Imagem: Personagens em uma livraria em montagem do Anime Dicria, com o logo do JBox.

Mangateca comunitária no Rio de Janeiro ganha projeto de financiamento coletivo

Saiba como apoiar o projeto!

Em agosto, o Anime DICRIA era notícia nos principais veículos do país ao apresentar cenários do Rio de Janeiro de maneira diferente: com o protagonismo de personagens consagrados dos animês. Inaugurada em fevereiro pelo fotógrafo e morador do Morro do Fallet, Ed Cura, a página no Instagram já conta com mais de 23 mil seguidores.

Dentre os principais conteúdos produzidos pelo perfil estão o Jornal DICRIA, que reúne as principais notícias da semana (dos mais diversos temas, incluindo o mercado global de animês e mangás e abertura de vagas de emprego em várias regiões do Rio), e resenhas em vídeo de produções animadas e quadrinhos japoneses.

Criado como “válvula de escape”, segundo palavras de seu idealizador ao jornal O Globo, o Anime DICRIA ganhou a simpatia da maior parte da comunidade do Fallet, além de chegar a milhares de “crias” espalhados pelo Brasil que curtem o conteúdo da página. Toda a boa repercussão gerada pelo trabalho dedicado dos colaboradores adiantou o lançamento da campanha Mangateca Comunitária DICRIA, que foi ao ar hoje (21) no Catarse.

Confira mais detalhes pelo link:

O objetivo da campanha é levantar os fundos necessários para a inauguração e manutenção de uma biblioteca comunitária especializada em mangás no pé do Morro do Fallet, no centro do Rio. A meta de 20 mil reais prevê os custos de aluguel e manutenção do espaço por 1 ano. A ideia é inaugurar a mangateca já no 1º semestre de 2022.

Além do Catarse, é possível apoiar o projeto através de doações via pix ou Picpay.

Imagem: Informações de pix (animedicria@gmail.com) e QR code do Pìcpay do Anime Dicria, em montagem com personagem de 'Jujutsu Kaisen'.

Com local definido para o início da operação, a mangateca já possui mais de 2 mil volumes, todos obtidos através de doações (até agosto, o número girava em torno de 500 exemplares). Em paralelo à campanha de financiamento, o Anime Dicria segue recebendo mangás e HQs – além de livros em geral – para aumentar o acervo da biblioteca.

As doações dos mangás podem ser feitas pessoalmente, na Feira da Glória, aos domingos, na Av. Augusto Severo, 2702, no bairro da Glória. A quem não tem essa possibilidade, há a opção de enviar as doações por correio (o endereço pode ser solicitado via Instagram).

A campanha da mangateca foi montada em colaboração com o JBox, que está no projeto oferecendo apoio logístico e de divulgação, e não será beneficiário de nenhum valor doado para a campanha.

Para apoiar, clique aqui.


Sobre o idealizador do projeto

Imagem: Ed Cura em foto, segurando um volume de 'DRagon Ball'.
Foto: Hermes de Paula/O Globo.

Ed Cura, 26, é morador do Morro do Fallet, em Santa Teresa, região central do Rio. Trabalha como fotógrafo, designer e editor de material audiovisual, tendo participado de projetos como MEMOH, REC. e AUR. Também já atuou na cobertura de shows de artistas como Racionais MC’s, Luedji Luna, BK, entre outros.

Fundou o Anime DICRIA, plataforma que tem o objetivo de aproximar jovens de comunidades periféricas ao universo dos animês.

Em 2021, recebeu pelo trabalho com o Anime DICRIA o prêmio “Edson Luís” — iniciativa da JUVRio e da Prefeitura do Rio de Janeiro que visa condecorar, anualmente, 9 jovens que façam a diferença em seu campo de atuação. Em 2020, teve seu podcast (REC.) eleito o melhor do ano.