Toei Animation anuncia pausa de ‘Digimon’, ‘One Piece’ e ‘PreCure’

Títulos importantes para o mercado japonês são paralisados devido à pandemia do novo coronavírus.

O estúdio Toei Animation, responsável por várias das franquias de animação japonesa mais populares no mundo, anunciou neste domingo (19) suas medidas frente à pandemia do novo coronavírus. As transmissões semanais de episódios inéditos de One Piece, Digimon Adventure: e PreCure estão oficialmente suspensas, sem previsão de retorno.

Para One Piece e Digimon Adventure:, séries que são transmitidas simultaneamente para vários países, a Toei divulgou um comunicado em inglês. Abaixo segue a tradução livre:

Devido ao estado de emergência no Japão causado pela pandemia do COVID-19, consideramos com cuidado as medidas de segurança para a disseminação, decidindo suspender, por enquanto, o simulcast e a transmissão japonesa de ‘One Piece’ e de nossa nova série, ‘Digimon Adventure :’. Daremos atualizações sobre o retorno de ambas as séries assim que soubermos. Agradecemos sua paciência e compreensão durante esse período. Por favor, mantenha-se seguro e saudável.

Como não é transmitida no Ocidente, a série Pretty Cure teve um aviso em japonês, direcionado ao público local. A temporada atual da franquia, chamada de Healin’ Good PreCure será paralisada no episódio 13 e seguirá com reprises na TV japonesa a partir do dia 26 de abril. A Toei também promete avisar quando tiver uma data para o retorno.

O último episódio de One Piece transmitido foi o de número 929, disponível no Brasil pela Crunchyroll, com legendas em Português. Já Digimon Adventure: estreou no início deste mês, tendo apenas três episódios exibidos até o momento. Em seu lugar na TV japonesa, haverá uma reprise de GeGeGe no Kitarou (animê que era exibido no mesmo horário anteriormente). A série também é transmitida oficialmente por aqui pela Crunchyroll.

Nas últimas semanas, várias animações tiveram que se adequar à realidade do novo coronavírus. Títulos famosos como Evangelion, Pokémon, Sword Art Online e Food Wars! já foram adiados ou suspensos temporariamente. Você pode conferir quais animês tiveram suas produções afetadas em nossa matéria especial, atualizada a cada novo adiamento.


Fonte: Toei Animation (1) e (2)


One Piece é uma obra de autoria de Eiichiro Oda. O mangá original começou a ser publicado na revista Shonen Jump em julho de 1997 e tornou-se um fenômeno mundial. Na história, acompanhamos as aventuras do pirata Monkey D. Luffy e de sua tripulação, os Chapéus de Palha, que navegam o mundo à procura do “One Piece”, o tesouro perdido do antigo Rei dos Piratas, Gol D. Roger, enquanto enfrentam diversos piratas e o Governo Mundial.

No Brasil, o mangá foi publicado pela primeira vez no formato “meio-tanko” pela Editora Conrad, que interrompeu a publicação na 70° edição (correspondente à 2ª parte do volume 35 no original japonês). Em 2012, a série foi relançada pela Editora Panini, seguindo o formato original japonês, e conta atualmente com 94 volumes encadernados lançados (no Japão são 96 atualmente). A versão em animê é produzida pelo estúdio Toei Animation (Dragon Ball Z) e exibida oficialmente via streaming pela Crunchyroll, com legendas em português.

Com nova dublagem, o animê deve estrear em algum momento na Netflix.


Inspirado no popular Tamagotchi, Digimon surgiu em 1997 pela Bandai, como uma série de bichinhos virtuais que também podiam batalhar. Em 1999 a Toei Animation lançou uma série animada derivada, sob o título de Digimon Adventure.

Creditada a uma equipe criativa denominada como Akiyoshi Hongo, Digimon Adventure fez sucesso suficiente para render uma continuação no ano seguinte, com Digimon 02. Depois foi a vez de Digimon Tamers Digimon Frontier, séries que possuíam seus próprios enredos, sem dar continuidade às duas primeiras. Após uma pausa, o título voltou com mais uma série original em 2006, intitulada de Digimon Savers (Data Squad no Ocidente). Entre 2010 e 2012 foi a vez de Digimon Xros Wars (Fusion) e em 2016 chegou Digimon Universe: App Monsters.

Trazida ao Brasil como forma de contra-ataque à mania PokémonDigimon ganhou grande destaque na programação da Rede Globo a partir de julho de 2000, sendo exibido também pelo extinto canal pago Fox Kids. Dublada nos lendários estúdios da Herbert Richers, foi um enorme sucesso comercial, rendendo inúmeros produtos estampados com a marca, como materiais escolares, alimentos, revistas, jogos e brinquedos.

Parte dos episódios da 1ª série foi lançada em DVD pela Focus Filmes. Atualmente, pode ser vista na íntegra com a dublagem original pelo serviço de streaming Looke. Entre 2015 e 2018, uma série de 6 filmes foi lançada, trazendo os personagens do animê original na adolescência. Chamada de Digimon Adventure tri., foi exibida aqui no Brasil com os filmes divididos em episódios de meia hora, através da Crunchyroll.

A Crunchyroll também exibe o reboot Digimon Adventure:, lançado em abril de 2020.


Futari wa PreCure (ou Pretty Cure) surgiu em 2004 em uma série produzida pela Toei Animation, criada por uma equipe criativa da empresa intitulada de Izumi Todo. O sucesso dos 49 episódios fez com que não só uma sequência e filmes fossem produzidos, como inaugurou uma franquia que dura até hoje, com mais de 10 segmentos na televisão e outras mídias.

O animê original chegou a ser negociado com televisões brasileiras na década de 2000, porém nenhuma emissora fechou acordo para exibição.

Em 2015, a série Smile PreCure! (nono seguimento da TV, produzida em 2012) foi adaptada no Ocidente pela Saban Brands, que vendeu a vários países com exibição exclusiva na Netflix, renomeando-a para Glitter Force. Essa adaptação ocasionou mudanças de termos e trilha sonora, além de fechar uma temporada de 40 episódios contra 49 da versão original.

Atualmente, a marca Glitter Force é administrada pela Hasbro, que assumiu as franquias da Saban Brands.

No Japão, já são 15 gerações de heroínas na franquia, com 17 temporadas para a TV, totalizando quase 800 episódios.

 

Publicidade
close