Imagem: Misaki dentro de um carro, em foto de perfil, dirigindo.

‘Drive My Car’ é indicado ao Oscar de Melhor Filme e mais três categorias

Adaptação de conto de Haruki Murakami escreve mais uma linha da história japonesa na premiação, sendo o primeiro indicado na categoria Melhor Filme.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou hoje (08) os indicados ao Oscar 2022. Entre os filmes que concorrem à estatueta de ouro está Drive My Car, indicado nas categorias de Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Filme Internacional, Melhor Direção e Melhor Filme.

Ao menos uma indicação era relativamente esperada desde que se sabia que o longa estava elegível. O filme ganhou o Globo de Ouro de Filme Estrangeiro.

O cinema japonês já concorreu 16 vezes na categoria de Filme Internacional, tendo ganhado 4. Os filmes que levaram o prêmio para a Terra do Sol Nascente foram: Rashomon (1950), Portal do Inferno (1953), O Samurai Dominante I: Musashi Miyamoto (1954) e A Partida (2008). Vale destacar que os 3 primeiros ganharam um prêmio especial de reconhecimento, pois a categoria ainda não existia na época.

Hiroshi Teshigahara foi indicado como Melhor Diretor em 1965, com Suna no Onna, mas não levou. Ele foi o primeiro asiático indicado na categoria. Akira Kurosawa foi indicado como Melhor Diretor em 1985, pelo filme Ran, mas não levou. Agora veremos se Ryusuke Hamaguchi escreverá um novo capítulo nessa história.

É a primeira vez que um filme japonês consegue indicações na categoria de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Filme na premiação, tornando o fato já de extrema importância, independentemente de levar algum dos prêmios. Os resultados serão revelados em 27 de março.

A trama conta a história de Yusuke Kafuku, um ator e diretor de teatro que sente a perda de sua esposa. Durante a produção da peça Tio Vânia em Hiroshima, ele conhece Misaki, uma jovem tímida que trabalha como sua motorista. Entre idas e vindas, algo a mais surge. O filme é uma adaptação de um conto de Haruki Murakami, da coletânea Onna no inai otokotachi (2014, “Os Homens Sem Mulheres”).


Fonte: Oscars

Publicidade
close