imagem: ilustração do Pinocchio

JBoxTBT | 1998: um ano sem animês inéditos na TV brasileira?

Crise na Manchete freou investimentos e trouxe um momento de apagão pra animação japonesa naquele período. Relembre as poucas “novidades” daquele ano.

Quando se conta a trajetória dos animês na TV aberta do Brasil nos anos 1990, após o fenômeno d’Os Cavaleiros do Zodíaco (que estreou em setembro de 1994), geralmente o ano de 1998 aparece como um grande “buraco”.

Isso acontece porque o lançamento de Supercampeões (Captain Tsubasa J) na finada Manchete em 1997 marcou como a última produção japonesa inédita da emissora, que era a maior vitrine desse tipo de produção. Ranma ½ chegou a ser ventilado pela mídia especializada como um título do canal para 1998, com sondagem de dublagem e tudo mais, porém a crise financeira da emissora impediu o investimento.

Em 10 de maio de 1999 ocorre o encerramento oficial da Manchete e também o lançamento de Pokémon na Record, dando início a um novo fenômeno em um ano que ainda teríamos a estreia de Dragon Ball Z pelo Cartoon Network e em seguida pela Band. Mas 98 realmente não teve nada?

imagem: ilustração de A Abelhinha Hutch
Imagem: Divulgação/Tatsunoko

Manchete, SBT, Record, Globo e até a TVE (com Kimba) seguiram com exibições dos animês que já haviam estreado na grade em anos anteriores ao longo do ano da Copa da França.

Na Globo, a última novidade havia estreado em dezembro de 1997, quando começou a ir ao ar pelo Angel Mix, da Angélica, A Abelhinha Guerreira. Esse foi o título dado pela emissora ao animê Konchuu Monogatari: Minashigo Hatchi, um clássico de 1970 (!) e que na Fox Kids era chamado de A Abelhinha Hutch (nome em inglês da personagem, que na dublagem virou Cofrinho de Mel). A série não ficou muito tempo no ar, se despedindo já no comecinho de janeiro de 1998.

imagem: ilustração de Pinocchio
Imagem: Reprodução/Tatsunoko

A única estreia mesmo em 1998 não era algo realmente inédito. Em 30 de março começa a ir ao ar a versão “sabanizada” de Pinocchio pelo mesmo Angel Mix. O animê da Tatsunoko (de Speed Racer) em sua versão “pura” já havia sido exibido no Brasil entre o fim dos anos 1970 e começo dos 1980, em emissoras como Tupi e Record. Voltou com toda a carga dramática (que não era pouca) “suavizada” através da edição da empresa Saban Entertainment (a mesma responsável pela criação dos Power Rangers), que trouxe todas aquelas mudanças manjadas, como alteração de nomes e trilha sonora.

Ao menos com filmes, tivemos mais algumas coisinhas “inéditas” em 1998. O longa-metragem animado de Street Fighter II estreou na programação do SBT e foi reprisado algumas vezes ao longo do mesmo ano. Já na Record, um especial do Domingo Criança em 11 de outubro trouxe os filmes Aventureiros do Espaço (saiba mais aqui) e Jovens Guerreiros (Ozanari Dungeon), ambos vindos de lançamentos anteriores em VHS.

Da esq. p/ dir.: Street Fighter II – O Filme, Aventureiros do Espaço e Jovens Guerreiros

Na TV a cabo até tivemos algumas coisinhas na Fox Kids, com as estreias de Samurai Pizza Cats, o esquisitíssimo Bit, O Cupido e Eagle Riders (o Gatchaman com selo da Saban). Mas a TV aberta realmente sofreu um apagão para os animês, dando um descanso para um novo “boom” a partir de 1999.

Você tem alguma lembrança dessa época? Use o espaço dos comentários pra compartilhar ;)

Confira outras postagens da série JBox TBT clicando aqui.


No Instagram

Pela hashtag #JBoxTBT, publicamos lembranças como essa semanalmente em nosso Instagram. Acompanhe por lá pelo @jboxbr!

Publicidade
close