Imagem: O AstroBoy na animação.

Go Astro Boy Go!: Nova animação do clássico de Osamu Tezuka conta com dublagem inédita

Versão brasileira do estúdio Unisom foi adicionada a canal japonês no YouTube, mas sem exibição liberada para cá. Confira o elenco!

No último dia 1º de fevereiro, o canal no YouTube da Tezuka Pro pois no ar uma compilação de episódios de Go Astro Boy Go! (Go! Go! Atom), série inédita no Brasil, com dublagem em português. O detalhe curioso é que o vídeo possui restrição de território e só é exibido… no Japão.

O JBox teve acesso ao conteúdo do vídeo e pôde conferir a versão brasileira, que inclusive conta com traduções em todos os créditos e abertura cantada em português. A dublagem aconteceu no estúdio Unisom, de São Paulo, sob direção de Ulisses Bezerra (conhecido como a voz do Shun de Andrômeda d’Os Cavaleiros do Zodíaco e fundador dessa casa de dublagem).

No elenco, temos Fernanda Bock na pele de Astro Boy e o veterano Tatá Guarnieri como o Professor Elefun. Somam-se a eles Sicília Vidal (Astrokitty), Isabella Guarnieri (Suzu), Jacqueline Sato (Dra. Serena), Dláigelles Silva (Dr. Blunt), Marisol Marcondes, Giulia de Brito e Glauco Marques.

Não há informações públicas sobre onde a animação será exibida no Brasil. Tentamos contato com a Fundação Japão, que é citada nos créditos, mas não obtivemos resposta até o fechamento dessa matéria.

Go Astro Boy Go! é baseada na popular história de Osamu Tezuka, sendo a primeira animação de Astro Boy voltada especificamente para o público infantil em idade pré-escolar. A produção é do estúdio francês Planet Nemo Animation em parceria com a Tezuka Productions, tendo estreado no Japão em outubro de 2019, com 51 episódios exibidos (e mais um produzido que não foi ao ar por lá).

Sinopse oficial (tradução livre): “Os ecossistemas do planeta Terra estão em perigo. Para nossa sorte, um garoto robô superpoderoso está voando para nos salvar! Astro está numa missão para ajudar qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo com um problema envolvendo fenômenos naturais.”


Fonte: Tezuka Pro


Um dos maiores clássicos da animação japonesa, Tetsuwan Atom, ou Astro Boy, como conhecemos do lado de cá, é uma criação do “deus do mangá” Osamu Tezuka, que publicou o mangá original entre abril de 1952 e março de 1963.

A primeira série, datada de 1963 e inédita por aqui, é considerada o primeiro animê no formato de programa comercial de meia hora para TV. No Brasil, assistimos pela Record, nos anos 1980, O Menino Biônico (Jetter Mars), uma “versão genérica” do Astro criada pelo próprio Tezuka junto à Toei Animation. Em 2003, tivemos um remake do herói original, que passou aqui pelo Cartoon Network, Rede Globo e Loading, além de ter sido lançado completo em DVD e exibido pelo streaming do Crackle.

Em 2007, três volumes de um mangá de AstroBoy foram lançados no Brasil pela Panini. O título em questão é uma releitura de Akira Himekawa, portanto a obra original de Tezuka continua inédita por aqui.

Em 2009 foi lançada uma versão em CG para os cinemas, sob responsabilidade do estúdio Imagi, de Hong Kong (que também fez aquele longa animado das Tartarugas Ninja). O filme era a grande aposta da Imagi para garantir sua sobrevivência e concluir outro projeto, um longa CG baseado no clássico Gatchaman. Infelizmente a bilheteria foi baixa e o estúdio fechou as portas no ano seguinte.

Em 2012, um especial da Turma da Mônica Jovem reuniu figuras como Kimba, o próprio Astroboy e a Princesa Safiri (de A Princesa e O Cavaleiro) com Mônica, Cebolinha e os demais em uma história ecológica. Novos crossovers surgiram anos depois nos quadrinhos.

Publicidade
close