Morre Shozo Uehara, principal roteirista de ‘Jaspion’

O veterano de 82 anos morreu no dia 2 de janeiro deste ano.

Infelizmente, 2020 começou com a perda de um grande nome na história da cultura pop japonesa. Faleceu no último dia 2 de janeiro, aos 82 anos, o roteirista Shozo Uehara, em decorrência de um câncer no fígado. Ele foi o principal roteirista de O Fantástico Jaspion (1985, em 42 episódios), série que foi fenômeno no Brasil no fim dos anos 1980.

Gorenger (1975)

Porém, a sua contribuição para o tokusatsu foi muito maior que isso. Uehara esteve por trás de muitos textos das “séries Ultra”, passando por Ultra Q (1966, dois episódios), Ultraman (1966, dois episódios), Ultra Seven (1967, onze episódios) e O Regresso de Ultraman (1971, vinte episódios), antes de escrever para Himitsu Sentai Gorenger (1975) – a série que daria origem a franquia Super Sentai e mais futuramente aos Power Rangers. Ele também esteve por trás de Gavan (1982, 37 episódios), que deu origem a outra franquia, a dos Metal Heroes – da qual Jaspion faz parte, além de seus sucessores Sharivan (1983, em 41 episódios) e Shaider (1984, em todos os 49 episódios e os dois filmes). Também são dele os textos dos primeiros episódios de outro sucesso no Brasil, o Kamen Rider Black (1987), além da série japonesa do Homem-Aranha (Spider-Man), em 1978, muito importante para o gênero dos heróis japoneses.

Além do tokusatsu, Shozo Uehara escreveu para animês, principalmente para séries clássicas de robôs como Grendizer (1975) e Getter Robo (1974). Até mesmo em episódios de Hokuto no Ken (1984) ele esteve presente.

Um verdadeiro mestre que agora descansa ao lado dos maiores ícones.

[Via Asahi]


Comentário: Shozo Uehara foi um gênio que ficou responsável por vários momentos marcantes do tokusatsu. Ele foi ousado em escrever episódios de O Regresso de Ultraman com um teor mais violento que as séries antecessores da franquia Ultra, que ainda estava em formação. Certamente, o episódio 37 foi o mais emocionante. Foi nesse exato ponto onde surgiram os vilões denominados como Os Poderosos do Espaço, que descobriram que Hideki Goh é a identidade humana de Ultraman, e ainda mataram sua namorada Akiko (Aki) e o irmão mais velho dela, Sakata. O episódio seguinte ainda contou com a participação dos atores Susumu Kurobe e Kohji Moritsugu, reprisando os papéis de Hayata/Ultraman e Dan Moroboshi/Ultraseven, que salvaram o segundo Ultraman (batizado como Ultraman Jack a partir de 1984). Antes de sua saída da Tsuburaya, Uehara ainda escreveu sete episódios em Ultraman Ace (1972) e Ultraman Taro (1973).

Na Toei, foi um dos responsáveis pela concepção de Kamen Rider nos 1970. Além de trabalhar em Gorenger e JAKQ (ambas criadas pelo lendário Shotaro Ishinomori), Uehara foi o responsável por estabelecer a franquia Super Sentai em 1979 com Battle Fever J, quando as duas primeiras ainda não eram oficializadas como as pioneiras. Na mesma década, Uehara foi roteirista free-lancer na extinta P-Productions (a mesma produtora de Spectreman e Lion Man), onde contribuiu para o clássico Denji Zaborger (1974), ao lado do falecido mangaká Kazuo Koike (1936~2019).

Uehara consagrou a trilogia dos Policiais do Espaço, que deu origem à franquia Metal Hero em 1982. Em Jaspion, teve que reescrever episódios devido a ausência do ator principal Hikaru Kurosaki por conta de seus trabalhos no teatro e, a partir dessa necessidade, foi criado o herói Boomerman, interpretado pelo grande Hiroshi Watari.

Após contribuir para os roteiros de Spielvan e Metalder, Uehara foi chamado para escrever em Kamen Rider Black, mas decidiu sair da série, após os primeiros episódios, por conta de várias interferências na produção. Porém, chegou a escrever o primeiro dos dois filmes da série de TV, a pedido do produtor Susumu Yoshikawa. Em 1994, escreveu para o filme Kamen Rider J, onde pudemos ver o herói ficar gigante.

Em 1997, Uehara foi convidado pela Tsuburaya para escrever o icônico episódio 49 de Ultraman Tiga, que contou com a aparição do primeiro Ultraman. Seu último trabalho foi em 2007, quando participou da equipe de criação e roteiro da série filipina Zaido, uma continuação não-oficial de Shaider que teve o aval da Toei.

Uehara carregava a mensagem de Eiji Tsuburaya (criador de Godzilla e Ultraman), que dizia “nunca se deve arruinar os sonhos das crianças“. Conseguiu driblar os curtos prazos e deixou uma grande marca para o gênero tokusatsu que permanece até hoje.

Publicidade
close