Arte promocional oficial de 'Act-Age'.

Act-Age: Após roteirista ser preso por crime envolvendo menor, Shonen Jump cancela mangá (ATUALIZADO)

Diversos mangakás mostraram solidariedade à Shiro Usazaki, ilustradora de ‘Act-Age’ (e sem relação com o caso).

Hoje (10), a Shonen Jump postou uma nota em suas redes oficiais anunciando o cancelamento de Act-Age, após o roteirista, Tatsuya Matsuki, ser preso sob suspeita de “importunação sexual” de menor. A nota completa informa o seguinte:

No dia 8 de agosto, Tatsuya Matsuki, escritor de Act-Age, foi preso.

O departamento editorial levou a sério o ocorrido, confirmando os fatos e discutiu com Shiro Usazaki, ilustradora da série. Foi então decidido descontinuar o mangá. O último capítulo será publicado na edição #36-37 da Jump, no dia 11.

O departamento editorial lamenta muito que uma obra com tanto apoio dos leitores termine desta forma. Contudo, assumimos a responsabilidade social da Shonen Jump e encaramos a situação com muita seriedade para tomar essa decisão. Pedimos desculpas por qualquer transtorno.

Estamos todos arrasados, não só nós do departamento mas também a própria Shiro Usazaki. Vamos apoiá-la e trabalhar para criarmos novas séries no futuro. Sobre os volumes e eventos, vamos discutir com todos os envolvidos, informando assim que possível.

 

10 de agosto de 2020, Departamento Editorial da Shonen Jump.”

 

Após o evento, uma série de artistas e fãs mandaram mensagens de apoio à Shiro Usazaki: Yusuke Murata, ilustrador de One-Punch Man, está retuitando artes dela, para divulgar seu trabalho. Yokoyari Mengo, mangaká na Young Jump, disse esperar que “todas as prioridades sejam ajudar as vítimas a se recuperar e a Shueisha ajudar Usazaki. Deve ser muito difícil…”.

Uma série de fãs também passou a divulgar o trabalho de Usazaki nas redes sociais, como forma de apoiá-la neste momento. O nome da série, o pedido pelo fim da publicação e, posteriormente, o nome de Usazaki chegaram aos Trending Topics do Twitter no final de semana.

O mangá começou a ser publicado na revista em 2018. Essa não foi a primeira vez que um mangaká da Jump foi acusado de crime envolvendo menores de idade. Em 2017, o autor de Samurai X (Rurouni Kenshin) foi preso e condenado por posse de pornografia infantil. Em 2002, o autor de Toriko (ele ainda não publicava essa obra na época) foi preso e condenado por favorecimento da prostituição infantil. Ambos voltaram a trabalhar na editora após os eventos.

 

ATUALIZAÇÃO

11 agosto, às 19h30

Um peça teatral inspirada na série, prevista para estrear em 2022, foi cancelada após os eventos, junto com os testes para personagens.


Fonte: Jump, WSJ_manga (não oficial) e Yorimen

 

Publicidade
close