Imagem: O beijo censurado.

World’s End Harem: Cena de beijo é censurada

Durante o episódio 4 do animê em sua versão censurada, espectadores tiveram uma surpresa entre os cortes.

Um dos animês da atual temporada de inverno, World’s End Harem (Shuumatsu no Harem) é um título que chama atenção por sua temática e o modo como ela está sendo desenvolvida.

Na história, acompanhamos um futuro onde um vírus mortal que afeta apenas homens se espalhou pelo mundo e dizimou boa parte da população masculina. Alguns têm sobrevivido sendo mantidos num sistema hibernação, mas eventualmente terão os dias contados, já que esse “congelamento” só atrasa a ação do vírus, não o impede em definitivo.

As exceções, ao menos no Japão, são cinco caras que, por motivos distintos, estavam nesse sono criogênico e se mostraram imunes à doença. E então, uma organização, com abordagens diferentes, tenta fazer com que eles “acasalem” com o maior número de garotas possíveis, de modo a tentar repovoar a Terra com uma geração de meninos que consigam herdar esse “acidente genético” que impede o vírus.

World’s End Arem aproveita dessa premissa para ir a fundo no erotismo. Ele é exibido no Japão pelo serviço de streaming ABEMA e pelas emissoras AT-X (que costuma exibir animês sem censura), Tokyo MX e BS Fuji, em diferentes horários, com duas versões: uma sem cortes, mostrando takes de nudismo e cenas mais quentes, outra censurada, com tarjas pretas cobrindo as partes íntimas. A versão que chega aqui ao Brasil através da Crunchyroll é essa segunda.

A surpresa é que no episódio 4, O Segredo da Escola, a versão censurada também cobriu com tarjas… um beijo!

Vale lembrar que World’s End Arem originalmente deveria ter estreado em outubro do ano passado, mas precisou ser atrasado para essa temporada.

Com autoria de LINK (roteiro) e Kotaro Shono (ilustração), o mangá original é publicado desde 2016 na Shonen Jump+, da editora Shueisha, e tem 12 volumes encadernados até o momento. A animação é dos estúdios Gokumi e AXsiZ e direção é do Yū Nobuta (o mesmo de The Faraway Paladin).

Por aqui, ele pode ser acompanhado (com tarjas cobrindo até as bitocas) na Crunchyroll.


Fonte: @TheAweShucks, Natalie e o site oficial do animê.

Publicidade
close