Imagem: Caiman e Nikaido em 'Dorohedoro'.

Dorohedoro: Panini lança o mangá no Brasil em agosto

Obra de Q Hayashida chega em agosto e era aguardada desde o sucesso do animê.

Fechando sua semana de anúncios, a Panini revelou nesta sexta que irá publicar Dorohedoro no Brasil. Com lançamento previsto para agosto e periodicidade mensal, a edição brasileira será no formato padrão da editora: 166 a 192 páginas por volume, miolo em papel offwhite 66, capa cartão fosca, custando R$ 29,90. Assim como no original japonês, a coleção será completa em 23 volumes.

Seriado de 2000 a 2019 pela Shogakukan, o mangá de Q Hayashida passou por diversas revistas da editora japonesa. Seu início foi na revista Monthly Ikki, onde ficou até 2015, quando migrou para a Hibana – ambos os periódicos de demografia seinen foram descontinuados. O título enfim foi encerrado na Shonen Sunday, entre 2017 e 2019, e chegou a ganhar um capítulo extra no ano passado.

A trama de Dorohedoro é centrada em Caiman, um homem amnésico desfigurado em busca de sua identidade real, depois que uma transformação por um usuário de magia o deixou com a cabeça de um réptil e nenhuma memória de sua vida anterior. Junto com sua amiga, Nikaido, ele ataca violentamente os usuários de magia, com o objetivo de encontrar o usuário de magia responsável por sua transformação.

A série ganhou popularidade por aqui através da adaptação do estúdio MAPPA. Transmitido no Japão no 1º semestre de 2020, o animê chegou à Netflix no fim de maio passado, ganhando também uma dublagem em julho. Dirigido por Yuichiro Hayashi (de Kakegurui e Garo: Divine Flame), a animação entrou na nossa lista dos 10 melhores animês de 2020 (e aqui você pode conferir a crítica específica de Dorohedoro).


Fonte: Panini

Publicidade
close