tomohiro, ex-presidente do Gainax.

Maki Tomohiro, ex-presidente do estúdio Gainax, é condenado a mais de 2 anos de prisão

Prisão preventiva ocorreu no ano passado, devido à suspeita de crime semelhante a estupro de vulnerável.

Aviso: Esta postagem trata sobre assédio sexual de menor.


O ex-presidente do estúdio Gainax, Maki Tomohiro, preso preventivamente no ano passado, suspeito de crime semelhante a estupro de vulnerável, foi considerado culpado das acusações. A pena de Tomohiro é de 2 anos e 6 meses de prisão, sem possibilidade de suspensão condicional (sursis), um procedimento relativamente comum no país.

A vítima do caso disse que até chegou a recusar, mas foi convencida a tirar fotos nua e deixar o réu fazer “massagem” nela, mesmo achando ruim, pois acreditou ser algo importante para sua carreira. Os advogados dela estão tomando medidas para que não seja identificada – segundo eles, houve tentativa de descobrir a identidade da vítima e atacá-la pela internet.

 

Entenda o caso

Segundo as alegações, Maki teria assediado sexualmente uma adolescente quatro vezes após suas aulas de dublagem, entre os dias 6 e 23 de janeiro, num complexo de apartamentos localizado em Adachi (região metropolitana de Tóquio). Lá, ele tirou fotos dela sem roupas, justificando que aquilo faria parte do seu “treinamento para virar atriz”, além de tocar em suas pernas e dizer frases como “suas pernas estão inchadas, seria bom massageá-las”. Este apartamento também serviria como um dormitório para as mulheres que estudavam dublagem na escola onde a vítima estava matriculada.

A acusação foi registrada em fevereiro de 2019. Na época, Maki negou e declarou às autoridades que “só tirou as fotos depois de lhe solicitarem”. Antes de tornar-se o presidente do estúdio, em outubro, Maki ocupava o cargo de presidente da Gainax International, uma agência separada que treinava dubladores e outros talentos. Ele foi afastado do cargo após a prisão preventiva.

Após a repercussão do caso, o estúdio Khara (Rebuild of Evangelion) pediu em nota oficial, que a imprensa não associe a franquia Evangelion, de Hideaki Anno e Kazuya Tsurumaki, ao caso, já que Maki não possui relação com a obra ou seus diretores. O Gainax, que foi fundado em 1981 e tornou-se mundialmente famoso em 1995 após a criação da série de TV Neon Genesis Evangelion, não possui mais os direitos sobre a série desde a desvinculação de Anno da empresa.


Fonte: Bengo4

Publicidade
close