Levi, de 'Attack on Titan'.

Attack on Titan: MAPPA teria sido o único estúdio disposto a assumir a série

Outros estúdios sondados rejeitaram a série por estarem com o cronograma apertado.

Segundo comentários de uma entrevista dada à NewType, Kensuke Tateishi, da Kodansha, teria revelado que, ao buscar um novo estúdio para Attack on Titan (Shingeki no Kyojin), todas as propostas foram rejeitadas pois as empresas de animação estavam com o cronograma apertado.

Apenas um teria cogitado assumir a série: o MAPPA. Segundo os produtores entrevistados (Kensuke e Toshihiro Maeda), a equipe do WIT ficou satisfeita em passar o título para o MAPPA. Os produtores também comentaram sobre a exibição do animê na NHK. A emissora MBS é uma das produtoras mas, mesmo assim, concordou em levá-lo para a NHK a partir da segunda temporada, pelo maior público que a obra poderia atingir dessa forma.

A mudança vem causando muito furor entre os fãs, aparentemente pouco satisfeitos com o material promocional divulgado. Alguns, no entanto, saíram em defesa do MAPPA (ou, ao menos, de seus funcionários, conhecidos por trabalharem muitas horas extras), como o usuário e animador amador JMulli02, que precisou publicamente declarar não ter envolvimento com o estúdio, após um grande canal brasileiro divulgar essa “informação”:

A nova temporada de Shingeki estreia em dezembro, contando com exibição simultânea legendada na Crunchyroll e opção dublada em português na Funimation.


Fonte: Ryokutya e YourAnimeGuy


Attack on Titan (Shingeki no Kyojin) foi criado como mangá por Hajime Isayama em 2009, nas páginas da Bessatsu Shonen Magazine. Os capítulos reúnem até o momento 31 volumes encadernados, com publicação no Brasil pela Panini – que também trouxe os spinoffs da franquia Ataque dos Titãs: Antes da Queda e Ataque dos Titãs: Sem Arrependimentos.

O animê surgiu em 2013, pelo WIT Studio, tornando-se um sucesso mundial. Conta a história de um mundo distópico onde a humanidade vive isolada por muros, buscando a sobrevivência contra os “titãs”, criaturas enormes que se alimentam dos homens.

A exibição oficial do animê acontece, até o momento, pela Crunchyroll, que disponibiliza todas as temporadas com legendas em português.

Dois longas-metragens em live-action, produzidos em 2015, foram exibidos em sessões restritas em cinemas do Brasil em 2018 e atualmente estão disponíveis na Netflix. Saiba mais em nossas críticas aqui e aqui.

Publicidade
close