Um encontro com o ator de ‘Jaspion’ e ‘Sharivan’: Como foi o 1º Meet & Greet online com Hiroshi Watari

Compensando a ausência de eventos presenciais, o ‘Boomerman’ de ‘O Fantástico Jaspion’ conversou com fãs brasileiros sobre tokusatsu, sua carreira e curiosidades.

Não é todo dia que você consegue falar pessoalmente com um ator japonês de tokusatsu, né? Esses momentos de ouro e preciosíssimos costumam acontecer presencialmente nos eventos de cultura pop. Em tempos de pandemia do novo coronavírus, os mesmos estão se adaptando para que o público possa se entreter, de alguma forma, sem sair de casa.

O Alma Tokusatsu, evento que teve sua primeira edição em outubro de 2019, está promovendo um meet & greet online com Hiroshi Watari. O ator é conhecido pelos fãs brasileiros de tokusatsu por interpretar Sharivan, Spielvan e principalmente o Boomerman em Jaspion, e já esteve no Brasil em várias ocasiões. Para compensar a situação, o Alma Tokusatsu abriu inscrições para salas privadas, variando em grupos de 4 e 10 pessoas. Os respectivos encontros têm a duração de 90 minutos.

Eu estive num grupo de 10 pessoas que participaram do evento no dia 13 de junho. Cada participante tinha um tempo determinado para falar com o Watari. Um tempo maior que nos eventos presenciais, inclusive. A sala em que eu participei teve a mediação dos amigos Ricardo Cruz e Narú, que traduziam os diálogos. Após orientações, um sorteio foi feito para definir a ordem de participação.

Digam “cheese”! | Cortesia/Alma Tokusatsu

Watari se apresentou e disse que estava planejando retornar ao Brasil neste ano, mas a pandemia que assola o mundo inviabilizou essa concretização. Disse que quer voltar para cá assim que a pandemia passar. Respondendo às várias perguntas dos presentes, o ator contou algumas curiosidades.

Comentou que Sharivan, por ser seu primeiro papel principal, marcou sua carreira artística e por isso lhe ensinou muitas experiências. As gravações da série de 1983 foram bem puxadas. Como ele era novato, tinha que servir os dublês mais velhos, ajudando-os a retirar os trajes e coisas do tipo. É que no Japão há uma cultura de profundo respeito com pessoas mais velhas. Ele lembrou que após as filmagens do episódio final teve uma festa, com direito a saquê. Na despedida, vinham as lembranças dos bastidores e dos momentos vividos ao lado de cada ator com quem ele trabalhou durante um ano.

Sharivan foi a única série tokusatsu da qual ele teve que participar de uma audition. Já em Jaspion e em Spielvan, a escolha foi direta. Watari foi chamado de repente para participar como Boomerman (Boomerang). Por causa do acidente de moto que sofreu em 1984, teve que colocar pinos em uma das pernas e teve que tirar durante a exibição de Jaspion. Por isso, o atirador de bumerangues teve que sair da série antes do tempo. Ele estava disposto a voltar com força total, mas a Toei resolveu limitar sua participação para mais dois episódios.

Quando chegou a minha vez de falar com o Watari, aproveitei para perguntar se ele teve alguma surpresa ao receber o papel de Spielvan. Ele me contou que já suspeitava quando viu seu nome creditado sozinho num frame da abertura dos episódios 31 e 32 de Jaspion. Isso é feito para destacar artistas de longa data. A decisão de Watari estrelar em Spielvan já estava traçada pela Toei, mas o ator ainda não sabia. Curiosamente, quando Watari recebeu o convite do produtor Susumu Yoshikawa (que não gosta de audition), ele estava esquiando com o pessoal da então Japan Action Club (atual Japan Action Enterprise).

Watari (como Boomerman) ao lado da atriz Kiyomi Tsukada, a androide Anri | Divulgação

Ainda sobre Spielvan, Watari havia respondido às perguntas de outros participantes da sala virtual. Disse que foi o seu personagem mais difícil, pois sua terra-natal, o Planeta Clin, foi destruído. O ator tinha dúvida de como iria interpretá-lo após sua chegada na Terra, considerando que ele passou vários anos hibernando durante a viagem da nave-mãe Defender (Grand Nasca). Ao contrário da época de Sharivan, onde servia os dublês veteranos, era ele quem era o senpai dos novatos.

Watari ainda contou que gostaria de voltar como Den Iga/Sharivan para liderar um esquadrão de novos heróis e de lhes transmitir confiança. Por outro lado, se tivesse que escolher algum ator para ser um novo Sharivan, seria alguém de 20 a 30 anos de idade. Confessou que gostaria de interpretar um vilão do tipo aku no boss (chefe do mal) que faça uma possessão. Brincou dizendo que está tentando ir pro lado do mal, mas que está meio difícil (já que ele tem fama de herói).

Também revelou outras curiosidades “aleatórias”: O primeiro Kamen Rider foi o herói que marcou sua infância. Ele gostaria de conhecer os astros do cinema Robert Downer Jr. (Tony Stark/Homem de Ferro) e Hugh Jackman (Wolverine). Se tivesse que criar um herói, ele seria um anti-herói como Venom ou Deadpool. Watari gostaria de fazer outros trabalhos fora do Japão e tem muita vontade de participar do filme do Jaspion, planejado pela distribuidora Sato Company.

Durante o encontro, quem também estava com a gente era Michel Borges, o ilustrador do mangá O Regresso de Jaspion, que será lançado em algum momento pela Editora JBC. Watari pediu para que ele fizesse um Boomerman bem “fortão” e ainda disse: “Desenha um mangá muito legal“. Mais ou menos como no Roda Viva, onde tem um ilustrador desenhando durante o programa, Borges fez um desenho do ator ao lado de cada um dos participantes.

Hiroshi Watari e os participantes da sala virtual por Michel Borges | Cortesia/Alma Tokusatsu

Foi maravilhoso poder participar desse momento com um herói da minha infância ao lado de outros fãs. Cada um estava mais emocionado que o outro. Quando minha vez de falar com ele chegou, disse ao Watari que ele acabou sendo uma das minhas inspirações para escrever sobre tokusatsu. Isso porque, em 2005, ele chegou a escrever uma coluna para a revista brasileira Gyodai, que era totalmente dedicada ao gênero, mas que infelizmente só teve uma única edição. Ele ficou muito feliz. Como fã, o agradeci por marcar minha infância, principalmente como Spielvan, um dos meus Metal Heroes favoritos. A reunião terminou com Watari pedindo para os fãs se cuidarem e disse que gostaria de voltar logo logo ao Brasil.

Sempre sorridente, Hiroshi Watari é um ator bastante solícito com os fãs. É uma pessoa que realmente gosta de falar sobre tokusatsu e faz questão de representar o gênero com muita simpatia. Vale a pena participar do meet & greet, pois é um momento marcante que todo fã de tokusatsu gostaria de vivenciar e matar alguma ou outra curiosidade sobre sua carreira. Oportunidade irrecusável.


EXTRA: Uma grande surpresa no 2º encontro!

Pelo editor
No dia seguinte à participação do César no meet & greet, aconteceu mais um encontro com Watari, com um grupo menor. Nem os participantes e nem a organização sabiam o que estava por vir.

A atriz Kiyomi Tsukada, intérprete da androide Anri em Jaspion, apareceu totalmente de surpresa! Ela deixou o meio artístico em 1995, e permaneceu distante dos fãs por décadas, que ficaram sem informações sobre a atriz – que atualmente mora na Inglaterra.

Embora não seja possível prever, a organização do Alma Tokusatsu informa que outras surpresas como essa podem rolar nos próximos encontros. As inscrições para a 2ª chamada foram prolongadas para o dia 17 de junho. Confira mais detalhes aqui ou pelo site almatokusatsu.com.br


Publicidade
close